Web Radio Petrolândia

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Governo estabelece novas regras para a implementação do Cadastro Nacional do Agricultor Familiar


O governo estabeleceu novas regras básicas para a implementação do Cadastro Nacional do Agricultor Familiar (CAF), por meio do decreto 10.688, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e a ministra a Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

Com ele, foi alterado outro decreto, o nº 9.064, de 31 de maio de 2017, que dispõe sobre a Unidade Familiar de Produção Agrária (UFPA), institui o CAF e regulamenta a Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006. Esta, por sua vez, estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e empreendimentos familiares rurais.

Com a medida, a quantidade exigida de cooperados ou associados da agricultura familiar com inscrição ativa no CAF caiu para, no mínimo, 50%. Antes, eram necessários 60%.

Segundo o Ministério da Agricultura, o objetivo da mudança é ampliar a participação das cooperativas e associações em programas e ações governamentais destinadas a atender "as formas associativas desse público-alvo, organizadas em pessoas jurídicas".

A medida adere as reivindicações de cooperativas e associações do setor que não atingiam o percentual mínimo exigido originalmente no decreto e, portanto, não se enquadravam como forma associativa representativa da agricultura familiar, afirmou o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do ministério, Fernando Schwanke.

“Isso dificultava o acesso dessas organizações às políticas públicas. A alteração ampliará de forma significativa a participação dos agricultores familiares nos programas federais de fortalecimento da agricultura familiar”, disse.

Por G1 Economia

Valor médio do Bolsa Família deve aumentar para R$ 250, diz Bolsonaro




O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quarta-feira (28) que, a partir de agosto ou setembro, pretende ampliar de R$ 190 para R$ 250 o valor médio pago a beneficiários do Bolsa Família.

"Só de auxílio emergencial ano passado, nós gastamos mais do que 10 anos de Bolsa Família. Então, o PT, que fala tanto em Bolsa Família, hoje a média dá R$ 192. O auxílio emergencial está R$ 250, é pouco, sei que está pouco, mas é muito maior que a média do Bolsa Família. A gente pretende passar para R$ 250, agora, em agosto, setembro", afirmou Bolsonaro a apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada. A interação foi transmitida por um canal de vídeos simpático ao presidente.

Das 14,6 milhões de famílias beneficiárias do Bolsa Família, 10 milhões optaram por receber o auxílio emergencial, que acaba sendo mais vantajoso.

Este grupo representa a liberação mensal de R$ 3 bilhões. Esse valor é oriundo da verba aprovada para o auxílio, não do orçamento do Bolsa Família. Os recursos que sobrarem deverão ser utilizados para financiar o aumento mencionado por Bolsonaro a partir de agosto, quando termina esta nova rodada do auxílio emergencial.

O auxílio emergencial foi renovado em 2021, de abril a julho. O benefício varia de acordo com a composição da família. As parcelas vão de R$ 150 a R$ 375 por mês. No caso do Bolsa Família, o benefício médio está na faixa de R$ 190 por mês.

O Bolsa Família foi criado no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Bolsonaro pretendia criar um programa que substituísse uma das principais marcas da gestão petista. Os dois deverão se enfrentar nas urnas em outubro de 2022.

Com a pandemia de Covid-19, o governo criou o auxílio emergencial, que catapultou a popularidade de Bolsonaro. No ano passado, foram cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300. Os desembolsos dobravam para mães chefes de família. Foram gasto R$ 293 bilhões para atender 67,9 milhões de pessoas.

Em abril, o governo começou a pagar quatro parcelas de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375. O valor depende do tamanho da família. O governo prevê um gasto de R$ 44 bilhões para atender 45,6 milhões pessoas.

Nesta quarta, o ministro Paulo Guedes (Economia) voltou a prometer um novo programa social voltado para trabalhadores informais, que deve ser chamado de BIP (Bônus de Inclusão Produtiva).

O governo calcula que há cerca de 40 milhões de trabalhadores informais no país. "Nós devemos a eles também ferramentas de sobrevivência nos próximos meses enquanto fazemos a vacinação [contra a Covid-19] em massa", disse Guedes.

A ideia do BIP surgiu em fevereiro, quando a equipe econômica tentou realizar mudanças na nova rodada do auxílio emergencial. O objetivo era que o recebimento do auxílio pudesse ser associado a um curso aos beneficiários, que, em sua maioria, têm baixo nível de qualificação.

Por Folhapress

Primeiro lote de vacinas da Pfizer chega amanhã ao Brasil

O primeiro lote de vacinas da Pfizer chega amanhã (29) ao Brasil. No total, 1 milhão de doses serão transportadas em voo que chegará ao Aeroporto de Viracopos, com aterrissagem prevista para as 19h.

As doses serão distribuídas para os 26 estados e o Distrito Federal. Segundo o Ministério da Saúde, a orientação é que sejam priorizadas as capitais devido às condições de armazenamento da vacina, que demanda temperaturas muito baixas.

Conforme o Ministério da Saúde, os entes federados receberão de forma proporcional e igualitária. Os frascos serão entregues em temperaturas entre -25ºC e -15ºC, cuja conservação pode ser feita apenas durante 14 dias. Após entrar na rede de frio, com temperaturas de armazenamento entre 2ºC e 8ºC, o prazo para aplicação é de cinco dias.

Por essa razão, o Ministério informou que enviará duas remessas diferentes. Cada uma delas terá 500 mil doses e será referente, respectivamente, às primeira e segunda doses que cada cidadão deverá receber.

O Ministério da Saúde comprou 100 milhões de doses do imunizante. Em março, em reunião com a farmacêutica, a pasta apresentou a previsão de que até junho seriam entregues 13,5 milhões de doses.

Por Agência Brasil

Petrolina (PE): Câmara aprova título de cidadão petrolinense e Medalha Dom Malan ao empresário Aurélio Cavalcante, diretor da Central de Adubos, maior loja de produtos agropecuários do Vale do São Francisco


O empresário Aurélio Barros Cavalcante vai receber o título de Cidadão Petrolinense e a Medalha de Honra ao Mérito Legislativo Dom Malan em Petrolina (PE). Os dois projetos de decreto legislativos de autoria de Aero Cruz (MDB), foram aprovados na sessão da Câmara de Vereadores realizada na terça-feira (27).

Filho de pais petrolandenses, Aureliano mudou-se para o projeto de irrigação Bebedouro, em Petrolina (PE), com toda família ao completar seu primeiro ano de idade, em 1974. Logo após, a família foi para o projeto Mandacaru, no distrito de Juazeiro-BA. Ele é filho do senhor Antônio Cavalcante de Carvalho e Dona Eloína, ambos agricultores. Casado com Dianara Cavalcante, o empresário é pai de 2 filhos: Gabriel e Rafael

O primeiro empreendimento de Aureliano foi inaugurado em julho de 2010, em Juazeiro (BA). Em seguida, vieram as duas lojas da cidade de Petrolina e as demais unidades em Petrolândia, Irecê, João Dourado e a mais recente unidade em Itabaiana, Sergipe.

A Central de Adubos surgiu como uma empresa agrícola de conceito inovador especializada no comércio de adubos com atendimento especializado e gerando mais qualidade na produção, emprego e renda para o Vale do São Francisco.

As informações são do Blog de Edenevaldo Alves

(RE)VEJA TAMBÉM
Petrolândia: Aurélio Cavalcante, diretor da Central de Adubos, é entrevistado por Assis Ramalho no "Acordando com as Notícias" (ouça áudio)

A entrevista foi acompanhada por Cézar Cavalcante - gerente/sócio da Central de Adubos em Petrolândia


O diretor da Central de Adubos, Aurélio Cavalcante, foi entrevistado ao vivo pelo radialista e blogueiro Assis Ramalho, na manhã da última sexta-feira (25/08/2017), no programa "Acordando com as Notícias", transmitido pela Web Rádio Petrolândia (áudio disponível no final desta matéria).

Na entrevista, o empresário diretor da maior loja no ramo de agronegócio do Vale do São Francisco, com matriz em Juazeiro (BA), duas filiais em Petrolina e uma em Petrolândia, falou, entre outros temas, sobre os altos investimentos da empresa em busca de avanços tecnológicos para melhoria na produtividade da agricultura.

Em primeira mão, Aurélio afirmou que a mais nova filial da Central de Adubos será inaugurada no dia 9 de outubro em Irecê, na Bahia.

''Em primeira mão, quero dizer aos ouvintes da Web Rádio Petrolândia e aos leitores do Blog de Assis Ramalho que, no dia 9 de outubro, a gente vai estar inaugurando a nova filial da Central de Adubos em Irecê, na Bahia. Muitos dizem que Irecê é a região do feijão, mas Irecê é a região da beterraba, da cenoura, da cebola, do tomate, enfim, a fruticultura está começando a entrar forte lá", explicou o empresário.

Aurélio falou ainda sobre as constantes viagens que faz para fora do país, em busca de novas tecnologias.

"Agricultura é tecnologia pura e a Central de Adubos tem a preocupação de trazer para o produtor, tecnologia de primeiro mundo. O mercado muda muito, hoje ele está de um jeito, mas amanhã vai mudar. É pesquisa para se produzir mais, é pesquisa para usar menos recursos naturais, são várias pesquisas que a gente faz e eu gosto de viajar, porque a viagem ensina muito. Gosto de viajar, inclusive para outros países, para trazer para nossa região as novidades de lá, e também aprender com os costumes de cada país. Para que você tenha uma ideia, na época em que todos estavam falando da crise da água, eu fui visitar o Chile e lá a água é muito pouca. Lá, eles aproveitam, por exemplo, a água do orvalho da noite para aguar a planta. Você vai para Israel e lá eles tiram a água do Mar Morto, tiram o sal, levam essa água para consumo humano e o que sobra da água do banho, de lavar as mãos, lavar carro, ela entra em um ralo, vai para um depósito, tipo uma barragem, e essa água ainda vai para a agricultura. Eu fui para Mendonza, na Argentina, e lá eles têm água armazenada para cinco anos. Em Israel não tem água (doce), lá eles tiram a água do Mar Morto. Eles conseguem tirar todo o sal da água, deixa a água cristalina, disponibiliza para o consumo humano e o que sobra vai para a agricultura, gerando riqueza. Hoje, Israel é uma das potências mundiais em agricultura irrigada. Na Espanha tem muitas barragens que eles fazem esse processo com a água salgada, eles administram isso. Há poucos dias, eu conversava com um amigo e dizia que se (no Brasil) tivesse uma barragem no final do rio (São Francisco), além de produzir energia, você tinha a reserva de água doce que a gente está jogando no ralo (no mar). Então, com essas viagens, a gente traz pra cá novas tecnologias de irrigação, tecnologia de aplicação, tecnologia de adubação, enfim, traz o que há de mais novo, e todos estão se conscientizando, porque quando você usa a água de maneira correta, você não está somente economizando água. Você diminui a quantidade de doença, aumenta a produtividade, entre outras vantagens.

Entre vários outros assuntos relevante ao agronegócio, Aurélio também fala sobre seu carinho por Petrolândia, cidade de onde saiu com apenas 1 ano de idade, das lembranças da infância e do aprendizado com seus avós (Petro e Tereza) no sítio Mundo Novo. Humilde, diz que não imaginava chegar ao patamar em que a Central de Adubos chegou, em apenas sete anos. ''Agradeço todos os dias a Deus, porque eu não imaginava que a gente pudesse estar neste patamar em que estamos. Pela segunda vez, a gente foi destaque - por meio de pesquisa - na Revista Veja como empresa de credibilidade na região. Então, hoje a gente diz que a Central de Adubos é a maior empresa agrícola do Vale do São Francisco. Quando a gente fala que é a maior, é maior em todos os sentidos. Em quantidade de lojas, em quantidade de colaboradores, em quantidade de funcionários e maior em faturamento.

Escute a entrevista completa - de mais de uma hora de duração - aqui>Áudio entrevista Aurélio Cavalcante (25/08/17)

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Cézar Cavalcante

Ministro Marco Aurélio Mello, do STF, manda governo realizar o Censo


O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou ao governo federal "a adoção de medidas voltadas à realização do Censo". Ele atendeu um pedido feito pelo governo do Maranhão. Na semana passada, o Ministério da Economia informou que a realização do Censo em 2021 estava cancelada devido aos cortes de verba.

"Defiro a liminar, para determinar a adoção de medidas voltadas à realização do censo, observados os parâmetros preconizados pelo IBGE, no âmbito da própria discricionariedade técnica", decidiu Marco Aurélio.

Na aprovação do Orçamento de 2021, a pesquisa perdeu 96% de sua verba, que foi reduzida de R$ 2 bilhões para R$ 71 milhões. Ao final, no texto sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, o valor ficou em R$ 53 milhões, ou seja, menos de 3% da verba inicial.

Ao comentar a decisão do STF, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quarta-feira que foi o Congresso que cortou o recurso e lembrou o risco de contaminação diante da necessidade de visitas domiciliares em meio à pandemia.

— Não fomos nós que cortamos o censo. Quem aprovou o Orçamento foi o Congresso. Quando houve o corte, no Congresso, a explicação que nos deram é que, com a pandemia, o isolamento social impediria que as pessoas fossem de casa em casa transmitindo o vírus — disse o ministro.

Anatomia de uma crise:Os erros técnicos e o caos político que ataram o nó do Orçamento

Guedes ressaltou que as pesquisas são realizadas presencialmente:

— Os pesquisadores vão de casa em casa fazendo perguntas, sentam, preenchem os relatórios. Então, me pareceu que essa era a explicação. Eu vou me informar a respeito.


Em sua decisão, Marco Aurélio avaliou que deixar de fazer o censo representa descumprir um trecho da Constituição:

"A União e o IBGE, ao deixarem de realizar o estudo no corrente ano, em razão de corte de verbas, descumpriram o dever específico de organizar e manter os serviços oficiais de estatística e geografia de alcance nacional – artigo 21, inciso XV, da Constituição de 1988. Ameaçam, alfim, a própria força normativa da Lei Maior."

O ministro do STF afirmou assim que, nesse caso, cabe ao Supremo "impor a adoção de providências a viabilizarem a pesquisa demográfica".

O Censo é a mais ampla pesquisa sobre a população brasileira e é feita mediante visita ou coleta de informações em todos os domicílios do país. É uma base de dados fundamental para a distribuição de recursos a estados e municípios, através do repasse do dinheiro arrecadado em impostos de acordo com a população de cada região.

É com base nas informações do Censo, também, que é calculada a distribuição de vacinas por municípios.

Realizado a cada dez anos nos principais países do mundo, o Censo também é fonte de informações para pesquisas de saúde e indicadores educacionais, trazendo informações sobre crianças fora da escola, por exemplo.

Em carta aberta publicada este mês, um grupo de ex-presidentes do IBGE chamou a atenção para o fato de que, sem o Censo, "o Brasil se junta ao Haiti, Afeganistão, Congo, Líbia e outros estados falidos ou em guerra que estão há mais de 11 anos sem informação estatística adequada para apoiar suas políticas econômicas e sociais".

Especialistas afirmam que, no pós-pandemia, o Censo será ainda mais importante, para compreender os efeitos da crise sanitária e econômica no país.
'Como construir escolas sem informações?'

Em sua decisão, o ministro Marco Aurélio Mello também ressaltou que dados e estudos são necessários para que os governantes posam analisar a realidade do país e, com isso, formular e implementar políticas públicas

"O Censo, realizado historicamente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, permite mapear as condições socioeconômicas de cada parte do Brasil. E, então, o Executivo e o Legislativo elaboram, no âmbito do ente federado, políticas públicas visando implementar direitos fundamentais previstos na Constituição Federal. Como combater desigualdades, instituir programas de transferência de renda, construir escolas e hospitais sem prévio conhecimento das necessidades locais?", questionou Marco Aurélio.

Após a crise sobre o Censo, o economista Eduardo Rios Neto foi indicado pelo ministro Paulo Guedes para a presidência do IBGE. Rios Neto atuava como diretor de pesquisas do IBGE. Ele substitui Susana Guerra, que alegou motivos pessoais para deixar o comando do instituto.

Susana Guerra pediu demissão do IBGE um dia após Congresso aprovar a redução do orçamento do Censo. Em carta de despedida aos servidores, defendeu a pesquisa Foto: Licia Rubinstein / Agência O Globo

O pedido de demissão de Suzana foi feito um dia depois de o Congresso ter reduzido a verba do Censo a R$ 71 milhões. Um corte de 96% das verbas para a realização do levantamento.
O que é o Censo

O Censo é a mais ampla pesquisa sobre a população brasileira do IBGE e é feita mediante visita ou coleta de informações em todos os domicílios do país. A pesquisa é realizada a cada dez anos. A última ocorreu em 2010. Por isso, o levantamento estava previsto para acontecer no ano passado. Em razão da pandemia, o Censo de 2020 havia sido adiado para 2021. Mas foi suspenso novamente, com previsão para ocorrer em 2022, em razão nos cortes no orçamento. Agora, o ministro Marco Aurélio, do STF, determinou que o governo realize a pesquisa.

Entenda para que serve o Censo

Impactos para o setor privado

Os prejuízos da não realização do Censo não afetam só os governos, embora as políticas públicas sejam as mais impactadas. Há tem políticas sociais na área de saúde, de redistribuição de renda, a taxa de desemprego que vão precisar das informações da pesquisa do IBGE. O setor privado também usa muita informação estatística do Censo.

Simon Schwartzman destaca que o levantamento é ainda mais relevante em um momento de reconstrução pós-crise imposta pela pandemia.

Cenário eleitoral

O atraso no Censo de 2020 não foi o primeiro adiamento da história da pesquisa. Realizado a cada dez anos, o levantamento já foi postergado no início dos anos 1990 – por causa dos efeitos do plano Collor, a pesquisa foi realizada em 1991.

Embora não haja uma restrição legal, a realização do levantamento em ano eleitoral não é aconselhada pelos três ex-presidentes do IBGE ouvidos pelo GLOBO. A avaliação é de que a pesquisa poderia ser contaminada pelo debate das eleições.

Reação ao corte

A proposta de Orçamento deste ano reservava R$ 2 bilhões para o Censo, mas o relator do Orçamento, senador Márcio Bittar (MDB-AC), limitou o gasto total a R$ 240 milhões, cortando R$ 1,76 bilhão da pesquisa.

A redução gerou reação. Oito ex-presidentes do IBGE assinaram uma carta em defesa da pesquisa. “Nosso último censo ocorreu em 2010, e, sem ele, o Brasil se junta ao Haiti, Afeganistão, Congo, Líbia e outros estados falidos ou em guerra que estão há mais de 11 anos sem informação estatística adequada para apoiar suas políticas econômicas e sociais”, diz o texto.

Como os dados impactam a vida da população

Distribuição de recursos

A contagem populacional atualizada feita pelo Censo permite fornecer informações precisas para a definição das cotas dos fundos de participação dos estados (FPE) e municípios (FPM). As transferências são definidas com base no número de habitantes de cada localidade.

Transferência de renda

O Censo traz dados que permitem delimitar o perfil populacional e calcular taxas de cobertura de políticas de transferência de renda, como é o caso do Bolsa Família. A atualização da pesquisa pode embasar as discussões para a reformulação do programa, além de trazer dados para formulação de políticas de emprego e educação.

Campanhas de vacinação

O detalhamento da população em risco, por idade e sexo, pode indicar onde há maior ou menor chances de contágio. Esses dados também servem para calibrar condições de recuperação no período pós-pandemia, por exemplo.

Planejamento urbano

As informações sobre renda, perfil migratório e demandas reprimidas da população impactam desde discussões sobre loteamentos de moradias populares, passando por transporte e equipamentos públicos, até a execução de grandes obras.

André de Souza e Manoel Ventura
O GLOBO

Petrolândia: Confira escala e nomes de médicos que atenderão nesta quinta (29/04) na Clínica Mais Saúde; ligue e marque sua consulta

 



A Clínica Mais Saúde, localizada na Av Auspício Valgueiro de Barros, em frente a Escola Delmiro Gouveia, informa atendimento para esta quinta-feira, 29 de abril de 2021.

Confira abaixo!

Telefone para marcação de consultas:
3851 - 0533 - Cel. 87 - 9.9902-8197


SAIBA MAIS

SAIBA QUAIS SERVIÇOS ESSENCIAIS A CLÍNICA MAIS SAÚDE OFERECE AOS SEUS CLIENTES






A Clínica Mais Saúde realiza Exames Laboratoriais de segunda a sexta-feira (veja abaixo).
R












Adquira já o seu cartão de desconto SYSTEM SAÚDE e ganhe excelentes descontos!SAIBA SOBRE O SYSTEM SAÚDE

Adquira já o seu!





Redação do Blog de Assis Ramalho
Informação: Clínica Mais Saúde

Governo diz que paga no fim de maio primeira parcela do 13º salário de aposentados



O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, informou nesta quarta-feira (28) que será paga no final de maio a primeira de duas parcelas do décimo terceiro salário a aposentados e pensionistas.

A antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas é mais uma das medidas do governo para enfrentamento dos reflexos da pandemia do novo coronavírus na economia.

De acordo com Bianco, serão repassados um total de R$ 56 bilhões a 31 milhões de pessoas que têm direito à antecipação.

O governo já havia informado que os valores seriam antecipados, mas aguardava a aprovação e sanção do Orçamento.

FGTS

Segundo Bianco, a medida que permite que empresários adiem o pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) a seus funcionários manterá outros R$ 40 bilhões na economia neste momento.

Ele disse, ainda, que o Pronampe, programa de crédito para micro e pequenas empresas, contará com R$ 5 a R$ 6 bilhões.

"São medidas muito significativas que continuarão ajudando essa retomada econômica", declarou.

O secretário também informou que, dos R$ 10 bilhões previstos para o programa de manutenção do emprego
neste ano, que foi renovado nesta semana pela área econômica, R$ 7 bilhões virão do cancelamento de restos a pagar do ano passado.

Apesar da renovação dos programas extraordinários para a pandemia em 2021, o governo federal reduziu de R$ 524 bilhões para R$ 103 bilhões a previsão de gastos - apesar do avanço da Covid-19 no país. Os números são do Tesouro Nacional.

Por G1

Médico é denunciado por homicídio culposo da influencer pernambucana Liliane Amorim após cirurgia


O Ministério Público do Ceará (MPCE) pediu a condenação do médico Benjamim Alencar pelo homicídio culposo da digital influencer pernambucana Liliane Amorim.

A influencer morreu em 24 de janeiro, aos 26 anos, por complicações causadas por uma cirurgia de lipoaspiração feita pelo médico em um hospital privado de Juazeiro do Norte, no Ceará.

Conforme o MPCE, Benjamim Alencar agiu de forma imprudente e negligente. O órgão acrescenta que o médico violou as regras técnicas da profissão e o dever jurídico de cuidado e proteção à integridade física, à saúde e à vida da paciente.

Na denúncia, a 2ª Promotoria de Justiça de Crato faz um resumo dos fatos ocorridos entre o dia da lipoaspiração e a data da morte de Liliane.

Segundo o Ministério Público, Benjamim agiu de forma imprudente ao conceder alta médica à vítima apenas 13 horas após o término do procedimento cirúrgico.

O médico, acrescenta o MPCE, foi também imprudente ao autorizar a saída da paciente do hospital mesmo diante de reiteradas queixas de fortes dores, sonolência e dificuldade até mesmo para se comunicar verbalmente.

Para o órgão, o médico ainda agiu com negligência durante o pós-operatório, visto que “não realizou um atendimento presencial sequer desde a precipitada alta médica, vindo a encontrar a paciente apenas no dia 17 de janeiro de 2021, na UTI onde Liliane estava internada, quando tinha por lei obrigação de cuidado com a vítima”.

A negligência de Benjamim ao não atentar e desconsiderar as reiteradas queixas de dor, sonolência e cansaço por parte da vítima, chegando a insinuar que isso era “manha” da paciente também fazem parte da ação do MPCE.

A 2ª Promotoria de Justiça de Crato ressalta, ainda, a omissão negligente do profissional com a paciente, visto que Benjamim Alencar, mesmo diante de reiteradas queixas da vítima, orientou que não levassem Liliane para uma emergência, tendo voltado atrás, depois de certa resistência, e indicado que a digital influencer fosse levada para um hospital público.

“Portanto, o denunciado, mediante uma série alternada de ações e omissões […] provocou o previsível resultado morte da vítima Liliane dos Santos Amorim, o qual se concretizou em decorrência exclusiva das condutas que adotou e deixou de adotar, cada uma a seu tempo, cuja tipicidade encontra eco na legislação penal brasileira”, reitera o MPCE na denúncia.

O caso Liliane Amorim
A influencer pernambucana Liliane Amorim morreu na manhã de 24 de janeiro devido a complicações causadas por uma cirurgia de lipoaspiração. Ela tinha mais de 140 mil seguidores no instagram.

Liliane havia feito o procedimento no dia 9 de janeiro. Após cerca de uma semana, ela precisou ser internada com um quadro de infecção generalizada.

Ela foi submetida então a uma segunda operação e passou uma semana na UTI, em estado grave, antes de morrer. Ela deixou o marido e um filho de seis anos

Por Portal Folha de Pernambuco


Conta de luz fica mais cara em Pernambuco a partir de amanhâ (28/04); veja os índices de reajuste


A conta de luz vai ficar mais cara a partir de quinta (29), no estado. O reajuste médio de 8,99% foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nesta terça (27), a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) disse que o reajuste para os consumidores residenciais ficará entre 5,94% e 7,46%, dependendo do perfil do cliente (veja vídeo acima).

Segundo a Celpe, a empresa tem 3,8 milhões de clientes em todo o estado. Desse total, 90% são consumidores residenciais. Quem pagava conta de R$ 100, por mês, passará a desembolsar até R$ 107.

Para os consumidores de baixa renda, o reajuste será de 5,94%. Estão inseridos nesse público os mais de um milhão de clientes da Tarifa Social. Para fazer parte desse perfil, é preciso estar no Cadastro Único do governo federal (CadÚnico).

O benefício da Tarifa Social concede desconto de até 65% na conta de energia dos clientes classificados com baixa renda.

Para os demais clientes residenciais, de baixa tensão, o reajuste será de 7,46%. Para as indústrias e grandes comércios, que estão na faixa de alta tensão, o aumento previsto é de 11,89%.

Segundo a Celpe, os novos valores deverão ser cobrados integralmente a partir das contas de junho e julho.

A empresa informou, ainda, que o aumento ficou nessa faixa por causa de renegociação de custos de transmissão e uso de créditos tributários.

“Sem a adoção dessas medidas de mitigação, o índice médio do reajuste para os consumidores seria superior a 18%”, informou a empresa, em comunicado.

Reajuste anterior

O aumento anterior entrou em vigor no dia 1º de julho de 2020. A Aneel autorizou o reajuste médio de 5,16%.

Segundo a Celpe, para os consumidores residenciais, que usam a baixa tensão, o reajuste foi de 4,88%. Assim, quem pagava R$ 100 por mês passou a desembolsar R$ 104,8.

Para quem utiliza a alta tensão, como é o caso de indústrias, o reajuste chegou a 5,93%.

Por G1 PE

Boletim desta quarta (28/04/2021): Com o registro de 106 novas mortes nas últimas 24h, Pernambuco bate novo recorde de óbitos por Covid-19 em 2021


Mais um recorde de óbitos por Covid-19 foi ultrapassado em Pernambuco, nesta quarta-feira (28), com o registro de 106 novas mortes nas últimas 24h. É o maior número de vítimas fatais de 2021 e o quinto maior desde o ínicio da pandemia, em março do ano passado.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) também divulgou a inclusão de 2.720 casos da Covid-19 nas últimas 24h.. Entre os confirmados hoje, 179 (6,5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 2.541 (93,5%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 402.157 casos confirmados da doença, sendo 39.869 graves e 362.288 leves.

Também foram confirmados 106 óbitos, ocorridos entre 18/05/2020 e a última terça-feira (27). Com isso, o Estado totaliza 13.868 mortes pela Covid-19. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela SES-PE.

Total de mortes confirmadas em 24h em 2021
1º) 106 (28 de abril de 2021)
2º) 99 (23 de abril de 2021)
3º) 83 (14 de abril de 2021)
4º) 82 (8 de abril de 2021)
5º) 77 (17 de abril de 2021)
6º) 74 (1º de abril de 2021)
7º) 74 (30 de março de 2021)

Total de mortes confirmadas em 24h desde o início da pandemia, em março de 2020
1º) 140 (27 de maio de 2020)
2º) 132 (22 de maio de 2020)
3º) 124 (18 de maio de 2020)
4º) 122 (16 de junho de 2020)
4º) 122 (4 de junho de 2020)
5º) 106 (28 de abril de 2021)

Total de casos confirmados em 24h em 2021
2.987 (1º de abril de 2021)
2.965 (7 de abril de 2021)
2.884 (8 de abril de 2021)
2.786 (25 de março de 2021)
2.738 (24 de março de 2021)

Total de casos confirmados em 24h desde o início da pandemia, em março de 2020
1º) 2.987 (1º de abril de 2021)
2º) 2.965 (7 de abril de 2021)
3º) 2.884 (8 de abril de 2021)
4º) 2.843 (20 de abril de 2021)
5º) 2.786 (25 de março de 2021

Por Folha de Pernambuco

Petrolândia: Com todas as suas delícias, Bar e Restaurante Maria Fumaça anuncia funcionamento de quarta-feira a domingo das 10:30 às 22:00

 



Adotando todas medidas especiais de prevenção contra o coronavírus, o Bar e Restaurante Maria Fumaça, na Orla da cidade de Petrolândia, avisa aos clientes que passa a funcionar semanalmente de quarta a domingo, das 10:30 às 22:00.



















Blog de Assis Ramalho
Informação: Bar e Restaurante Maria Fumaça