quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Cetas Tangara recebe 125 aves e 56 jabutis repatriados de São Paulo


Animais silvestres foram apreendidos em fiscalizações no Sudeste e serão reabilitados para retornar à caatinga. Outras seis aves seguiram para São Paulo

Em novo repatriamento, o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara) acolheu 181 animais silvestres para reabilitação, sendo 125 aves de espécies presentes no bioma caatinga e 56 jabutis. Eles vieram de São Paulo, acomodados em um caminhão climatizado, percorrendo a distância – aproximadamente 2.700 quilômetros – em três dias de viagem. Após o período de reabilitação, todos serão devolvidos à caatinga, em áreas de soltura no Sertão do Estado.

Os jabutis e os pássaros foram trazidos para Pernambuco por agentes do Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS-PET), órgão do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo, onde estavam sendo tratados. Há galos de campina, papa-capins, concrizes, cravinas e patativas, entre outras espécies. Todos foram apreendidos em fiscalizações realizadas no Sudeste, envolvendo órgãos como as polícias Rodoviária Federal (PRF), Militar e Civil e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

A parceria entre os centros de triagens de animais silvestres do país vem possibilitando, com os repatriamentos, que muitos animais apreendidos em ações de fiscalização contra o tráfico sejam reabilitados e retornem aos seus habitats naturais. Neste novo caso, aproveitando a vinda da equipe do CRAS-PET, no final do feriadão de 7 de Setembro, o Cetas Tangara mandou para São Paulo seis aves típicas do Sudeste e que estavam sendo cuidadas em Pernambuco: duas arapongas, duas jandaias-de-testa-vermelha, um japu e um pipira-vermelha.

TUCANO – Um tucano-açu (Ramphastos toco), jovem, também está entre os novos hóspedes temporários do Cetas Tangara. Ele foi entregue voluntariamente à CPRH pelo empresário Fernando Serafim de Lucena, na segunda-feira (10). Morador de Olinda, Fernando contou que recebeu a ave de um rapaz que a encontrou na praça do Parque da Cidade, na entrada de Camaragibe, Região Metropolitana do Recife.

O tucano estava debilitado e foi tratado pelo empresário, que esteve acompanhado da esposa Márcia e do filho Fernando para fazer a entrega voluntária. “Não faz sentido tirar um animal desse da natureza”, disse Fernando Serafim, sendo reforçado pelo garoto Fernando, que recebeu cartilhas educativas da CPRH. O tucano, após a reabilitação, terá que ser repatriado para região de cerrado ou amazônica.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário