Publicidade

"Petrolândia limpa é mais bonita pra você" realiza "Dia D" sem motivo para comemoração

PetroLimpo, mascote da campanha "Petrolândia limpa é mais bonita pra você" (Reprodução PMP)

Com programação iniciada às 8h00 da manhã, com trilha e "piquenique sustentável" no Mirante da Serrota, a Prefeitura Municipal de Petrolândia comemora neste sábado (15), o "Dia D" da campanha educativa de limpeza pública "Petrolândia limpa é mais bonita pra você". À tarde, a partir das 16h00, as ações se concentraram na Praça da Matriz, com exposições e apresentações culturais. Mas, realmente, a campanha cumpriu seu objetivo? Pode até haver algo para comemorar, mas nenhum número, desde o começo do projeto, foi divulgado até agora.

O que menos entendemos é o motivo de o encerramento da campanha ser uma "festa" se, pela lógica, um "dia D" é o momento em que as ações de determinado projeto são realizadas com a maior intensidade, para aumentar o atingimento de seu objetivo. No caso dessa campanha, as ações seriam de limpeza pública e educativas. Não faria mais sentido concluir o projeto com mutirão de limpeza - mesmo simbólica - em todas as quadras?

Com direito a mascote, a campanha Petrolândia limpa é mais bonita pra você foi lançada no dia 27 de agosto deste ano, com ações nas Quadras 01 e 02. O objetivo inicial era incentivar, por meio de vídeos, mutirões de coleta de lixo e ações educativas junto à população, a conscientização dos moradores sobre a importância da colaboração popular para a limpeza urbana. Sem ações educativas, sem cronograma definido nem divulgado, sem envolvimento com a comunidade, o foco da campanha foi perdido com o passar das semanas.

Bastante salutar na teoria, na prática a campanha se tornou mais uma reapresentação da famosa série "É a última vez que eu limpo isso aqui pra você", com as conhecidas menções ao Código de Postura do Município, instrumento sem prestígio nenhum junto à comunidade, a começar pela Câmara de Vereadores, que nomeia ruas em duplicidade e cria bairros onde o Ministério Público do Estado consideraria irregular, por ausência do básico, a instalação de um loteamento.

Petrolândia foi atingida, no início deste mês, por intensos temporais, durante dois dias seguidos, que causaram prejuízos, como desabamento de forros de gesso, infiltrações da chuva em tetos e paredes, motivos que levaram muitos moradores a fazer reformas emergenciais em suas residências, além da poda ou até mesmo retirada de árvores dos quintais, para evitar incidentes como aqueles que foram vistos na cidade. A título de exemplo sobre a falta de envolvimento da campanha com a população, em quase todas as ruas da Quadra 01 - onde o projeto foi iniciado - há entulhos e restos de árvores, provenientes quase todos do pós-temporal. Não deveria ser uma ação da campanha da Prefeitura colaborar com a população para retirar o material das ruas, neste momento em que os moradores arcaram com prejuízos e despesas inesperadas para trocar telhas, retirar e recolocar gesso, pagar diárias de pedreiros?

Outro aspecto que, finda a campanha, não está claro, é como a população deverá ou poderá livrar-se de entulhos, restos de móveis e outros materiais que a Prefeitura, por força do Código de Postura, diz que não vai mais recolher (exceto se o MPPE obrigar). Existem empresas que façam o serviço em Petrolândia, com transporte até o Aterro Sanitário, ou essa medida não irá contribuir para a expansão vergonhosa do lixão às margens da BR-110, na saída de Petrolândia para as agrovilas da Reta, do lixão na beira da estrada para o Mirante da Serrota? Hoje, a campanha termina festivamente, mas, com certeza, o problema permanece.

Redação do Blog de Assis Ramalho

Comentários

Publicidade