Publicidade

Fernando Bezerra Coelho apresenta projeto de lei para punir empresas que discriminam mulheres

Foto: Moreira Mariz/Senado

Fernando lembrou que as mulheres brasileiras recebem, em média, 21% a menos que os homens para cumprir as mesmas tarefas. Em Pernambuco, a distorção é de 18%. O Senador destacou que, quanto mais desenvolvido é o Estado, maiores são as diferenças salariais entre os gêneros. No Acre, 21º IDH do Brasil, os homens recebem 8% a mais. Já em Santa Catarina, o terceiro melhor IDH do país, a distância chega a 30%, segundo dados da Pesquisa Nacional de Amostragem Domiciliar (PNAD).

“O que nos mostra, portanto, que não basta elevar a renda de uma localidade, ou a qualidade do emprego, para promover a igualdade de gêneros. Precisamos ter políticas públicas específicas para coibir este tipo de violência contra as mulheres”, disse o Senador durante discurso na tribuna do Senado. Ele lembrou que a proposta de equiparação salarial foi assumida durante a campanha eleitoral de 2014. “Honro, aqui, um compromisso assumido com minhas conterrâneas”, disse.

Fernando citou algumas políticas públicas desenvolvidas em Pernambuco, como os programas Mãe Coruja e Chapéu de Palha Mulher. Ele aproveitou o discurso para cumprimentar as mulheres brasileiras e fazer uma homenagem a ex-deputada Cristina Tavares, de quem foi colega na Assembleia Nacional Constituinte. Uma mulher valente, guerreira, que jamais fugiu da luta e soube honrar as melhores tradições do país. É em nome dela que cumprimento todas as brasileiras.

Assessoria de Imprensa - Fernando Bezerra Coelho

Comentários

Publicidade