Publicidade

Mulheres com deficiência apontam demandas para pautar ações do próximo governo de PE


Um relatório contendo as principais demandas relacionadas às mulheres com deficiência irá nortear a luta do segmento na busca da garantia de direitos e na implementação de políticas públicas a partir de 2015. O documento foi construído durante o İ Encontro Estadual das Mulheres com Deficiência, promovido pela Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher-PE), nesta quinta-feira (23/10), no Hotel Jangadeiro, em Boa Viagem. Cento e vinte e cinco mulheres participaram do debate que teve como tema "Mulher com deficiência: empoderamento e seus entraves.

"Temos o entendimento de que as políticas públicas ainda não atendem a todas as especificidades das mulheres com os diferentes tipos de deficiência. Para que isso aconteça, precisamos ouvir de cada grupo quais são as suas necessidades. O relatório construído por estas demandas tem como objetivo subsidiar possíveis políticas públicas e fortalecer essas mulheres", explicou a secretária da Mulher de Pernambuco, Barbara Kreuzig.

Debates - Ao longo do encontro, as mulheres foram convidadas a debater dois temas. O primeiro foi o "Movimento da Mulher com Deficiência na Política da Promoção da İgualdade de Gênero", a partir das explanações da ex-secretária da Mulher de Pernambuco e pesquisadora da Fundação Joaquim Nabuco, Cristina Buarque, e da professora da Universidade Federal de Pernambuco Lady Selma Albernaz.

"Durante muito tempo se olhava para a pessoa com deficiência apenas no campo da psicologia, da saúde e da educação. O recorte social é algo muito novo no Brasil e em Pernambuco. Há pouco tempo vocês conseguiram mostrar que assim como têm direito a tratamento médico, têm direito ao lazer. E a mesma dificuldade que se enfrenta para ir ao médico, existe para ir a praia, que é tão fácil para outras pessoas", destacou Cristina Buarque, cintando o programa Praia sem Barreiras, idealizado pelo Governo do Estado. A pesquisadora também incentivou a participação das mulheres com deficiência dos conselhos do segmento a fim de pautar os gestores públicos.

"A atuação dos órgãos de defesa dos direitos da pessoa com deficiência e do poder executivo na aplicação das políticas públicas para as mulheres com deficiência" foi o tema do segundo debate. A superintendente Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (SEAD), Rose Maria dos Santos, apresentou as ações desenvolvidas pelo órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Pernambuco Conduz, Camarote da Acessibilidade e as Centrais de Libras são algumas das ações desenvolvidas pela SEAD.

Rose Maria ressaltou que desde que o Brasil ratificou a Convenção da ONU sobre a pessoa com deficiência, as políticas públicas para o segmento foram relacionadas como direitos humanos. Para ela, a acessibilidade é o direito básico de toda pessoa com deficiência. "Acessibilidade é o ponto número um para que outros direitos cheguem. Não só a acessibilidade física, como as rampas e elevadores. Mas também a acessibilidade comunicacional. Por isso, é importante vermos aqui neste evento intérpretes de Libras e áudio descritores para que as pessoas surdas e as cegas possam compreender a discussão e participar ativamente", concluiu.

Representantes das secretarias de Defesa Social, Saúde e Administração de Pernambuco também participaram do debate e se colocaram à disposição do segmento. "A polícia de Pernambuco não tem ações específicas para as mulheres com deficiência. Mas espaços como esse são importantes para fazer com que nós, gestores, passemos a refletir sobre como implementar ações para atender as demandas específicas. Certamente, no próximo encontro trarei as inovações da polícia destinadas às mulheres com deficiência", comprometeu-se Lenise Valentim, delegada responsável pelo Departamento de Polícia da Mulher.

Ao final das exposições, as participantes apresentaram as demandas do segmento a partir das experiências dos diversos municípios representados no encontro. As carências apontadas serão compiladas e irão fazer parte do relatório que deverá nortear as ações do próximo governo.

Secretaria da Mulher

Comentários

Publicidade