sexta-feira, 2 de outubro de 2020

Petrolândia Eleições 2020: Em evento de apoio à chapa do 14, senador Fernando Bezerra Coelho afirma em entrevista a Assis Ramalho que governo atual do município é desaprovado pela população e anuncia 54% de popularidade de Bolsonaro no Nordeste

Em entrevista à reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia, o senador Fernando Bezerra Coelho confirmou a adesão do MDB à candidatura de Fabiano Marques (PTB) à Prefeitura de Petrolândia


O senador afirmou que este ano só vão conseguir reeleição os gestores que fizeram gestões que agradaram à população. Ele citou e repetiu que Petrolândia tem uma administração ruim, por isso apoia a candidatura de Fabiano. Segundo o senador, líder do governo no Senado, a eventual vitória de seu candidato facilitará as articulações do município nas demandas com o governo federal. 


Como líder do governo federal, o senador acompanhou o presidente Jair Bolsonaro em visitas para inauguração de obras no Sertão de Pernambuco, esta semana. Na entrevista, FBC afirma, em primeira mão, que nova pesquisa aponta que Bolsonaro conquistou o apoio de 54% da população no Nordeste e credita o feito à atenção do presidente aos mais pobres, com a criação do Auxílio Emergencial para minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Sobre sua candidatura ao Governo de Pernambuco, FBC desconversou, mas, sem desmentir que poderá ser candidato a governador. As eleições de 2022 serão discutidas mais para a frente, disse o petrolinense.

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) esteve na tarde desta sexta-feira (02/10) em Petrolândia, no cumprimento da agenda de encontros políticos com candidatos no Sertão. Antes de Petrolândia, o senador visitou Inajá e Tacaratu, onde parou também no distrito de Caraibeiras. O senador estava acompanhado pelos filhos Antonio Coelho, deputado estadual, e Fernando Filho, deputado estadual, ambos filiados ao DEM. Em Petrolândia, o encontro político aconteceu no Projeto Apolônio Sales, na residência da sra. Amélia Jaques Marques, onde se reuniram apoiadores e candidatos da coligação Petrolândia  pode mais (PTB/PSD/Republicanos/MDB), em prol da chapa majoritária Fabiano Jaques e Rogério Novaes, encabeçada pelo PTB. 

No evento selou, oficialmente, a adesão do MDB à candidatura de Fabiano Marques (PTB) à Prefeitura de Petrolândia, o senador gentilmente concedeu entrevista à reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia. Na entrevista, o senador afirmou que este ano só vão conseguir reeleição os gestores que fizeram gestões que agradaram à população. Ele citou e repetiu que Petrolândia tem uma administração ruim, por isso apoia a candidatura de Fabiano. Segundo o senador, líder do governo no Senado, a eventual vitória de seu candidato facilitará as articulações do município nas demandas com o governo federal. 

Como líder do governo, o senador acompanhou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em visitas para inauguração de obras no Sertão de Pernambuco, esta semana. Na entrevista, FBC afirma, em primeira mão, que nova pesquisa aponta que Bolsonaro conquistou o apoio de 54% da população no Nordeste e credita o feito à atenção do presidente aos mais pobres, com a criação do Auxílio Emergencial para minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 

O senador explicou o Renda Brasil, programa em estudo pelo governo federal para substituir o Bolsa Família. 

Sobre sua candidatura ao Governo de Pernambuco, FBC desconversou, mas, sem desmentir que poderá ser candidato a governador. As eleições de 2022 serão discutidas mais para a frente, disse o petrolinense.

Confira a entrevista no vídeo abaixo:




Veja também

>>Em Petrolândia, deputado federal Fernando Filho participa de evento em apoio à candidatura de Fabiano e Rogério Novaes e concede entrevista ao Blog de Assis Ramalho

Confira abaixo fotos do evento político desta sexta-feira (02/10/2020)











































Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotose vídeos; Lúcia Xavier/BlogAR

Fiscalização preventiva integrada da Bacia do São Francisco é finalista do prêmio CNMP 2020

O projeto Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) da Bacia Hidrográfica do São Francisco é um dos finalistas do Prêmio CNMP 2020, na categoria indução de políticas públicas. A FPI é um programa que envolve Ministérios Públicos dos estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas, Minas Gerais e Sergipe, o Ministério Público Federal, além do Comitê da Bacia do São Francisco e da Agência Peixe Vivo. O resultado será conhecido na solenidade de premiação, que será integralmente virtual, transmitida pelo canal oficial do CNMP no YouTube, no dia 12 de novembro, no encerramento do I Congresso do Ministério Público brasileiro.

Conforme explica o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Caop Meio Ambiente), promotor de Justiça André Felipe Menezes, “a inscrição foi como um projeto idealizado pelo Ministério Público Estadual da Bahia, por ter sido o primeiro a dar início à FPI, com a cogestão do projeto pelos cincos MPs estaduais, entre eles o de Pernambuco, e o MPF, Comitê da Bacia do São Francisco e Agência Peixe Vivo”. Destacou ainda que é a “primeira vez que isso acontece no Prêmio do CNMP, por causa da atuação interestadual em virtude da abrangência da Bacia Hidrográfica”. A coordenação geral da FPI em Pernambuco é do Caop Meio Ambiente. No Estado, a FPI já abrangeu partes do Sertão do Pajeú e de Itaparica.

O projeto FPI concorre com os projetos Conexão de Direitos, do Ministério Público do Acre; e Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Várzea Grande, do Ministério Público do Mato Grosso. Clique aqui para ver os demais finalistas das outras categorias.

Sobre o Projeto – a FPI possui uma atuação interestadual, iniciada em 2002 em sua porção baiana, alcançou em 2018 os principais estados da Bacia: Bahia, Alagoas, Sergipe, Minas Gerais e Pernambuco. O objetivo é melhorar a qualidade ambiental da bacia e qualidade de vida do seu povo, com ênfase para os povos tradicionais diante do quadro da injustiça social.

Os resultados são muitos e diversos, como a realocação em massa de famílias de catadores que viviam em lixões, a recuperação de mercados públicos, açougues e abatedouros, a regularização de atividades de piscicultura, e alguns resultados são imediatos em campo, como o embargo de mineração em território indígena, a atuação em captações ilegais de água por irrigantes, a interdição de lixões e o resgate de animais silvestres em cativeiro.