terça-feira, 27 de outubro de 2015

Petrolândia/Tacaratu: Familiares e amigos se despedem de Severino Estêvão (Burra Branca )



A missa de corpo presente foi celebrada na Igreja de Nossa Senhora da Saúde (Tacaratu): Companheiros da AVEPE conduzem o corpo com destino ao cemitério local.

Tristeza e dor marcaram o sepultamento de Severino Estêvão Sobrinho, mais conhecido como 'Burra Branca' da Barreiras realizado na manhã desta terça-feira (27), no cemitério de Tacaratu. Amigos e familiares acompanharam o cortejo, no último adeus a Burra Branca.

O falecimento ocorreu na noite de domingo (25) na cidade de Petrolândia. O crime aconteceu na Avenida Vereador Manoel Pereira de Lima, nas proximidades da Academia das Cidades.

Segundo informações apuradas, o servidor da Prefeitura de Petrolândia vinha do Projeto Apolônio Sales, com destino ao centro da cidade, quando foi surpreendido com disparos de armas de fogo, vindo a morrer dentro do seu automóvel.

À família enlutada, nossas condolências pela perda


Burrinha, em pé de camisa amarela apreciando jogo de dominó na sede da AVEPE (Associação dos Veteranos Desportistas de Petrolândia) - foto: Assis Ramalho

Petrolândia: "A força do nosso grupo vai nos levar à vitória em 2016'', diz Fabiano Marques, em entrevista ao Blog de Assis Ramalho e à Web Rádio Petrolândia

Entrevista será reprisada nesta quarta-feira (28), no programa ''Acordando com as Notícias'' na Web Rádio Petrolândia. apresentado por Assis Ramalho de segunda a sábado, das 05h30 às 08h30.

A pouco mais de um ano para as eleições para escolha do novo prefeito, vice-prefeito e vereadores, já começam a aparecer no cenário político de Petrolândia as primeiras chapas. Na tarde desta segunda-feira (26), em entrevista exclusiva à reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia, o presidente da Câmara Municipal, Fabiano Jaques Marques (PTB), anunciou oficialmente que será candidato a prefeito e ainda confirmou o nome do vice, que segundo ele será o vereador Rogério Novaes (PSD).

Confira abaixo na integra a entrevista;

Assis Ramalho
: Primeiramente, lhe agradeço por receber a reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia em seu gabinete, e gostaria de saber se sua candidatura está firme e se você realmente é [pré]candidato a prefeito em 2016.

Fabiano Marques: Eu é que lhe agradeço por você vir até aqui, para que eu tenha essa oportunidade de falar para o povo de Petrolândia. Assis, hoje, eu posso dizer que a nossa candidatura está posta de uma maneira que vem da base para cima, e não de cima para baixo, como algumas pessoas estão acostumadas a fazer em nosso município. A nossa candidatura, ela foi construída a partir de uma união de seis vereadores de mandatos, que não se conformaram com o andamento das coisas em nosso município. E, com a coragem e a determinação desses vereadores, dos quais eu faço parte, nós resolvemos tentar mudar a conjuntura política do nosso município. Nas eleições de 2014 nós vencemos um grande desafio, onde mostramos a algumas pessoas que diziam que a gente iria morrer na praia. Mas, nosso grupo continuou forte e venceu a eleição de 2014, fazendo o deputado federal mais votado do município, que foi o deputado Zeca Cavalcanti [PTB]. Também demos quatro mil votos ao deputado estadual Rodrigo Novaes [PSD]. Foram 4 mil votos a um e 4 mil votos a outro, e isso foi comprovado que foi voto de um grupo e não de uma pessoa só. É tanto, que nós enfrentamos uma grande estrutura. Enfrentamos a prefeitura, com mais cinco vereadores de situação, o prefeito, vários ex-prefeitos, vice-prefeita, e desbancamos todos. O candidato deles teve 3.600 votos e o nosso teve 4.000, e foi uma grande vitória de nosso grupo. Hoje, eu posso dizer pra você que a nossa candidatura ela está encorpada com o reforço, não só dos seis vereadores como também dos aproximados 60 pré-candidatos a vereadores, onde dez partidos nos apoiam. Também temos o apoio do ministro Armando Monteiro, de dois deputados federais, de dois deputados estaduais e nós temos, principalmente, o clamor do povo, que é o sentimento de mudança, que é o sentimento de quem está cansado com o que está aí no nosso município.

Assis Ramalho: O fato de você ter feito parte da base do governo atual, durante muitos anos, você acha que isso pode lhe prejudicar (durante a campanha), ou você acha que será um handicap a seu favor?

Fabiano Marques: Eu acredito que não, Assis. Porque não foi nós que mudamos, foram eles. Quando nós fazíamos parte desse grupo, o pensamento era outro. Se pensava mais na cidade. Não tinha um desejo individual, não era uma pessoa só que mandava, como hoje é visto em nossa cidade. Então, se mudou os conceitos, se mudou o tipo de administrar. Hoje, você vê uma prefeitura que tem em torno de R$ 14 milhões e 300 mil reais em caixa, e isso fazendo o povo sofrer. Hoje, nós temos um projeto de abastecimento de água do Bairro Nova Esperança, onde o custo total é de R$ 4 milhões, e não se tem a mínima vontade de fazer a população daquele Bairro feliz com a colocação da água. Nós temos asfaltos para se fazer nas Agrovilas, temos serviços essenciais sem funcionar. Então, foi essa vontade, foi esse motivo que fez a gente mudar, porque nós tivemos a coragem. Nós saímos de um grupo no começo de um mandato e, se a população perceber, ela vai ver que se a gente fosse aproveitador, tivéssemos [agido] com oportunismo, nós jamais iríamos mudar no começo de nosso mandato. Nós iríamos usar dos benefícios que uma prefeitura proporciona ao seu parlamentar, e iríamos deixar para romper na última hora. Hoje, nós podemos dizer que estamos cacifados para enfrentar a Prefeitura de Petrolândia. A prova está aí, o povo de Petrolândia nos deu a vitória na eleição de 2014. Em 2014, em relação a [eleição para] governador, o nosso grupo [que apoiou Armando Monteiro, do PTB] perdeu por 300 votos para todos os outros grupos que apoiaram a candidatura de Paulo Câmara. O nosso [candidato a] Senador, que foi João Paulo (PT), perdeu por 170 votos, tendo obtido quase 7 mil votos, sem pisar em Petrolândia. Então, isso foi a força de um grupo, e é essa força que vai nos levar, com certeza, a vitória no próximo ano.

Assis Ramalho: Com seus quatro mandatos de vereador, inclusive sendo presidente da Câmara por quatro biênios, você se sente preparado para assumir a prefeitura de Petrolândia?

Fabiano Marques: É uma boa pergunta, Assis. Eu quero dizer a todo povo de Petrolândia que hoje eu me sinto preparado, porque com 16 anos de mandato no Legislativo de Petrolândia, nós conhecemos os quatro cantos de Petrolândia. Nós conhecemos os problemas, e sabemos como resolvê-los. Não adianta só apontar os problemas, tem que procurar soluções e isso nós temos para um futuro breve. Tem o abastecimento do Bairro nova Esperança, que eu acho que é uma prioridade número um do povo de Petrolândia. Também tem o calçamento das agrovilas, asfaltamento do Cinturão Verde, fazer com que Petrolândia volte a ter uma educação de qualidade, um serviço de saúde de qualidade, porque Petrolândia tem uma situação econômica diferente de outros municípios.

Assis Ramalho: Recentemente, em uma entrevista à nossa reportagem o gestor do município afirmou que a crise financeira também vai atingir as câmaras e que a de Petrolândia vai perder em torno de R$ 700 a 1 milhão. Você está preparado para essa perda de recursos, ela é realmente verdadeira?

Fabiano Marques: Mais uma vez ele [o prefeito] está dando uma de mãe Diná. Foi bom você tocar nesse assunto, porque eu quero dizer que as câmaras de todo o país vão sofrer uma redução de duodécimo. Nós sabemos disso, e estamos preparados para encarar isso. Agora, o diferencial nosso, para ele, é porque nós vamos encarar com responsabilidade, olhando nos olhos das pessoas, sem olhar pelas costas, sem mandar recados e sem fazer demissão sem avisar o povo. Nós vamos enfrentar a crise compartilhando com os outros vereadores, com todas as pessoas e com todos os funcionários da Câmara.

Assis Ramalho: Não é com a chamada 'espuma', que aqui acolá o gestor fala?

Fabiano Marques: Pois é Assis. é uma pergunta essencial. Veja bem, eu não queria aqui falar deste rapaz, porque eu prefiro falar do futuro. A população, ela não quer mais saber de desse lengalenga, desse besteirol de política de dizer ''ah! porque fulano faz espuma''. A população de Petrolândia, ela já conhece tão bem essa administração que vem atuando no nosso município, que eu vou lhe dizer uma coisa, que talvez muitos não saibam: o prefeito conseguiu a proeza de, hoje, ter exatos 66% de rejeição da população de Petrolândia. Para que você tenha uma ideia, nas pesquisas dizem que o candidato por ele apoiado, somente 10% da população querem o acompanhar. Então, não sou eu que vou responder a esse rapaz. Quem vai responder é o povo, como vem respondendo nas últimas eleições.

Assis Ramalho: Os candidatos normalmente só anunciam o nome do seu vice em última hora, sempre tem aquele lengalenga. Você já tem em mente o seu vice, para compor a sua chapa?

Fabiano Marques: Eu acho que não há o que esconder. A gente tem uma pessoa no grupo que é um companheiro leal e tem se demonstrado um jovem aguerrido, que vem lutando pelo município como um todo, que é o nosso companheiro Rogério Novaes [PSD]. Então, em primeira mão, eu estou dizendo para você que a nossa chapa está fechada. É Fabiano e Rogério. Não concordamos com aquele negócio de anunciar o nome do vice no dia da convenção. Nós dois, um completa o outro. Ele vem com a zona rural, vem com a garra e com aquela energia que falta nestes políticos. Então eu confirmo aqui, Rogério Novaes em nossa chapa. Também, eu queria dizer a você que os nossos próximos passos é conseguir mais parceiros. Já estamos conversando com outras correntes que querem a mudança de Petrolândia, e pra nós não interessa conversar com ninguém da corrente que quer a continuação, porque o candidato que a situação o indicar, o povo jamais vai deixar de entender que ele vai ser o candidato da continuação. E se é um candidato da situação, aquele mesmo secretário que tem 30 anos de governo vai permanecer. Aquele mesmo chefe de divisão, também. Não estou dizendo aqui que essas pessoas são incompetentes. São pessoas competentes, mas eu acredito que ninguém é insubstituível, e é isso que a gente propõe. A nossa intenção é que o povo de Petrolândia, realmente, faça uma mudança para melhor. E nós estamos nessa caminhada com muita humildade, sem atacar ninguém. Nós somos atacados todos os dias, mas nós achamos que não é esse o caminho. O caminho é o da proposta, e isso nós temos muitas e vamos lutar com propostas para Petrolândia. 

Assis Ramalho: Você sendo eleito, a partir de 2017, quais os pontos prioritários que o seu governo iria atacar, de início.

Fabiano Marques: O nosso primeiro ato seria uma reunião com todos os 11 vereadores, porque acabou a política e vamos todos trabalhar por Petrolândia. Nós iríamos ser parceiros, parceiros pela cidade de Petrolândia.

Assis Ramalho: Muito se fala sobre funcionários que são contratados, que aquilo gera votos, enfim, concurso público é algo que a população clama há muito tempo. Você tem isso na mente do seu governo?

Fabiano Marques: Veja bem. Hoje, o concurso é o essencial, porém existe outras maneiras. Existe a seleção simplificada para professores, para guardas municipais, e hoje você tem que conviver com uma receita variável. Às vezes, você tem um ano com uma receita boa, porém, no ano seguinte você tem uma receita menor. Então, o gestor tem que ter essa responsabilidade com isso aí também. Ele não pode chegar e fazer um concurso para 500 guardas, 500 professores, porque fica fora da realidade do município, e como é que vai pagar? Ele tem que prever todos os anos o aumento do salário mínimo, aumento dos pisos dos professores, aumento do custeio da máquina pública e tem que ver isso com muita responsabilidade. O que que a gente tem visto? A gente tem visto que no ano de 2010, salvo o engano. a receita de Petrolândia deu um salto. E o que é que aconteceu? No meu entender, a minha opinião era o seguinte: como a receita deu um salto, eu seguraria os empregos, seguraria tudo, para consequentemente baixar o percentual de gastos com o pessoal na Prefeitura. Você baixaria de 50 para 35, por aí. E aí, o restante que iria sobrar, você faria investimento na área de educação, na área de saúde, de infraestrutura e aí você estaria preparado, porque é um investimento que você faz e não tem que depois manter ele. Você vai fazer só o custeio dele. Contratação de funcionários, pagamentos de energia elétrica etc. Mas aí, no dia em que caísse a receita, você, logicamente que iria aumentar, mas que iria ficar dentro do limite, e não o que acontece ultimamente que todo o ano o município está no limite prudencial. Eu acho isso uma tremenda irresponsabilidade, mas fazer o quê?

Assis Ramalho: Obrigado por receber a nossa reportagem em seu gabinete, e deixo o espaço para que você  faça as suas considerações finais desta entrevista.

Fabiano Marques: Eu quero deixar uma mensagem de esperança para o povo de Petrolândia, e quero dizer que quando o pessoal me pergunta ''Fabiano, você é candidato?'' eu digo, sou. ''Por quê?'' porque eu tenho tudo que se precisa para ser um candidato a prefeito de Petrolândia. Eu tenho a vivência, tenho o conhecimento de 16 anos como vereador, e 8 anos como presidente da Câmara. Fui eleito, reeleito e reeleito de novo, aonde muitos não acreditavam. E eu queria dizer que nós temos a vontade e, principalmente, a coragem de enfrentar um grupo, uma estrutura grandiosa desta aí. Mas, nós vamos enfrentar porque nós temos parceiros, nós temos partidos, nós temos coragem e vontade, temos grupo e temos pessoas. Não é uma coisa individual de Fabiano, o nosso nome veio da base, não foi uma coisa imposta por ninguém. Está aqui, [presentes à entrevista] os colegas vereadores, que não me deixam eu falar nada que não seja verdade, e inclusive a nossa entrevista está sendo em grupo, como você está vendo aqui. A gente não tem nada que esconder de ninguém. O que a gente pensa, é o que o povo vai saber. Então, é essa mensagem que eu deixo para o povo de Petrolândia, que tenham fé e que daqui a 14 meses esse mandato está se acabando. A gente quer essa oportunidade de servir ao nosso povo de uma outra forma, porque nós já servimos como 16 anos de vereador e agora a gente quer servir à frente da Prefeitura Municipal de Petrolândia. Encerro essa entrevista com a seguinte frase: existe político que faz o bem e o que pensa em se dar bem.

Ouça a reprise da entrevista nesta quarta-feira (28) no programa ''Acordando com as Notícias'' na Web Rádio Petrolândia. apresentado por Assis Ramalho de segunda a sábado, das 05h30 às 08h30.

O programa ''Acordando com as Notícias'' apresenta notícias locais, regionais, nacionais, internacionais, política, polícia, economia, cultura, esportes, manchete dos jornais do dia, utilidade pública, entrevistas, entretenimento e muito mais,

A Web Rádio Petrolândia funciona na Internet, no site www.webradiopetrolandia.com.br, com o objetivo de levar a voz de Petrolândia aos petrolandenses em sua própria cidade e além das divisas e fronteiras.

Para instalar o aplicativo da Web Rádio Petrolândia no seu celular ou tablet, clique aqui>app Web Rádio Petrolândia

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Assis Ramalho

Petrolândia: Cardiologista Dr. Cleobenysson Cruz agora atende também na MedClinic Clínica Especializada

Cleobenysson Cruz/MedClinic

Petrolândia: Celpe informa falta de energia elétrica no sábado (31) em ruas da Quadra 13

Escritório da Celpe em Petrolândia (Foto: Assis Ramalho)

A CELPE informa aos seus clientes que no próximo sábado (31) está programada a interrupção do fornecimento de energia elétrica que atende as unidades consumidoras localizadas na Quadra 13, nas ruas: Av. Nossa Senhora do Carmo, Rua Santo Antônio, Rua São Pedro, Rua Santa Rita, Rua Santa Clara, Rua Nossa Senhora da Saúde e Rua Maria Arlete da Silva

A suspensão da energia elétrica no horário das 07:00 as 13:00 visa à realização de trabalhos para melhoria da qualidade do serviço prestado pela CELPE.

A CELPE salienta que fará todos os esforços para que os trabalhos sejam concluídos o mais breve possível e agradece a compreensão dos clientes.

Redação do Blog de Assis Ramalho
Com informações de Maurecy/CELPE-Escritório Petrolândia

Petrolândia: Amigos da Comunidade alegram o Dia da Criança na Agrovila 3 do Antônio Conselheiro




Os grupo Amigos da Comunidade realizou evento em comemoração ao Dia das Crianças na Agrovila 3 do Projeto de Assentamento Antônio Conselheiro. Com organização de Alba, no dia 12 deste mês de outubro, foram distribuídos brinquedos, guloseimas e alegria às crianças daquela comunidade.

Faça parte do grupo Amigos da Comunidade e venha fazer o bem sem olhar a quem. Facebook: Amigos da Comunidade

Amigos da comunidade é uma grupo que tem o propósito de ajudar a comunidade da cidade e realizar eventos, como o dia das mães, dia das crianças e o Natal.
Ver mais fotos>Dia das Crianças na Agrovila 3 PA Antônio Conselheiro

Redação do Blog de Assis Ramalho
Com informações e fotos de Alba/Amigos da Comunidade

Trabalhadores do Banco do Brasil e da Caixa Econômica decidem encerrar a greve no estado

Agências dos dois bancos públicos voltam a abrir nesta quarta-feira. Apenas os trabalhadores do Banco do Nordeste seguem com a paralisação

Um dia após os trabalhadores dos bancos privados encerrarem a greve no estado, os profissionais do Banco do Brasil e da Caixa Econômica em Pernambuco decidiram aceitar a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e voltam ao trabalho nesta quarta-feira.

Como os colegas dos bancos privados, eles vão receber um reajuste de 10% sobre os salários, piso e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e um aumento de 14% sobre os vales refeição e alimentação. Também fecharam acordos específicos.

Já os trabalhadores do Banco do Nordeste (BNB) não aceitaram a proposta patronal e continuam com a paralisação. Uma nova assembleia será realizada pelos trabalhadores às 17h desta quarta.

Ameaça ao abastecimento de água no Sertão rende discussão no Plenário da Alepe

Alerta: Rodrigo Novaes revelou preocupação com baixo nível da Barragem de Sobradinho. (Foto: Giovanni Costa)

No nível mais baixo da história, a Barragem de Sobradinho – que abastece projetos de fruticultura irrigada no Sertão do São Francisco – pode chegar ao volume morto em dezembro, alertou o deputado Rodrigo Novaes (PSD) durante a Reunião Plenária desta terça (27). O parlamentar criticou o fato de o reservatório ser gerido pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que, segundo Novaes, privilegia a geração de energia em detrimento do abastecimento de água.

“Vivemos a pior seca dos últimos 83 anos, por isso é melhor que sacrifiquemos a capacidade de geração de energia para priorizar os empregos da fruticultura e o consumo humano”, analisou, lembrando que a demanda por eletricidade pode ser suprida por outras fontes. O parlamentar foi incisivo nas críticas ao Governo Federal, responsável pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paraíba (Codevasf). “A União parece não saber o que acontece no Sertão”, queixou-se.

Brejo da Madre de Deus: MP recomenda à Câmara Municipal reestruturar cargos e funções


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao presidente da Câmara Municipal de Brejo da Madre de Deus, vereador Hilário Paulo da Silva, elaborar, no prazo de 30 dias, proposta de reestruturação dos cargos e funções atualmente existentes na Casa. No mesmo prazo, o vereador deve informar ao MPPE o número de cargos efetivos e comissionados e de funções gratificadas, além da descrição das atividades desempenhadas por cada um dos cargos ou funções.

Além disso, caso acate a recomendação, o presidente da Câmara também deverá abster-se de realizar novas admissões de servidores em desconformidade com as regras contidas na Constituição Federal. Se for o caso, a Casa Legislativa deverá promover concurso público para viabilizar o provimento de cargos efetivos.

Segundo o promotor de Justiça Antônio Rolemberg Feitosa Júnior, um Relatório de Auditoria do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), exercício 2013, realizado pela equipe da Inspetoria Regional de Bezerros, constatou elevado número de servidores comissionados na Câmara de Vereadores de Brejo da Madre de Deus.

Afogados da Ingazeira: Oficina do Sebrae orienta gestores sobre compras aos pequenos empresários


Desde 2006, com a publicação da lei complementar 123, os gestores públicos são orientados a priorizar a compra governamental dos pequenos negócios locais. A lei representa um avanço na direção do desenvolvimento local.

Desde que a Prefeitura de Afogados da Ingazeira e o SEBRAE se juntaram na criação da sala do empreendedor, o poder público tem direcionado sua ação no fortalecimento dos pequenos empreendedores individuais. Seja com capacitação, seja com incentivos para o acesso ao crédito e ao fomento.

Agora, a Prefeitura dá início a uma nova etapa: o direcionamento das compras governamentais em benefício dos pequenos, assim como preconiza a legislação pertinente. Nesta segunda-feira (26), na Secretaria de Administração, teve início uma capacitação oferecida pelo SEBRAE aos integrantes das diversas comissões de licitação existentes na gestão. Durante toda a tarde, o consultor do SEBRAE, Alberto Barbosa de Lima, orientou os gestores no tocante ao tema “licitação pública e as compras governamentais” com ênfase na participação de pequenos e médios negócios.

CPRH registra recorde de licenciamento ambiental de Postos de Combustíveis


Pernambuco se destaca no cumprimento à exigência feita pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Combustível (ANP), com 75% dos postos de combustíveis do Estado licenciados ou em processo de licenciamento ambiental na Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). Por meio da Resolução nº 41/2013, a ANP, responsável pela regulação da atividade econômica de revenda varejista de combustível automotivo, estabeleceu o prazo (finalizado no último dia 20 de outubro) para que os postos de combustíveis procurassem os órgãos ambientais em todo o Brasil, com o objetivo de atender a essa solicitação. O percentual reflete a preocupação dos donos dos postos de combustíveis em cumprir a Resolução.

Para intensificar a atuação nos postos de combustíveis chamando atenção para a necessidade de regularizar a situação de revenda de combustíveis em novos pontos, bem como aqueles que já estejam em operação, a CPRH contou com a parceria do Sindcombustíveis. O resultado afastou os possíveis problemas de abastecimento do mercado local, que poderiam acontecer devido a obrigatoriedade da nova documentação como condição para o exercício da atividade.

Humberto elogia posição da Fetape em defesa da democracia

Humberto Costa (Foto: Pedro França/Agência Senado)

Após a divulgação de manifesto da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape) em defesa da legitimidade do mandado da presidente Dilma Rousseff (PT), o líder do PT no Senado, Humberto Costa, ressaltou a relevância da reação dos movimentos sociais e de grupos organizados contra a ameaça de golpe, que vem sendo planejada pela oposição.

Segundo o líder, ações de organizações como a Fetape vêm crescendo em todo o País. “O que a gente está vendo é uma grande reação daqueles que sabem da importância da democracia, que defendem os avanços conquistados e se posicionam amplamente contra o discurso cada vez mais reacionário de setores da oposição e essa ameaça de golpe. A gente vê a manifestação de vários setores contra esse tipo de postura. São intelectuais, trabalhadores rurais, empresários. Todos sabem o que está em jogo. É uma reação à ameaça ao Estado democrático de direito”, afirmou o senador.

Deputado Augusto César elogia realização de primeira cirurgia de estrabismo em Serra Talhada

Segundo Augusto César, intervenção cirúrgica contemplou criança de 11 anos. (Foto: João Bita)

A realização da primeira cirurgia de correção de estrabismo na cidade de Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, foi destacada pelo deputado Augusto César (PTB), na Reunião Plenária desta terça (27). O procedimento, realizado no Hospital São Vicente, no último sábado (24), beneficiou uma criança de 11 anos.

O parlamentar ressaltou que esse tipo de intervenção cirúrgica deve se tornar permanente na cidade, já que a oftalmologista Regina Lucena, responsável pelo procedimento, deve atuar exclusivamente no município a partir do ano que vem. “Isso mostra como Serra Talhada, que já tem um curso de medicina, vem se destacando na área médica. Com o atendimento mais qualificado na cidade, as pessoas deixam de ter que ir para outras localidades”, apontou o petebista.

Alepe

Crise econômica: durante “Café com Política”, Fernando Bezerra defende que governo controle e poupe recursos públicos


Afinado ao pensamento do renomado economista Paulo Rabello de Castro, coordenador do Movimento Brasil Eficiente, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) defendeu hoje (27), como principais caminhos para o Brasil sair da crise econômica, que o governo federal contenha gastos, poupe ao máximo o orçamento e planeje investimentos. Nesta manhã, Fernando Bezerra participou do “Café com Política”, encontro proposto pelo senador, promovido pelo Partido Socialista Brasileiro, na Fundação João Mangabeira, em Brasília.

“Não vamos sair desta crise sem sacrifícios”, ressaltou Bezerra Coelho, ao sugerir “mais ousadia” na condução das políticas fiscal e monetária. “O país precisa economizar. Por exemplo, para cada R$ 1 do orçamento fiscal, vamos poupar R$ 2 do orçamento monetário, da despesa com os serviços da dívida pública. Ou seja, se conseguirmos economizar R$ 100 bilhões, reduziremos R$ 200 bilhões com o pagamento dos serviços da dívida”, avaliou o senador durante o “Café com Política”, que, a convite de Fernando Bezerra, contou com a presença de Paulo Rabello de Castro. Também participaram do encontro senadores e deputados pessebistas, lideranças do partido – como os presidentes do PSB, Carlos Siqueira, e da Fundação João Mangabeira, Renato Casagrande – além de convidados e especialistas em política.

Cisternas instaladas pela Codevasf garantem água para famílias do semiárido alagoano

Foto: Joselito Menezes de Souza/Codevasf

Maria Cicera Barbosa, moradora do povoado Areia Branca, no município de Olho D’Água das Flores, no semiárido alagoano, foi uma das beneficiadas pela Codevasf com cisternas de polietileno do Programa Água para Todos. Ela conta como o reservatório trouxe tranquilidade a sua vida.

“A gente passava muito aperto sem água, mas depois que a gente recebeu a cisterna, tudo mudou. O verão agora tá mais sossegado, a gente tem água para cozinhar, para beber, mudou tudou”, afirma a agricultora.

A família de Natalício Barbosa, de 84 anos, também foi beneficiada. Ele mora na comunidade quilombola Porção, na zona rural do município de Jacaré dos Homens. Antes da chegada da cisterna era preciso andar muito para pegar água para beber. Depois que a cisterna chegou tudo mudou.

Juazeiro/BA: Avanço na Educação é ressaltado em discurso do Vereador Agnaldo Meira


Munido de um gráfico abrangendo o período de 2000 a 2014, o Vereador Agnaldo Meira (PC do B), fez na sessão desta segunda-feira (26/10) uma didática exposição sobre a evolução dos investimentos em educação no Brasil e em Juazeiro.

Em 2002 o valor aplicado na educação em todo o País não chegava a 6 bilhões de reais. Em 2014 o valor aproxima-se de 60 bilhões. “Foi um salto significativo” – disse – “Levando-se em conta que hoje filhos de trabalhadores rurais e os mais carentes tem acesso à universidade e a ensino de qualidade”.

Fez um paralelo com os avanços da educação em Juazeiro, onde nos últimos anos foram construídas duas dezenas de creches, climatizadas quase todas as unidades da rede, multiplicado e melhorado o transporte escolar, com qualificação continuada dos professores.

Canavieiros conquistam salário de R$ 863


Trabalhadores e trabalhadoras da palha da cana conquistaram um reajuste de 10,08%, elevando o salário da categoria de R$ 784 para R$ 863, durante a sétima rodada de negociações da 36ª Campanha Salarial dos Canavieiros e Canavieiras de Pernambuco, realizada na tarde de ontem (26), e que seguiu até a madrugada de hoje, no auditório da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), no bairro do Espinheiro, no Recife.

O valor da cesta básica passou de R$ 30 para R$ 35, o que representa um aumento de 16,67%, com ganho real de 6,16%. Já o piso salarial ficou em R$ 15, havendo acréscimo de R$ 1,00. É importante lembrar que, como a data base da categoria é em 1º de outubro, esses valores já estão em vigor.

Mesmo conquistando avanços importantes nesta campanha, a categoria não saiu satisfeita com a postura dos empresários durante as negociações. “Até então, nós vínhamos tendo uma relação sustentável, na medida do possível, pois sabemos que durante esse processo, a flexibilidade se faz necessária, em benefício de milhares de trabalhadores e trabalhadoras da Zona da Mata. Ao que parece, essa relação patrão x empregado ficou bastante enfraquecida durante o processo de negociação deste ano. Por isso, reafirmamos o nosso compromisso de continuarmos firmes na luta em defesa dos direitos dos assalariados, fortalecendo nossas bases para os próximos embates”, avisa Doriel Barros, presidente da Fetape.

Água do reservatório de Sobradinho perto do fim


A Agência Nacional de Águas (ANA) deve anunciar, nesta terça-feira (27), a redução da vazão do Reservatório de Sobradinho, na Bahia, de 900 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 800 m³/s. A decisão virá depois que o lago artificial - o maior do mundo com 320 quilômetros de extensão - registrou, no último domingo (25), o pior nível em 14 anos, apenas 5,14% de sua capacidade total (34,1 bilhões m³). Mais do que diminuir o fluxo de água, os técnicos da estatal deverão determinar o que deve ser a prioridade na barragem: o abastecimento humano e animal, a geração de energia elétrica ou a fruticultura irrigada.

Professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), especialista em recursos hídricos, Vicente de Paula avalia que a ANA não tem uma decisão fácil a ser tomada e que a única certeza é a diminuição da vazão para preservar o máximo a água do reservatório. “Quando falamos de água a primeira função garantida deve ser o abastecimento humano e animal. No entanto, estamos em um momento delicado tanto do ponto de vista da energia, quanto da economia, e mexer com a produção de frutas, é mexer com cidades inteiras. De fato, temos um dilema difícil”, afirmou.

Josilda Marques e Flávio Henrique são destaques na programação de hoje da Web Rádio Petrolândia

Assistente Social Josilda Marques, um manancial de fé e oração na Web Rádio Petrolândia

A comunicadora revelação da Web Rádio Petrolândia, Josilda Marques, convida a comunidade para assistir ao programa Amigos de Cristo, apresentado às terças-feiras, das 18 às 20 horas. O programa de hoje (27), é especialmente dedicado à oração pela paz em Petrolândia, cidade assustada pelos crimes ocorridos na semana passada. 

No horário seguinte, das 20 às 22h, o jovem Flávio Henrique, locutor e grande talento como apresentador de nossa web rádio, apresenta o programa Trânsito Livre, referência em lançamentos, sucesso e bom gosto musical. Flávio Henrique é também ator: lembram do Cristo na encenação da Via Sacra na Semana Santa? É ele! 

Os melhores profissionais da comunicação de Petrolândia estão na Web Rádio Petrolândia. Assis Ramalho, com o programa Acordando com as Notícias (das 05h30 às 8h30), Edson Rosa com o Show do Brega (segunda a sexta, exceto terça, das 17 às 19h), a comunicadora revelação Josilda Marques, com os programas Amigos de Cristo, às terças (18 às 20h), e Socializar é Preciso, aos sábados (18 às 20h), e Flávio Henrique com o melhor programa musical da região, o Trânsito Livre (sinal verde para o sucesso!), de segunda a sexta, das 20 às 22h, exceto nas noites em que há sessões públicas da Câmara de Vereadores, transmitidas ao vivo pela Web Rádio Petrolândia, em serviço de utilidade pública à comunidade, a partir das 19h.

Web Rádio Petrolândia é também um canal aberto e gratuito para a participação comunitária, para dar voz à comunidade, às organizações comunitárias, às igrejas, às empresas, aos sindicatos, às associações. Ligue (87) 9 9955 1186.  

A Web Rádio Petrolândia funciona apenas na Internet, no site www.webradiopetrolandia.com.br, e tem como objetivo levar a voz de Petrolândia aos petrolandenses em sua própria cidade e além das divisas e fronteiras. Política, economia, cultura, esportes, utilidade pública e muito mais, é o que levamos aos ouvintes da Web Rádio Petrolândia.

Há 4 maneiras de ouvir a Web Rádio Petrolândia. Veja abaixo e escolha a melhor!

Policiais da 4ª CIPM realizam apreensão de 104 Kg de maconha em Petrolândia

Droga encontrada dentro de carro em Petrolândia (Fotos: Polícia Militar e Polícia Civil)



Durante a madrugada de hoje, Policiais Militares da 4ª CIPM de Petrolândia, Equipe GT-411, realizando rondas e abordagens de rotina pelas ruas da cidade, aproximadamente às 01h desta terça-feira (27/10), se depararam com um veículo em situação suspeita, e que transitava por uma estrada vicinal, próximo à antiga Escola Agrícola, no Bairro Nova Esperança, para pegar a BR-316, e seguir destino até o momento ignorado.

O veículo, um VOYAGE, com a placa KHJ-4400, da cidade de Recife, PE, foi abordado pelos policiais Cab Fábio, Sd José Luiz e Sd G. Monteiro, e após uma revista minuciosa no seu interior, foram encontrados exatamente 104 kg (cento e quatro quilos) de maconha pronta para o consumo, e que estava dentro de sacos, embalada em pacotes de plástico.

Após a abordagem e flagrado o ilícito, fora dado voz de prisão aos dois elementos, um homem de 29 anos, natural de Floresta, e outro de 28 anos, de Orocó. Também foi encontrado de posse de um deles, uma pequena quantidade de crack.

Os dois elementos presos, juntamente com a maconha e o crack, foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Plantão na cidade de Floresta, onde policiais militares da 4ª CIPM de Petrolândia registraram um Boletim de Ocorrência, e os dois elementos foram autuados em flagrante por tráfico drogas.

Esta apreensão de drogas, e a prisão dos dois traficantes, em plena madrugada desta terça-feira, mostra que a Policia Militar da 4ª CIPM, vem trabalhando incessantemente ao enfrentamento não só ao tráfico de drogas, como também ao combate do CVLI.

Cap PM Leite/SDS- PMPE- DINTER II- 4CIPM

Facepe e Biozeus investem R$ 1 milhão no desenvolvimento de novos medicamentos a partir da pesquisa acadêmica pernambucana

Inscrições estarão abertas a partir de 16 de outubro e serão selecionados projetos de Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Estado de Pernambuco

A Facepe, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Pernambuco, e a Biozeus se uniram para investir no desenvolvimento de projetos de pesquisa que tenham o potencial de gerar novos medicamentos de uso humano e tenham origem nas universidades e institutos de pesquisa do Estado de Pernambuco. Os projetos devem atender a uma necessidade médica real, com ciência inovadora, com potencial de ser protegido por uma patente e ser levado a pacientes de todo o mundo.

Os projetos selecionados serão financiados com até R$ 1 milhão (dez milhões de reais) no total, sendo que o valor máximo a ser oferecido a cada um será de R$ 400 mil (quatrocentos mil). Após aprovação na prova de conceito positivo, os projetos serão licenciados pela Biozeus e oferecidos para o mercado. As propostas devem ser encaminhadas à Facepe de 16 de outubro a 2 de dezembro e um rigoroso processo de seleção, avaliado pelo Comitê Gestor de Cooperação Facepe-Biozeus, definirá os contemplados em fevereiro de 2016.

Governo Dilma é ruim ou péssimo para 70% dos brasileiros, mostra pesquisa CNT/MDA


A avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff ficou praticamente estável entre julho e outubro, de acordo com levantamento produzido pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), em conjunto com a MDA Pesquisa, divulgado nesta terça-feira, 27. Entre os entrevistados, 70% avaliaram negativamente o governo da petista. Na última pesquisa, divulgada em 21 de julho, o porcentual estava em 70,9% - a variação ficou dentro da margem de erro de 2,2 pontos porcentuais. O governo foi avaliado positivamente por 8,8% dos entrevistados, proporção superior a do levantamento anterior (7 7%).

De acordo com a pesquisa, 18,1% dos entrevistados avaliaram o governo Dilma como "ruim" e 51,9% o consideraram "péssimo". Já para 20,4% dos entrevistados o governo da petista é "regular", enquanto para 7,5% ele é "bom". Apenas 1,3% dos entrevistados classificou o governo como "ótimo". O porcentual dos entrevistados que não souberam ou não responderam foi de 0,8%.

Desempenho pessoal

Quatro morrem em troca de tiros entre ciganos e quilombolas na BA



Uma troca de tiros entre ciganos e moradores de uma comunidade quilombola da Fazenda Gatos de Vesperino, zona rural da cidade de Riacho de Santana, sudoeste do estado, deixou quatro pessoas mortas e ao menos duas baleadas, entre elas um menino de 11 anos, na segunda-feira (26).

Foram dois mortos do grupo de ciganos e os outros dois da comunidade quilombola. Entre os mortos está uma idosa de 69 anos. De acordo com o delegado de Riacho de Santana, Antônio Rosélio Marques, a investigação aponta que o conflito teria começado em julho, quando um dos ciganos cobrou uma dívida de R$ 20 a um quilombola e acabou morto. Um dos homens que foi baleado na segunda-feira é suspeito do crime.

UPAE Garanhuns: Palestra com mastologista mostra a importância da prevenção contra o Câncer de Mama


Por Ronaldo Cesar/Ascom UPAE Garanhuns

A UPAE Garanhuns realizou na última quinta-feira (22) mais um encontro do Ciclo de Palestras, como parte das atividades relacionadas ao Outubro Rosa. Desta vez a médica mastologista Dra. Tereza Cristina versou sobre as formas de se detectar precocemente o Câncer de Mama, tanto com o auto-exame, quanto com a realização de mamografias e ultrassons. A apresentação foi principalmente para os funcionários, em grande parte as mulheres, mas teve também pacientes e acompanhantes assistindo a palestra. O evento teve supervisão da coordenadora de enfermagem, Tayana Guerra.

Também estava presente uma representação do Lions Clube Garanhuns Cidade das Flores, que mostrou ações desenvolvidas pelo clube em Garanhuns e distribuiu rosas a todas as mulheres na palestra, como forma de simbolizar a luta contra o Câncer de Mama. O presidente do clube, Byron Veras,parabenizou a UPAE Garanhuns pelo trabalho realizado.

Lucas Ramos: "Precisamos nos unir para enfrentar a violência contra a mulher"

Em discurso na Assembleia Legislativa, deputado destaca tema de redação do Enem e registra passagem do Dia Internacional contra a Exploração da Mulher

“A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”, tema escolhido para a prova de redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), não foi assunto apenas das salas de aula. Os parlamentares pernambucanos posicionaram-se acerca do tema, que gerou discussões em todo o Brasil logo depois de sua divulgação.

Na Assembleia Legislativa de Pernambuco, quem iniciou a análise do assunto foi o deputado estadual Lucas Ramos (PSB). Em seu discurso desta segunda-feira (26), o parlamentar elogiou a escolha do tema. “O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, organizador do exame) está de parabéns por abordar um problema tão atual, levar quase 7 milhões de candidatos à reflexão e propagar a Lei Maria da Penha, que completa dez anos de existência no ano que vem”, declarou Lucas Ramos na tribuna da Alepe.

Abertas inscrições para seminário sobre solo e água promovido pela Codevasf

Foto: Zinclar/Codevasf

Estão abertas as inscrições para o Seminário “Solo e Água no Contexto de Desenvolvimento em Bacias Hidrográficas”, uma iniciativa da Codevasf em parceria com o Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (Sinpaf). O objetivo do evento é divulgar pesquisas e socializar metodologias e tecnologias sustentáveis de manejo e conservação da água e do solo em bacias hidrográficas.

Os interessados devem se inscrever no site da Codevasf www.codevasf.gov.br. Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail sabh2015@codevasf.gov.brapós inscrição no site. A temática poderá abranger desde economia e reúso de água até identificação de solos, revegetação, recomposição de nascentes, entre outras vertentes. O Seminário será realizado no dia 04 de dezembro, na sede da Codevasf, em Brasília.

Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf

Garanhuns: Escola Furacão, do Atlético Paranaense, inicia atividades em novembro


Por Fernando Luna

​A partir do início de novembro, estarão abertas as ​matrículas para a ESCOLA FURACÃO
do Atlético Paranaense. A escola de Garanhuns tem como gestores Marcelo Neves Rodrigues, ex-árbitro da FPF (Federa​çã​o Pernambucana de Futebol) e Gestor e técnico da Garanhuns Sports
​ por Thiago Farias (ex-técnico do Centro Limoeirense, Olinda, Ferroviário, técnico de futsal nos Colégios CBV, DOM e GGE, e Gestor da Associação Desportiva HS Esporte). A sede da Escola
funcionará na rua Coronel Antônio Souto, número 95, no Bairro São José.

Para realização das aulas práticas, foi firmado um contrato de parceria e serão realizadas no Campo de Futebol Society com gramado sintético do ​COLIBRI EVENTOS & LAZER, na Avenida Bom Pastor, n 600, Br 424, KM 93 - Em frente à Natto.

A Escola Furacão atenderá alunos nas respectivas categorias:

Petrolândia: Fátima Belém, artesã e fazedora de cultura da Café com Arte, fala sobre a atuação da associação e novos projetos

Fátima Belém, artesã e fazedora de cultura com orgulho (Fotos: Lúcia Xavier)
 Fátima e as meninas do ateliê da Café com Arte
Ateliê da Café com Arte

A artesã Fátima Belém, presidente da Associação Café com Arte de Petrolândia, tem muito o que comemorar neste mês de outubro que, segundo ela, veio recheado com uma tapioca. Recheado de coisas boas para a associação e, por extensão, para a cidade. Em meados do mês, a Café com Arte formalizou com o Sebrae/PE o contrato de uma nova etapa do Sebraetec. Entre os dias 19 e 21, delegadas da associação participaram do Contrarte, congresso nacional de artesãos realizado em Natal, no RN, onde lutou pela sanção presidencial à regulamentação da profissão, sancionada no dia 22, pela Lei Federal nº 13180/2015. Na viagem de volta a Petrolândia, assistiram à apresentação dos projetos classificados na fase final do Funcultura 2014/2015. A associação apresentou dois projetos e um deles foi aprovado: Rede de Artesanato, Rede de Sustentabilidade.

Na manhã dessa segunda-feira (27), a reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia conversou com Fátima Belém, a pequena notável de Petrolândia, mais conhecida como Fafá. Confira abaixo a entrevista.

Lúcia Xavier: Bom dia, Fafá! A Associação Café com Arte teve aprovados projetos que vão ser iniciados ainda este ano ano e em 2016. Por favor, me conte sua história. Eu fico impressionada com a sua capacidade de articulação e de crescer fazendo o coletivo crescer junto.

Fátima Belém: Bom dia, Lúcia! É um prazer estarmos lhe recebendo para essa entrevista. É uma alegria estar, junto com o município de Petrolândia, buscando algo de bom, algo que beneficie a Associação Café com Arte, porque a Associação Café com Arte não deixa de ser meu filho mais novo. Portanto, me emociono muito, gosto muito da equipe que trabalha conosco, a equipe que vive aqui conosco, juntos inovando, trazendo novas ideias, e, sobre o social, com o município, isso também é uma outra parte que eu me preocupo muito. Participamos de vários conselhos [municipais] e, principalmente, o mais antigo, que é o de Ação Social, um conselho que [é importante] para a gente. Para a gente adquirir o que nós trazemos hoje para o município, nós precisamos muito dos conselhos e, graças a Deus, nós temos temos grandes aprovações e os conselhos nos apoiam, principalmente o de Ação Social pra que isso aconteça. A Associação nos dá muita alegria, muito amor, carisma, a unificação. Você sabe que lutar com pessoas não é tão fácil, mas para a Associação Café com Arte, [isso] não é problema, é solução. Sempre procuramos nos unir e trazer o melhor, levando oficinas [de artesanato] para as escolas, levando oficinas pra Casa das Juventudes. E, para aqueles que chegam aqui e dizem "não sou daqui", "vim morar aqui", e hoje precisa estar numa associação, seja bem-vinda. Esse é o nosso afeto com toda a população. Adoro trabalhar com a comunidade e amo o que faço.

Lúcia Xavier: Quantas pessoas fazem parte da Associação Café com Arte, hoje?

Fátima Belém: Diretamente, nós temos 26 associadas mulheres e três homens. E temos os indiretos. Eles entram, aprendem, uns ficam inseridos em fazer oficina, outros não, procuram outro meio de trabalho lá fora. Isso é um direito de cada um. Nós estamos na democracia e ela tem que funcionar. Adoro políticas públicas, sabendo que é difícil, não sei se vou alcançá-las, mas luto e batalho por ela.

Lúcia Xavier: Fafá, você falou em política pública, eu vou perguntar: tem pretensão de concorrer a algum cargo político no futuro?

Fátima Belém: Jamais! Esse não é meu perfil. Poderia ser, se as condições financeiras e a confiança [de obter boa votação] fosse maior. Mas, lhe sou franca, gosto da realidade, não vou. Não vou concorrer vaga nenhuma [na carreira política]. Minhas vagas que eu concorro é uma cadeira na Secretaria de Cultura do Estado, concorro sim; políticas públicas da Secretaria de Cultura, concorro sim; Conselhos, concorro sim; Viagens para vamos lutar por uma vaga no Conselho da Mulher, como vou agora para Brasília, luto sim. Mas, política partidária, voto e respeito, mas não tenho pretensão alguma.

Lúcia Xavier: Semana passada você participou de um congresso em Natal. Por favor, fale desse processo de participação no congresso.

Fátima Belém: Isso aí é uma luta muito antiga. Eu, como Café com Arte, nós sempre tivemos uma alta participação nos congressos, que é o Contrarte (Congresso Nacional de Trabalhadores Artesãos), e essa luta nossa está bem nova, mas vamos falar no grandioso Mestre Vitalino, que não conseguiu. Vamos falar dos muitos outros que não conseguiram, dos vários segmentos que não entravam no Congresso e, hoje, através de muita luta, muita luta mesmo, já fomos a Brasília, já fomos a Belém do Pará, Rio de Janeiro. Perdi a de Espírito Santo por motivo justo, de doença. Mas participei já do quinto congresso que foi, agora, esse de Natal. Um congresso que era tipo assim: nós gritávamos que queríamos que sancionasse já a nossa lei [regulamentação da profissão do artesão]. Nós estávamos lá realmente numa luta, uma luta acirrada mesmo. Queremos sim. Por quê? Porque nós estamos assim [sem profissão reconhecida]. Não é o meu caso hoje [de usufruir tanto das conquistas], Lúcia, porque hoje [os benefícios da lei sancionada] são para nossos associados, para meus filhos, para os netos dos associados. Minha preocupação é essa [com eles] porque já estou quase me aposentando. Mas ainda vou ter o orgulho de ter o carimbo na minha Carteira Profissional e me aposentar como artesã. Tenho outras, como você falou no início da [entrevista], outras ocupações, mas o que mais eu senti meu perfil, eu vou me orgulhar estar com minha carteira carimbada. Foi uma luta, muitos empecilhos. Mas graças a Deus, a gente pedia auxílio a um, a outro, aos governantes, e a luta foi grande, mas graças a Deus a presidenta [Dilma Rousseff] sancionou a nossa lei e hoje nós somos [artesãos de] profissão, e de antemão já vou dizendo que nós vamos ter nossa primeira conferência nacional em Brasília, já está tudo sendo articulado. Vamos ter sim, uma comemoração nossa, a nível de Brasil, e se Deus quiser estarei lá, agradecendo ao nosso prefeito Lourival Simões, que sempre nos apoiou nesse movimento, e agora, ultimamente, nos levou, enviou carro, levando, trazendo, para participar desse evento que foi muito valioso. Mesmo assim, lá ainda continuava aperreando ele, pedindo força, e foi muito viável. Agradeço às minhas meninas [associadas da Café com Arte] que me acompanharam, meninas que não conheciam o movimento, que foi Júcia e Paula, que foram substituindo outras que não puderam comparecer. Como delegada, eu tenho o maior orgulho de ser delegada do Contrarte.

Lúcia Xavier: Você viajou e, na volta você passou em Recife pra fazer o levantamento dos projetos [da Café com Arte]. 

Fátima Belém: Sim, fui visitar a Fundarpe, onde nós estávamos em trâmite com nosso projeto. Chegando lá nós tivemos a surpresa da grande Teca Carlos nos dizer que naquele dia (quinta, 22) seria o dia em que estava dando o resultado final da segunda fase dos nossos projetos. Eu digo "Oh, meu Deus! E vai ser que horas?" "Duas horas da tarde". Graças a Deus, nosso motorista estava lá esperando, mas ele teve a paciência de esperar. Eu disse "não, vou ter que participar". E é assim, Lúcia, quando você faz o projeto, que sai o resultado, diz assim "é feito ao vivo", aí você [em outra cidade] se pergunta "será que é verídico?" Então, pra mim [assistir] foi muito valioso, porque eu tinha essa dúvida. E realmente existe, é verdade, acontece, é muito bem feito, foi muito bom. Eu mesma pedi homenagem, pedi aplausos para a Café com Arte, porque quando você vê o nome... O primeiro projeto não saiu, que era um orgulho nosso e da nossa Primeira Dama, da [Secretaria de] Assistência Social, Anna Tereza, que sonhávamos na [volta da] Banda Alexandre Adolfo de Melo. Não foi possível, porque nós trabalhamos com a cultura, mas não entramos com música nem com bandas. Mas, mesmo assim, como sou insistente, estou mandando o recurso, tentando a gente recuperar o projeto. Se recuperar, é mais um que vai entrar. Mas nosso projeto Redes de Artesanato, Rede de Sustentabilidade foi um prazer, porque hoje nós temos um gargalo muito grande no Café com Arte. Chama-se aluguel. O aluguel é muito pesado, forte. Nós temos um outro local, colocamos o artesanato lá no Centro de Artesanato, mas ainda não suporta, porque são muitos associados, e assim nasceu, teoricamente, o nome. Hoje eu não digo que Café com Arte tem nome. Tem nome e renome. Ele é forte nacionalmente e ainda tem um pedacinho na Suíça. Então eu considero assim nossa associação e o orgulho. Então, quando eu cheguei lá que me disseram, então eu disse, pronto, então foi tudo recheado, igual às tapiocas [da Tapiokinha da Fafá]. Recheado para o Café com Arte o mês de outubro. O mês de outubro foi muito bom, porque nós tivemos assim, um [retorno satisfatório] em cima do outro: o congresso, que foi valioso; depois veio a questão desse projeto [da Fundarpe] e ainda vamos concorrer pra ocupar uma cadeira no Conselho de Preservação do Patrimônio Histórico de Pernambuco. Então essa é uma vaga, vamos ocupar essa cadeira para lutarmos pelo nosso Patrimônio. Somos sete, da Café com Arte, onde vai ser concorrida a vaga através de congressos, através de fóruns e seminários, pra ser tirada uma delegada. Também nós tivemos uma outra surpresa [este mês]. Nós vamos ocupar, na Cultura, uma cadeira para políticas públicas.

Lúcia Xavier: Em nível de Estado?

Fátima Belém: Em nível de Estado. Inclusive vai haver, em Serra Talhada, três dias também de congresso, onde a gente vai já começando a trabalhar a questão dos fóruns. Vão fazer um fórum pra gente já se articular como vamos ocupar essa cadeira. Pra gente ter aquela ousadia - já tenho bastante -, mas a gente poder gritar, um grito saudável, "eu quero", "nós queremos", "nós podemos". O "eu quero" não existe aqui no Café com Arte. É nós queremos, nós podemos e vamos lá, realizar essa conquista.

Lúcia Xavier: Fátima, por que é que seus projetos são tão bem sucedidos? Onde é que você capricha, que você consegue trazê-los pra cá?

Fátima Belém: Essa é a preocupação e a pergunta que muitos me fazem. Muita gente me faz. Então, é assim: se você vai à frente, porque atrás vem outro, você tem a preocupação, você consegue. Agora, é [preciso ter] muita insistência. Eu durmo com a Funarte, eu durmo com a Fundarpe, eu durmo com o Funcultura; eu durmo com o MinC, o ministério, porque é daí [que saem as oportunidades]. E, ontem [domingo, 25], a ousadia foi tanta, que eu ainda fiz a inscrição na Unesco. Ontem, aproximadamente às duas horas da manhã, eu estava fazendo uma inscrição na Unesco. Não sou internauta, mas o que eu posso. Não sei de tudo, minha filha [Patrícia] me ajuda. Ontem terminamos um projeto excelente pra Petrolândia, que foi o projeto Saber Ler. O pessoal está muito preocupado, eu sei que é muito bom a gente se preocupar com a tecnologia, mas hoje é a criança no celular, a criança no computador, e acaba esquecendo o que existe. Quem não lê é pior do que quem não sabe ler. Portanto, eu achei muito importante, tive essa preocupação. Por que nosso objetivo do Café com Arte ter essa preocupação? Porque nós vamos fazer as oficinas nas escolas e lá nós vimos a dificuldade da criança ler, da criança ter a preocupação na leitura. Então, ontem nós fizemos um projeto, que é no valor de trinta mil. Se contemplado, nós colocamos a Quadra 02, que é de Zelinha [Maria Zélia]. Fiz junto esse projeto com a Secretária de Ação Social, Anna Tereza, onde ela lembrou de Zélia. E Zélia, que trabalhou em biblioteca, entrou nesse nosso projeto, que é pra gente trazer três bibliotecas itinerantes para Petrolândia. Então, vai ser um para a Quadra 02, que é onde mora Zélia, e beneficiar a Quadra, que ela teve a preocupação de estar conosco. Outra da Quadra 13 e outra do Bairro Nova Esperança, onde nós vamos entrar. Já pedi ajuda, inclusive, já antecipo, à Casa das Juventudes, porque lá eu coloquei o nosso objetivo na leitura e a leitura tem que ser aprender brincando. Então, nós vamos levar teatro, nós vamos levar a turma da Casa das Juventudes com peças, tudo em cima do por que ler é importante para a nossa vida, a preocupação da leitura. Porque hoje se eu também não me preocupar em ler, como é que eu vou adquirir os conhecimentos? Só na internet, só na internet, não. A criança tem que ler. A minha neta, inclusive, nós já fizemos o cantinho dela, da leitura, pra saber a importância. Eu acho que antigamente a leitura era muito mais importante do que hoje. O pessoal está muito esquecendo desse detalhe. Então é assim Lúcia: a gente tem que procurar. Eu não vou pedir. Eu comecei com o nosso saudoso ali [aponta para um foto] Eduardo Campos, quando ele disse assim, a primeira vez que eu procurei Eduardo. Realmente eu fui para pedir e ele me fez uma pergunta que não sai nunca da minha mente: "Artesã, sua cuia veio vazia, veio cheia ou veio pela metade?" Eu tive vergonha de dizer que ela veio seca, eu disse "não, pela metade", porque a gente já tinha pelo menos conhecimento do que era artesão e artesanato. E eu disse: "Pela metade". "Então, vamos completar", foi o que ele me respondeu. "Vamos completar". E a partir daí foi um elo muito grande entre nós dois, entre a família, pra que a gente conseguisse - não através dele - mas pra gente conseguir entrar em editais, participei muito de oficinas lá em Recife. Não tinha esse negócio de "não posso porque não tenho dinheiro", a gente dava um jeito. E fiquei curiosa de colocar [projetos]. Menina, eu colocava projetos constantemente e não aprovava. Demorou, não foi fácil. Mas, assim, a partir do momento que entrou o primeiro, porque a gente a preocupação de dizer assim "não, entra", me juntava com várias pessoas daqui, a gente não conseguia, porque realmente é difícil. Não é fácil você elaborar o projeto. E conseguimos um consultor. Um consultor que ele veio fazer um curso aqui, de oficina de elaboração de projeto. Eu, como sempre ousada, procurei ele particular, e ele corrige nossos projetos. Agora, hoje, alguns projetos a gente já não pede mais [para corrigir]. O de ontem mesmo a gente já não pediu. Ele só deu olhada e disse "está ótimo". Então, a partir do momento em que ele diz "tá ótimo", eu posso enviar o projeto. Acontece, algum erro, às vezes. O Café com Arte vai fazer 11 anos em novembro. Durante 11 anos, esse é o décimo quinto projeto. Eu mesma aplaudo, porque realmente é bem merecido, e assim, eu procuro a nossa cidade. Por exemplo, tem pessoas que me perguntam: "você conseguiu projeto pra Jatobá" [cidade vizinha]. Não, eu não consegui o projeto, eu fiz o projeto, pessoas. Eu procurei a cidade toda, era para o carnaval: bandas, quem tivesse banda, quem cantasse. Em minha cidade, procurei as pessoas. "Levo já", "levo amanhã", nunca apareceram. Mas, aí aparece Gean Ramos, que hoje me agradece muito. Ele até ganhou também também um projeto. Gean me pediu encarecidamente que eu desse esse apoio a ele e a outra amiga dele, Camile Yasmin, porque eles não tinham como colocar projeto, porque não tinham associação, não tinham vínculo pra colocar banda. Todos ganharam. Foi quarenta mil reais. Teve a comissão pra associação, claro. Mas até hoje eles estão lá, inseridos dentro do Funcultura e ele me agradece muito, muito mesmo. Ele hoje anda o Brasil todo, fazendo os shows dele, graças a Deus. A gente está aqui pra ajudar uns aos outros, somar.

Lúcia Xavier: Crescer, fazendo crescer.

Fátima Belém: É, justamente.

Lúcia Xavier: Fátima, para implementar todos esses projetos é preciso ter um planejamento. Qual é o apoio que você recebe, quais as instituições que você procura?

Fátima Belém: Existe sim, tem que ter apoio. O nosso apoio forte é o Sebrae. O Sebrae é nosso amigo parceiro, certo em tudo. Nós já fomos até classificados no Sebrae, no [programa] Sebraetec, várias vezes. Inclusive, vai começar agora uma oficina, esse mês de novembro, pelo Sebraetec, que é ainda sobre o couro da tilápia, porque esse projeto da tilápia ele não tem muito andado por conta das condições [financeiras]. Ele é um projeto que encarece um pouco, então nós precisamos de apoio, de ajuda. Hoje, nós pedimos apoio ao Sebrae, e ele mais uma vez [atendeu]. Todo ano eles têm uma oficina com a gente. Até 2017, eles estão apoiando o Café com Arte. Nós vamos ter agora essa oficina, onde está vindo técnicos de Campina Grande, repassar pra gente umas novas técnicas para a tilápia. A tilápia é um produto excelente, de cunho cultural da nossa cidade, criatórios e mais criatórios, é sustentabilidade sim. Mas é um produto que encarece. Encarece na oficina, ele encarece em tudo. Então, aí a gente precisa realmente apoio. Estamos com outros apoios em emendas, com pessoas envolvidas na política que vai nos ajudar. E tenho também o apoio do PAB, que é o Programa de Artesanato Brasileiro, através agora de Isabel Gonçalves. Temos o PAPE, que é o Programa de Artesanato Pernambucano, que também nos apoia. Temos o Estado, o Governo do Estado que já nos ajuda com esses programas que já falei. Enfim, nossa Prefeitura, nosso prefeito que não nos deixa de mão, momento nenhum. Também não fico direto aperreando ele, mas num momento que eu preciso, graças a Deus, ele tem nos ajudado bastante.

Lúcia Xavier: Voltando um pouco à pergunta anterior, sobre a cultura, quando você falou sobre a cultura. Já pensou em transformar aqui [a Café com Arte] também em um Ponto de Cultura?

Fátima Belém: É um sonho. Mas o que falta é o cunho cultural, que é a tilápia. Assim que ela estiver em vigor, bombando, vamos ter sim um Ponto de Cultura. Esse é meu sonho, uma abertura ali, bem grande. Já temos Ponto de Cultura em Petrolândia, com os indígenas, mas eu me inquieto porque eu não estou vendo ainda o que eu queria ver, o que eu vejo em outras cidades que têm Ponto de Cultura. Então, meu sonho é que, quando o peixe tiver bombando, porque só entra num Ponto de Cultura artesanatos de cunho cultural. Então, quando esse projeto tiver bombando, aí eu sei que nós vamos ousar, eu quero ver a entrada da cidade com um outdoor bem grande: "Petrolândia tem Ponto de Cultura - Café com Arte". Ponto de Cultura é um sonho de muitos anos. Eu fiz esse projeto, fui reprovada, e Deus vai - com fé em Jesus - nos ajudar pra que esse [próximo projeto] vai ser abençoado, um dia a gente realizar, porque tudo tem seu tempo, Lúcia. Não adianta, tudo tem seu tempo, porque nós tivemos o benefício dos teares. Os teares deu e valeu, porque a tecelagem realmente é o carro forte da Café com Arte. Então nós temos agora esse novo projeto que saiu, "Redes de Artesanato, Rede de Sustentabilidade", vai ser confecção de redes e tapetes, pra sair daqui de Petrolândia, pra se saber que aqui nós temos. Realmente, não é muito, não é caminhões nem carretas. Mas, graças a Deus, o que sai vende bem direitinho. Hoje também uma preocupação nossa é a questão da comercialização, que a gente está pedindo socorro e apoio aos governantes, porque se a gente for depender da venda da cidade, é impossível. Agora, a fica correndo. Esse ano já tivemos duas associadas que foram para Ribeirão/PE, já participamos da AgriNordeste, agora vai ter uma feira em Juazeiro/BA, onde nós conhecemos o centro de artesanato de lá, que está dando esse apoio. Vamos sim, através do Sebrae, nosso amigo e parceiro. Depois nós temos a Fenahall, que vai ser agora em janeiro, e a nossa grande e prioritária que é a Fenearte, que vai ser em julho, onde já fizemos as inscrições. Então é assim, a gente participa e o que acontece aqui no município, pode até dizer assim o "Café com Arte está em tudo". O Café com Arte precisa estar em tudo, precisa porque você vê ali [sobre um armário, fotos e objetos de participação em eventos], Semana do Bebê ele trouxe pra gente 10 pontos em um projeto. Ontem, pra inscrição da Unesco, isso aí foi show. Tive que vir aqui tirar foto, com minha menina, que a gente participa da Unesco. Então, a gente trazer para Petrolândia, um Criança Esperança é um outro sonho que eu quero que seja realizado um dia, pra gente trabalhar com as crianças, como eu coloquei ontem no pequeno projeto, na inscrição que eu fiz, a gente quer a colaboração deles, do Criança Esperança, num pequeno projeto, porque a gente ainda se preocupa e a gente ainda vê no município, ainda me entristece, uma criança com uma carroça na rua. Sei que o poder do município se preocupa, sei que o conselho está em cima, mas se a gente tiver um programa diferenciado, nós temos direito. Então, o que é que Petrolândia não tem, que a Unesco, ontem, na ficha eu coloquei? o circo. O circo ele traz, eles mandam tudo, então eles fazem, é muito bom. Um projeto rico, pequeno, não é tão caro pra eles, caro pra gente, Café com Arte. Enfim, eis minha vida, minha vida é assim, sonhando - como você disse - com o social.

Lúcia Xavier: Fátima, sobre essa falta de recursos, há outras fontes que vocês possam se utilizar, sem depender apenas das vendas?

Fátima Belém: Tem sim. Hoje, é difícil, não é tão fácil. Porque cada pessoa tem sua maneira de como trabalhar o financeiro, mas a dificuldade é grande pra um crédito. Não é todo mundo que está apto, naquele momento, pra se levantar um crédito. Mas nós temos aqui também um amigo parceiro, o Banco do Nordeste, nós temos muitos anos de Banco do Nordeste. Mas hoje o Governo do Estado, no tempo de Eduardo [Campos], deixou a AGEFEPE. A AGEFEPE é uma agência de fomento, não é banco. É uma agência de fomento e nós tentamos muito, nunca tínhamos conseguido, mas agora, depois dessa Fenearte... Eles fazem a pesquisa, foi feita a pesquisa pelos movimentos de estande e nós fomos uma associação que fomos sorteadas na animação e nas vendas, que graças a Deus nós tivemos umas vendas muito boas. E eu não finalizei só com o Café com Arte, fiz o convite a todas as outras associações, mas infelizmente só a Café com Arte se prontificou e foi até lá, e graças a Deus amanhã (27), já está saindo o nosso dinheiro para começarmos a trabalhar para a Fenearte. Isso é o intuito deles, é um juro de 0,5%. Inclusive tiramos fotos lá, quando fomos assinar. Eles vieram aqui, visitaram. Muito bom. Foi difícil a primeira vez, as exigências, a burocracia imensa, mas, a partir daí, quando a gente termina [de pagar] esse, a facilidade é imensa para os próximos.

Lúcia Xavier: Em todos os eventos do município, a Café com Arte está dentro. Fale-me então sobre o Outubro Rosa. Estou vendo que está tudo aqui enfeitado, tudo rosa, cheio de laços. 

Fátima Belém: Nós não fazemos parte ainda do Conselho da Saúde, mas a gente abraça todas as causas do nosso município, porque tudo isso, pra quem faz projeto, é pontos a receber. É só você ter o anexo. Então eu encerro assim, agradecendo à Secretaria de Saúde, ao Hospital [Municipal Dr.] Francisco Simões [de Lima], que também já nos convidaram, às mulheres da Café com Arte, para passar um dia no hospital (olha aí o orgulho), fazendo tudo necessário para a saúde da mulher. Um checkupzinho, básico, mas que a Café com Arte fica muito lisonjeada, lógico, porque é mais uma participação. E agradecendo à Secretaria [de Saúde] por este momento de lembrar das artesãs, e foi assim um momento exato. Então, eu digo assim, outubro para o Café com Arte foi super recheado. Abençoado por Deus.

Lúcia Xavier: Fátima, na semana passada, você participou de uma reunião para discutir já a decoração da cidade para o final do ano. 

Fátima Belém: Foi sim. Fomos convidados pela Secretaria de Ação Social para fazermos a ornamentação das praças, porque sempre, todo ano, não dá tempo. E foi combinado, assim um sonho de Socorro Simões, a mãe da ornamentação da cidade, ela sempre queria fazer uma coisa diferente, e está conseguindo. Então ela deixou a responsabilidade para cada equipe. E entrou artesãos, entrou gestão, entrou comunidade, nós estamos convidando o pessoal daquela Quadra [03, a que terá a praça ornamentada pela Café com Arte], pra que se insira e faça esse trabalho junto com a gente, porque vai ter premiações, vai, mas o que vale não é a premiação, o que vale é você participar. A premiação é importante sim, eu acho que é importante, mas o mais importante ainda é você estar participando e sabendo que você vai trabalhar com material reciclado, que isso sim, é sustentabilidade.

Lúcia Xavier: Quanto aos projetos da comunidade, neste ano, você tem em mente de quantos projetos a Café com Arte participou?

Fátima Belém: A gente sempre participa, pra juntar os projetos e juntar os programas. A gente participou do Natal Social, com as meninas aí vestidas de Papai Noel, fazendo animação junto ao município, no palco, deixando aquelas crianças felizes, onde tem a entrega [de presentes] que Socorro Simões. O Natal eu chamo o Natal Social dela, porque ela é orgulhosa em saber fazer esse Natal. Não sei se é promessa, mas acho muito interessante o desempenho dela, e a gente participa sempre desse Natal Social. Também participamos do carnaval. A gente participa sempre das oficinas do CRAS, que é um programa muito bom, volta à comunidade, uma equipe maravilhosa, que está de parabéns, trabalha muito bem. Nós também participamos do Chico do Bem, que o Chico do Bem é uma homenagem muito emocionante, onde a gente vai voluntário mesmo, a vontade é de ir. Perdi esse último, por motivo de doença, mas o próximo eu estarei lá junto. A gente faz uma oficina, a gente cria, a gente brinca, é um dia diferente e bem proveitoso. Então o Café com Arte, gosta mesmo de participar, e participar em tudo do nosso município é um orgulho. Ainda tem muita coisa que a gente sonha, sonha com muita coisa, mas devagar a gente chega lá, porque Brasília é bem aí, não é obrigado que a gente se jogue só pra gestão [municipal] não. A gestão faz o apoio, faz a contrapartida, tem o maior prazer, mas vamos correr lá na frente e pegar lá onde tem, porque tem. Se você for procurar, tem dinheiro sim e muito. Você vê agora: a Fundarpe é quanto? R$ 3 milhões, onde vai ser agora pago [liberado] R$ 22 milhões, de projetos que já aconteceram e que vão acontecer. E a gente tem que ir lá procurar. Eu saio em Brasília bem assim, parecendo uma doidinha, como você diz a "pequena notável", cada enorme. Quando eu passo naquela esteira, que passa de um lado pra outro do Congresso, eu tenho que ficar ali caladinha, querendo rir, e aqueles tudinho de gravata, paletó, e eu no meio deles. Aí cheguei no Ministério: "sou de Petrolândia, do Sertão sim, quero saber onde é que tem dinheiro aqui pra artesanato". Mas agora nós somos lei, temos profissão, vamos ter agora um endereço único, só pra gente. Mas será que eu vou me conter com esse endereço único? Acho difícil, porque esse daí eu sabendo que é lei, ele vai ter que ter, mas os outros a gente ainda vai ter que permanecer, porque está lá, o dinheiro é nosso, e a gente tem que buscar e trazer aqui pra o nosso município.

Lúcia Xavier: Fátima, então diante do que você me disse, você se sente já reconhecida.

Fátima Belém: Com certeza! Muito conhecida, muito articulada e sempre articulando. É tanto que a sanção da nossa lei foi agora e quarta-feira [dia 28], nossa artesã, vereadora, fundadora com a gente da Café com Arte, está levando a Moção da satisfação que ela está [sentindo] com a liberação da nossa lei, Dona Santa. E quarta-feira os artesãos e artesãs estejam convidados a participarem da sessão [da Câmara Municipal] que ela é nossa.

Redação do Blog de Assis Ramalho