Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Petrolândia participa do primeiro intercâmbio para piscicultores do Sertão de Itaparica promovido pelo Prorural


O projeto de Assistência Técnica do ProRural promove troca de experiências entre produtores de Pernambuco e Bahia. A ação é uma articulação da UGT Petrolândia (Fotos: ProRural)


Muito debate e novos conhecimentos movimentaram os produtores de pescado do Sertão pernambucano no último final de semana (dias 23 e 24). Prestes a receber uma unidade de beneficiamento de pescado para região, que está sendo financiada pelo Governo de Pernambuco através do ProRural, os piscicultores pernambucanos apoiados pelo Programa participaram de um Intercâmbio para troca de experiências com os piscicultores do estado da Bahia. O objetivo foi conhecer e aprender com as experiências e as diferenças do modelo implantado do lago de Sobradinho.

Em parceria com o Governo da Bahia, o encontrou reuniu 30 produtores de 15 associações dos municípios de Petrolândia, Jatobá, Itacuruba, Floresta e Belém do São Francisco. Os participantes fizeram visitas em campo, conheceram outras modalidades de produção dentro da piscicultura de tanques-redes, estiveram na unidade de beneficiamento da região e no terminal pesqueiro que o governo do estado vizinho está reformando para repassar à cooperativa baiana, além de vivenciarem a forma diferente de como se organizam em associações.

O intercâmbio é uma das etapas do primeiro projeto de assistência técnica para produtores familiares executado pelo ProRural, que vai além do apoio financeiro e se propõe a acompanhar os projetos de produção de tilápia e prestar serviços de assistência técnica, extensão pesqueira e aquícola (ATEPA) aos grupos de tilapicultores apoiados pelo Programa. Entre as atividades, está a capacitação de 180 produtores no manejo e gestão da piscicultura em tanques-rede, duas visitas técnicas mensais a cada associação, orientação quanto ao licenciamento ambiental, logística, comercialização do pescado e participação em feiras, entre outros.

Para o diretor geral do ProRural, Fábio Fiorenzano, a troca de experiências é muito importante neste momento em que o ProRural está financiando a Unidade de Beneficiamento do pescado pernambucano. “Os piscicultores devem estar cada vez melhor qualificados para receber esse novo empreendimento e assim dar mais sustentabilidade ao negócio. Para isso, é fundamental que conheçam outros modelos e possam crescer com todas as experiências exitosas do setor”, ressalta Fiorenzano.

Segundo o Gerente da Unidade de Gestão Territorial (UGT) do ProRural em Petrolândia, Kleyton Lima, os produtores também ensinaram muito no intercâmbio, pois já têm grande conhecimento na piscicultura em tanques-rede, mas ratificou a importância da troca de experiências e também dos contatos que poderão gerar negócios futuros.

“A principal atividade do intercâmbio foi conhecer a unidade de beneficiamento de pescado, pois lá puderam visualizar a forma de gestão e organização da cooperativa baiana. Conhecendo o processo de funcionamento in loco e a estrutura que está em fase de adequação, os participantes já aprenderam todas as fases e entraves do beneficiamento. Esse foi o primeiro encontro dos dois que a ATEPA prevê e acreditamos que o trabalho vai gerar muitos resultados positivos”, lembra Kleyton.

A ação “Assistência Técnica a Produtores Familiares de Piscicultura em Tanques-Redes no Sertão de Pernambuco” é uma articulação da UGT Petrolândia, com recursos oriundos de convênio firmado entre o órgão e o antigo Ministério da Pesca. O contrato é executado pela Federação dos Círculos Operários (FECOPE), com supervisão do Programa, por um período de dois anos.




Rossana Fonseca/Assessoria de Comunicação ProRural - Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária

Comentários

Publicidade