domingo, 20 de setembro de 2020

Governo restringe acesso de sindicatos às agências do INSS

Portaria exige que visitas sejam marcadas com antecedência e será publicada nesta segunda-feira (20/09), quando médicos peritos prometem vistoriar as agências para tentar viabilizar retorno das perícias (Foto: Agência Brasil)

Em mais um capítulo da queda de braço em torno da reabertura das agências da Previdência Social, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) decidiu disciplinar a entrada de representantes sindicais e de "pessoas alheias ao corpo funcional do INSS" nas agências. A medida será publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (21/09), quando a Associação Nacional do Peritos Médicos Federais (ANMP) pretende vistoriar as agências para conferir se já há condições adequadas para o retorno das perícias médicas.

A decisão do INSS foi comunicada na noite deste domingo (20/09). E, na prática, vai restringir o acesso de quem não é servidor ou não tem horário marcado de atendimento às agências do INSS. Em nota enviada à imprensa, o INSS explica que "serão permitidas visitas nas agências apenas com hora marcada e fora do horário de expediente, que atualmente é de 7h às 13h"; avisa que "serão permitidos no máximo dois representantes, além de um representante do INSS que acompanhará a visita; e alerta que "os agendamentos de visitas devem ser feitos diretamente com os Superintendentes Regionais, que deverão agendar para no máximo em três dias úteis".

O INSS alegou que essas regras são necessárias "para garantir os protocolos sanitários determinados pelo Ministério da Saúde nesta retomada gradual do atendimento e não colocar em risco a saúde de segurados e servidores". O órgão explicou que "durante a visita, há circulação em ambientes não abertos ao público, tais como estoques e áreas restritas, portanto há a necessidade de uma sanitização minuciosa e completa da agência". E afirmou que, por isso, o agendamento das visitas é recomendado "para que seja possível fazer a correta higienização sem afetar o atendimento dos segurados".

Setembro Amarelo: prevenção ao suicídio deve começar na infância



Falar sobre morte e suicídio ainda traz desconforto para a sociedade, seja por uma questão cultural, seja por medo ou por não saber como lidar com eles. No mês de prevenção ao suicídio, com foco nos cuidados com a saúde mental, especialistas ressaltam a importância de pais abordarem o assunto com crianças e adolescentes para levar esclarecimento e perceber pedidos de socorro.

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o suicídio é a terceira principal causa de morte entre adolescentes de 15 a 19 anos no mundo, e as consequências de não abordar o assunto se estendem à idade adulta, prejudicando a saúde física e mental e limitando futuras oportunidades.

As condições de saúde mental são responsáveis por 16% da carga global de doenças e lesões em pessoas com idade entre 10 e 19 anos. Metade dessas condições começa aos 14 anos, mas a maioria dos casos não é detectada ou tratada. A depressão aparece como uma das principais causas de doença e incapacidade entre adolescentes de todo o mundo.

A omissão lesa a Pátria - Nota Pública da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB)


Enquanto o governo federal assiste passivo aos incêndios criminais que tomaram o país, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno, publicou em suas redes sociais uma grave acusação. Disse que a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e uma de suas lideranças, Sonia Guajajara, cometeram crime de lesa-pátria.

A APIB rechaça a declaração. E entende que o maior crime que lesa nossa pátria é a omissão do governo diante da destruição de nossos biomas, das áreas protegidas, das queimadas ilegais, da grilagem, do desmatamento e da invasão de nossas terras e do roubo das nossas riquezas.

Às vésperas da Assembléia Geral das Nações Unidas, o mundo todo está testemunhando esse crime - grande demais para ser ocultado. Em vez de atacar indivíduos que trabalham pela proteção do meio ambiente e garantia dos direitos dos povos indígenas, as autoridades deveriam neste momento cumprir seus juramentos constitucionais e apresentar à nação um plano para enfrentar esses incêndios que afligem o país. E assim proteger, inclusive, a economia e a reputação nacional.

As acusações, além de levianas e mentirosas, são irresponsáveis, pois colocam em risco a segurança pessoal dos citados.

A APIB estudará as medidas cabíveis.

Assessoria da APIB

Memorial de vítimas da Covid-19 é inaugurado no Rio neste domingo (20/09)

Obra faz parte das comemorações do movimento "Mundo Unido pela Vida'" que acontece em mais de 30 países, para celebrar a vida.

Um monumento para homenagear as vítimas da Covid-19 foi inaugurado neste domingo (20) no Rio de Janeiro. Em aço oxidado, com 39 metros de comprimento e quase 3 toneladas de peso, a obra foi batizada de Memorial In-finito.

A peça foi instalada em uma área verde de 1,3 mil metros quadrados do crematório e Cemitério da Penitência, no bairro do Caju, Zona Portuária da cidade.

No total, a obra tem espaço para 4 mil nomes e demorou uma semana para ser montada. Na manhã deste domingo, 30 famílias participam da inauguração e homenagearam os seus familiares.

Planetários de todo o país terão exibição online terça-feira


Planetários de todo o país se unirão, nesta terça-feira (22), em uma sessão virtual exclusiva que marcará a chegada da primavera. A transmissão será pelo Youtube e, após a exibição de vídeo editado especialmente para esta apresentação, astrônomos e especialistas responderão perguntas e explicarão o que acontece com o planeta Terra no chamado equinócio da primavera.

“Quando você vai ao planetário, geralmente você vê [vídeos] sobre o céu da sua cidade. [Nessa sessão], vamos ver o céu do Brasil”, disse o presidente da Associação Brasileira de Planetários (ABP), José Roberto de Vasconcelos, em entrevista à Agência Brasil.

A sessão começa às 10h, no horário de Brasília. A exibição dura 30 minutos, terminando exatamente no horário que marca o início da primavera, às 10h31. A conversa segue até as 11h. A exibição poderá ser acessada gratuitamente pela internet.

Planetários são espécies de cinema. Ao invés de observarem uma tela plana, os espectadores sentam-se em poltronas reclináveis, possibilitando que observem uma cúpula, onde são projetados conteúdos sobre astronomia e sobre ciência. Os vídeos são produzidos pelos próprios planetários.

“É como se estivesse ao ar livre olhando para o céu. A função do planetário - embora ele possa apresentar vários tipos de conteúdos diferentes nessa tela em formato de domo - a principal finalidade é fazer um simulação do céu”, explicou Vasconcelos.

Com mais de 100 planetários fixos e itinerantes, o Brasil é, de acordo com o presidente da ABP, o país com o maior número deles em todo o Hemisfério Sul.

Na América, fica atrás apenas dos Estados Unidos. Esses espaços, disse Vasconcelos, ajudam as pessoas a despertar o gosto pela ciência: “Vivemos em uma sociedade altamente dependente de ciência e tecnologia, mas que poucos entendem o fazer da ciência, como ela funciona. Então, o planetário tem esse papel importante”.

A Agência Brasil conversou com Vasconcelos sobre o equinócio de primavera, planetários, educação e a importância da ciência. Leia a seguir os principais trechos da entrevista:

Agência Brasil: Por que foi escolhida a data 22 de setembro para esta exibição?

José Roberto de Vasconcelos: A ideia surgiu porque os planetários, assim como os cinemas e outros espaços em que há aglomerações de pessoas, ficaram bastante afetados durante a pandemia, os planetários inclusive ainda permanecem fechados. Nós, que trabalhamos nesses ambientes, os chamados planetaristas, estávamos com uma saudade enorme de atender as pessoas, de mostrar nosso conteúdo. Nos planetários, a gente produz o nosso próprio conteúdo. São espaços voltados para a educação. Surgiu uma ideia de fazer algo virtual de planetário só para matar a saudade. Decidimos aproveitar que nesse mês de setembro tem o equinócio de primavera, dia 22, e, por meio da ABP, reunir planetaristas do Brasil todo. Quando você vai ao planetário, geralmente você vê [vídeos] sobre o céu da sua cidade. [Nessa sessão], vamos ver o céu do Brasil. Dependendo da região que você está, você vê uma constelação mais alta, outra mais baixa.

Agência Brasil: Como será essa sessão?

Vasconcelos: Vamos tentar emular um pouco do que acontece dentro de um planetário. O planetário é um simulador do céu. Ele lembra uma sala de cinema, mas a projeção, ao invés de ser em uma tela plana, que fica na sua frente, acontece em uma cúpula, em um domo, que fica acima de você. Quando você vai a um planetário, você senta em uma poltrona reclinável e olha para cima. É como se estivesse ao ar livre olhando para o céu. A função do planetário, embora ele possa apresentar vários tipos de conteúdos diferentes nessa tela em formato de domo, a principal função dele é fazer uma simulação do céu. Então, constelações, planetas, viagens espaciais, essas são as especialidade do planetário. O que a gente vai fazer nesse dia 22 é uma simulação de planetário que vai acontecer no computador, no celular, no meio que a pessoa quiser assistir. Vamos falar sobre constelações, estações do ano, o que é o equinócio e o que é esse fenômeno que marca o início da primavera. E sobre os céus do Brasil.

Agência Brasil: O que é o equinócio de primavera, esse fenômeno que vai acontecer às 10h31 do dia 22?

Vasconcelos: Equinócio é um ponto da órbita do nosso planeta que marca o início de uma estação do ano. No ano, você tem quatro estações, que são mudanças climáticas que acontecem por conta da posição do nosso planeta em relação ao Sol. São quatro pontos de interesse nessa órbita, nessa trajetória que a Terra faz em torno do Sol. O que a gente chama de ano é uma volta completa da Terra em volta do Sol. E tem quatro pontos de interesse, são dois pontos chamados equinócios e dois solstícios, os do equinócio, marcam o início da primavera e do outono e os solstícios, do verão e do inverno.

Agência Brasil: Qual é a situação dos planetários no Brasil e de forma eles foram impactados pela pandemia do coronavírus?

Vasconcelos: O que me incomoda é que a distribuição dos planetários é desigual. Ainda temos muito mais planetários nas regiões Sul e Sudeste que no Norte e Nordeste. Mas, somos uma comunidade numerosa, temos mais de 100 planetários no Brasil, entre unidade fixas e móveis. Esse número de planetários, mais de 100, faz com que a nossa comunidade planetária seja a segunda das Américas, só perde para os Estados Unidos, e seja a maior de todo o Hemisfério Sul. No Hemisfério Sul não tem uma quantidade de planetários em um único país tão grande quanto no Brasil. Em termos de número, eles estão bem e estavam abertos. Agora estão nessa pausa. Quem está sofrendo mais são os pequenos, os planetários móveis, porque muitas vezes são da iniciativa privada ou de uma associação. A parte dos planetários públicos, os federais, estaduais e municipais, eles estão em stand by. A grande maioria deles está ativa, no sentido de que, quando terminar essa pandemia, eles retornam, sim.

Agência Brasil: Esta semana tivemos uma notícia importante, a possível descoberta de vida em Vênus. Como isso foi visto pelos planetaristas?

Vasconcelos: Se a gente estivesse recebendo o público nesse momento, esse seria um assunto que todo planetarista ia conversar com os visitantes. Já estaria tudo preparado para mostrar a eles, estaríamos com sessão, com programa sobre o planeta Vênus. O planetário está sempre muito conectado [com a atualidade], em termos de ciência, de astronomia em particular, de ciência em geral, e com a importância que isso tem para a nossa sociedade. Vivemos em uma sociedade que é altamente dependente de ciência e tecnologia, como afirma o astrônomo Carl Sagan. Estamos conversando por celular, vamos fazer a live no computador, pela internet. A vacina que está sendo desenvolvida contra covid-19 é ciência, tudo isso é ciência. Mas, as pessoas não têm muito contato com a ciência. Vivemos em uma sociedade altamente dependente de ciência e tecnologia, mas que poucas pessoas entendem, compreendem o fazer da ciência, como ela funciona. Então, o planetário tem esse papel importante de fazer esse gancho, de resgatar, de dizer “olha como a sociedade precisa da ciência”.

Por Agência Brasil

Petrolândia: Gestora da EREFEM ICÓ MANDANTES, Iolanda Santos parabeniza professoras e funcionários por alcance de Metas do IDEB

Escola de Referência no Ensino Fundamental e Médio - EREFEM ICÓ MANDANTES (Foto: Assis Ramalho/BlogAR)


Na última quarta-feira (16) dia da divulgação das metas DO IDEB - ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA, A EREFEM ICÓ MANDANTES - ESCOLA DE REFERÊNCIA EM ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO, localizada no Perímetro Irrigado de Icó Mandantes, espaço rural, no município de Petrolândia PE, em nome da gestora Iolanda Santos, vem divulgar e Parabenizar a todos os professores, professoras, funcionários em geral que forma a instituição.

Dizer que a soma colaborativa do esforço de cada um foi o responsável pelo alcance das Metas projetadas para o ano de 2019. Dizer da satisfação, da felicidade e na certeza do dever cumprido. Desafios foram muitos. Mas muito também foi a determinação de todos e todas. Continuamos firmes na luta para a ampliação e melhoria da educação dos nossos alunos e alunas.

Muito obrigada.
Iolanda Santos: Gestora da EREFEM ICÓ MANDANTES - Petrolândia-PE

Blog de Assis Ramalho
Informação: Iolanda Santos

Empenhado na reeleição, Bolsonaro está cada vez mais personalista


O presidente Jair Bolsonaro tem visto a sua popularidade crescer nos últimos meses e quer garantir que esse bom momento não seja algo passageiro. Para isso, o chefe do Executivo tem tomado o cuidado de tentar desvincular o nome dele de propostas que possam significar uma afronta para a população ou repercutir de forma negativa entre os seus eleitores. Os movimentos de Bolsonaro são minimamente calculados, especialmente por causa da sua pretensão de se reeleger em 2022. Com sede de poder, o presidente fará de tudo para manter a boa imagem até o próximo pleito presidencial, mesmo que para isso ele tenha de desagradar aos seus próprios comandados

Os sinais mais claros disso aconteceram na última semana. Para seguir em alta com os brasileiros mais pobres, que passaram a apoiá-lo por conta do sucesso do auxílio emergencial, Bolsonaro criticou o Ministério da Economia por sugerir cortar benefícios da população menos abastada como forma de viabilizar a criação do Renda Brasil, programa social que deve substituir o Bolsa Família. Além disso, para manter mobilizada a sua base de apoio mais fiel, disse ser a favor do afrouxamento das regras tributárias para igrejas e templos, o que também não encontra respaldo na equipe econômica.

Contudo, como os temas causaram ruído dentro do Executivo, o presidente decidiu transferir a responsabilidade para o Congresso Nacional. Deu aval para que o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator do Orçamento para 2021, construa um novo programa de transferência de renda e incitou os parlamentares a darem a palavra final sobre o projeto de lei que permite o perdão de dívidas tributárias a instituições religiosas — Bolsonaro até orientou a derrubada do seu veto à proposta, que só foi estabelecido para que ele não respondesse a um processo de impeachment por crime de responsabilidade fiscal.

Para evitar um desgaste desnecessário à sua gestão, o presidente espera que deputados e senadores levem o tempo que for necessário para concluir as propostas e tomem “a decisão correta” por ele. A ideia do chefe do Executivo é poupar-se de episódios como o da última terça-feira, quando fez um desabafo público sobre o Ministério da Economia pela proposta de congelar aposentadorias e pensões como alternativa para abrir espaço no Orçamento ao Renda Brasil. “Quem porventura vier a propor para mim uma medida como essa, eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, advertiu o chefe do Planalto.

Sinais trocados

No Congresso, o comportamento de Bolsonaro é visto com ceticismo por parte de alguns parlamentares. A avaliação de deputados e senadores é de que o presidente está disposto a fazer tudo para seguir no Palácio do Planalto até 2026, apesar de não ter completado nem metade do seu primeiro mandato ainda. Para o deputado Fábio Trad (PSD-MS), a possibilidade de reeleição é um problema, pois ela “desencadeia a perversão das primeiras finalidades de um governo”.

Ele destaca que Bolsonaro já não demonstra mais se preocupar tanto com o “receituário liberal”, de promessa de ajuste fiscal e contenção da máquina pública, que o elegeu há dois anos. “Temos um presidente em franca caminhada para a sua tentativa de reeleição. Portanto, muitas das decisões que estão sendo tomadas se devem mais ao candidato à reeleição do que ao presidente Jair Bolsonaro”, opina.

“Quando o presidente se mostra, agora, desenvolvimentista, tendo um ministro da Economia com perfil nitidamente ultraliberal, não dá, evidentemente, para se vislumbrar qual é o perfil desse governo. O presidente faz de tudo para a expansão das contas públicas, objetivando a reeleição, enquanto o ministro da Economia procura reduzir o tamanho do Estado, objetivando o ajuste fiscal. São sinais trocados no mesmo governo. Isso é ruim para o país”, acrescenta o deputado.

Trad acredita ser negativa a sinalização que Bolsonaro passa para a sociedade com esse tipo de atitude. Para o deputado, o presidente coloca o país em perigo ao assumir o risco de degradar as contas públicas para que, em um eventual segundo mandato, possa minimizar os danos causados “pelo seu desejo infrene de reeleição”. “Estamos prestes a perder o controle das contas públicas, ver a volta da inflação e a degradação total da nossa economia. Bolsonaro tem mais a perder, porque as instituições, incluindo o mercado, não veem com bons olhos esse tipo de comportamento”, observa o parlamentar.


O senador Major Olímpio (PSL-SP), por sua vez, diz que Bolsonaro pode fracassar em querer agradar a todos. Além disso, ele critica a desistência do presidente de chancelar assuntos polêmicos e de ter “jogado a bomba” para o Congresso. “Ele está se tornando o capitão Pôncio Pilatos. Qualquer circunstância que possa exigir uma postura de governante, ele lava as mãos e promove situações ridículas, deixando o problema para o Parlamento. No final, se der certo, ele vai querer ficar com os créditos. Se der errado, vai dizer que a culpa é nossa”, pondera. “Para Bolsonaro, não existe interesse público. Existe o interesse dele apenas no seu projeto de poder”, finaliza.
Mudanças

Cientistas políticos ressaltam que o fato de Bolsonaro ir contra a própria equipe é um ponto bastante negativo, pois a impressão que fica é a de que há uma descoordenação nas engrenagens do governo e que o presidente não tem autoridade suficiente para ser comunicado sobre as decisões da sua equipe.
“O desentendimento sobre o Renda Brasil evidenciou um ruído entre a economia e o Executivo. O secretário de Fazenda, Waldery Rodrigues, veio a público apresentar uma proposta que depois foi rechaçada por Bolsonaro. Mostra que não houve entendimento prévio antes de apresentar”, constata o professor do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (Ipol/UnB) Paulo Kramer.

Para evitar ainda mais prejuízos à sua imagem, Bolsonaro precisa deixar de lado, também, os desabafos públicos, que apenas fazem com que ele tome decisões precipitadas. “Bolsonaro fez uma reflexão imediata em função do péssimo impacto das hipóteses cogitadas para custeio do programa. Teve uma reação impensada e, tentando baixar a fumaça e evitar que o incêndio prosperasse, colocou um basta. Mas, como é rotineiro no governo, rapidamente deu um ‘cavalo de pau’ e pediu estudos para criar um novo projeto”, comenta o economista Gil Castello Branco, secretário-geral da Associação Contas Abertas.

Por Correio Braziliense


Petrolândia (Revivendo bons momentos antes da Covid-19): Poucos dias após inauguração do Residencial Parque das Pedras, pandemia do novo coronavírus surgia no Brasil para dar um tempo no lazer do povo de Petrolândia e região



No dia 26 de fevereiro desse ano de 2020 era confirmado o primeiro caso de coronavírus no Brasil. O paciente foi um homem de 61 anos que viajou à Itália, e deu entrada no Hospital Albert Einstein (SP) no dia anterior.  Até então ninguém imaginava que era apenas o começo de uma tragédia que estava por vir.

Nesta mesma data, 26 de fevereiro, Petrolândia ganhava um dos pontos de lazer mais bonito já visto. Era inaugurado o Parque das Pedras, complexo de lazer com parque aquático e restaurante, localizado no Projeto Apolônio Sales. Durante os poucos dias de funcionamento, o local foi fortemente frequentado por moradores de Petrolândia e cidades vizinhas. Mal sabiam que o extraordinário ponto de lazer estava com os dias contados, pois no mês seguinte a maldita pandemia seria responsável pelo seu fechamento.

O último grande evento do Parque das Pedras aconteceu no dia 08 de março de 2020, dia em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher.  A reportagem do Blog de Assis Ramalho fez o registro, reveja abaixo.

Mais lazer em Petrolândia: Parque das Pedras recebe grande público no Dia Internacional da Mulher
  


 





VEJA ABAIXO MAIS FOTOS

Neste domingo, 08 de março de 2020, dia em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher, o Parque das Pedras, complexo de lazer com parque aquático e restaurante, localizado no Projeto Apolônio Sales, em Petrolândia, Sertão de Pernambuco, voltou a receber um grande público.

Em grande parte mulheres acompanhadas de seus companheiros, ou até mesmo em turma de amigas e amigos. O domingo foi de comemoração e diversão no Parque das Pedras.

Animado pelo eclético cantor Keven Vip, o evento de ontem também contou com turistas do Estado da Bahia, Alagoas, Sergipe, Rio de Janeiro e vários municípios circunvizinhos, a exemplo de Tacaratu, Floresta e Jatobá.

O Residencial Parque das Pedras, que também abriga espaços para a construção de habitações (lotes), funciona normalmente aos sábados, domingos e feriados - das 10h00 às 18h00.

Contato 87 9.999-3238 - falar com o gerente Marcelo Antas.

O empreendimento é de propriedade do empresário José Antas, administrador principal do monumental empreendimento de cerca de 15 mil metros quadrados.

Conheça as belezas de Petrolândia, conheça o Parque das Pedras!
A poucos minutos do centro da cidade.

O município está no Mapa do Turismo disponibilizado pelo Ministério do Turismo/Embratur, como integrante da Rota Turística Ilhas e Lagos do São Francisco.

Veja abaixo vídeos e fotos - registros do Blog de Assis Ramalho neste domingo 08 de março de 2020.








































































































Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos e vídeos: Assis Ramalho/BlogAR