Publicidade

A grande cilada do momento presente é um túnel sem luz nem saída no final - Texto de Raul Ferreira


Tenho visto nobreza em atitudes que divergem de minhas inclinações, tenho aprendido com pessoas que pensam diferente de mim, tenho ouvido quem se dispõe a conversar com o coração aberto, mas ainda não consegui me convencer de que tenho que participar dessa polarização intraburguesa, orquestrada e instaurada de forma a mistificar o uso das palavras e a sequestrar a luta que, mais do que nunca, se faz cada vez mais necessária. Ela é, até onde consigo entender, a grande cilada do momento presente, um túnel sem luz nem saída no final (há uma saída à esquerda, basta querermos olhar e sair por ela).

Não combaterei a corrupção, não nos termos que me são dados. Não defenderei a democracia, não nos termos que me são dados. Há outros termos, e eles têm dificuldade de vir à luz porque a maioria decidiu-se por replicar acusações de pessoas que no íntimo lamentam não terem conseguido cometer as mesmas ilegalidades que seus adversários cometeram. 

Já passou da hora de interrompermos nossa condescendência e reconhecermos que a tempestade engrossa cada vez mais, seja qual for o lado que saia menos ferido dessa disputa criminosa. Os tempos que virão serão ainda mais difíceis; recrudesçamos nossas posições; criemos novas identificações e a mobilização que de fato será útil daqui para frente. Não aceitemos mais o pouco que nos foi dado até agora: pois, no mínimo, merecemos tudo.

Reprodução do Facebook de Raul Ferreira, Doutor em Teoria da Literatura pela UFPE

Comentários

Publicidade