sexta-feira, 31 de março de 2017

Ação do Governo Federal impulsiona retomada do Canal do Xingó

Movimentação orçamentária em favor da Codevasf resultou de esforço do Ministério da Integração Nacional e de mobilização da bancada parlamentar federal (Foto: Zinclar CBHSF)

O governo federal garantiu os recursos para a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) licitar o serviço de elaboração do projeto básico para a primeira fase do Canal do Xingó. O projeto irá nortear a construção do canal, que vai ofertar água para a população do semiárido nos estados de Sergipe e Bahia. A elaboração do projeto básico está estimada em R$ 16 milhões e a ação será financiada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Os recursos necessários para o ano de 2017 foram viabilizados por meio da inclusão, na Secretaria de Orçamento Federal (SOF), de movimentação orçamentária em favor da Codevasf, iniciativa que teve o apoio do Ministério da Integração Nacional e da bancada parlamentar federal de Sergipe.

“Foi com o empenho incondicional do ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e do senador Antônio Carlos Valadares, que conseguimos viabilizar os recursos necessários para elaboração do projeto básico para a construção do Canal do Xingó, obra tão esperada pela população dos estados da Bahia e de Sergipe.”, afirma a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino. “Foi uma verdadeira somatória de esforços para minimizar o sofrimento da população que tanto sofre com os impactos da severa estiagem que atinge a região”, conclui.

Nesta sexta-feira, 31, a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, e o diretor de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura, Marco Aurélio Diniz, participam da palestra “Canal Xingó – Concepção Técnica, Potencialidades e Perspectivas”, promovido pela Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe para provocar uma discussão sobre o projeto. A apresentação será conduzida pelo gerente de Implantação de Obras da diretoria de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Codevasf, Luiz Augusto Fernandes.

“O Canal de Xingó está obedecendo a todos os cronogramas previstos. Ainda este ano, com o início efetivo do projeto básico, as bancadas federais dos dois Estados beneficiados com a construção do Canal de Xingó, Sergipe e Bahia, deverão apresentar emendas coletivas para dar apoio à realização concreta dessa grande obra de infraestrutura para atender a diversos municípios integrantes do semiárido, fortalecendo suas perspectivas econômicas e sociais com o aporte de recursos hídricos permanentes”, destacou o senador Antônio Carlos Valadares.

A primeira fase do Canal do Xingó inclui os primeiros 114,55 quilômetros do empreendimento, que vai desde a captação de água no reservatório de Paulo Afonso IV (BA), passando por Santa Brígida (BA) e Canindé de São Francisco (SE), até o antigo reservatório R-5 em Poço Redondo (SE). O anteprojeto de engenharia, finalizado pela Codevasf no ano passado, estimou em R$ 872 milhões o investimento necessário para a construção da obra.

O superintendente regional da Codevasf em Sergipe, César Mandarino, entende que a união de forças favorece o bom andamento do projeto. “Com o esforço conjunto da bancada de Sergipe e dos governos federal e estadual, não há dúvidas de que o Canal do Xingó será realidade. Esse é um desejo da população de Sergipe e de todos que fazem a Codevasf, já que essa é uma das principais ações da Codevasf no estado”, declarou o superintendente.

A Codevasf investiu R$ 6,8 milhões na elaboração do anteprojeto de engenharia da primeira etapa do Canal do Xingó. O documento forneceu à Codevasf informações como posicionamento adequado das tomadas de água, necessidades de ajustes no traçado do canal, dimensionamento e posicionamento de barragens, avaliações geológicas e de solo, entre outras soluções técnicas. Os próximos passos são a elaboração do projeto básico e a obtenção de licença prévia junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

Quando concluídas as duas fases da obra, o canal terá extensão prevista de 290 quilômetros. “O canal irá fornecer água para usos múltiplos, incluindo consumo humano, agricultura irrigada, dessedentação animal e agroindústrias”, explicou Carlos Hermínio, responsável por acompanhar as ações relativas ao Canal do Xingó em Sergipe. A segunda fase do empreendimento irá partir de Poço Redondo e prosseguir pelos municípios sergipanos de Porto da Folha, Monte Alegre de Sergipe e Nossa Senhora da Glória.

Codevasf

Nenhum comentário:

Postar um comentário