Publicidade

Metalúrgicos de Pernambuco podem parar as máquinas


Os Metalúrgicos de Pernambuco chegam a 6ª rodada de negociação da Campanha Salarial 2015, sem que a classe patronal tenha demonstrado abertura para o diálogo sobre a pauta da categoria. Ao invés disso, os empresários falam em reduzir direitos que já foram conquistados pelos trabalhadores em convenções anteriores. A reunião de hoje (9/9) acontecerá às 14 horas na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), na Agamenon Magalhães.

Os patrões propõem, entre outras questões, a redução das horas extras para 50%, do adicional noturno para 25%, até fevereiro, e para 30%, a partir de março; e a exclusão da indenização complementar para trabalhadores e trabalhadoras com mais de sete anos. “Para completar o descaso, pedimos um aumento salarial de 15% e eles apresentaram uma contraproposta de 5%, sendo pagos em parcelas: 4% agora e 1% em janeiro de 2016”, explica o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do estado, Henrique Gomes, que complementa: “Não estamos percebendo interesse dos patrões em considerar as nossas reivindicações. Agora, vamos ter a intermediação do Ministério do Trabalho e se não houver acordo, vamos intensificar as mobilizações na porta das fábricas, até parar as máquinas”.

A Campanha Salarial dos Metalúrgicos deste ano, que tem como lema “Assegurar Direitos e Ampliar Conquistas”, foi iniciada oficialmente no dia 24 de julho,com uma Assembleia da Categoria, onde foi analisada e aprovada a pauta de reivindicações. Logo em seguida, a classe patronal foi notificada e foram agendadas as reuniões de negociação.



Assessoria de Comunicação da Campanha

Comentários

Publicidade