Publicidade

Na Alepe, Rodrigo Novaes destaca confirmação de venda de diplomas por faculdades investigadas em CPI

Segundo Novaes, dados do MEC apontam que centenas de pessoas receberam diplomas de instituições, sem registro de presença em sala de aula (Foto: Rinaldo Marques/Alepe)

Relatório elaborado pelo Ministério da Educação (MEC) comprova a venda de diplomas por instituições investigadas pela CPI das Faculdades Irregulares da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A informação foi divulgada pelo deputado Rodrigo Novaes (PSD) na Reunião Plenária da Alepe dessa quinta (23). Segundo o parlamentar, os dados apresentados pelo MEC demonstram que 1.313 pessoas receberam diplomas da Fundação de Ensino Superior de Olinda (Funeso) sem que tenha havido registro de presença em sala de aula. Outros 31 diplomas vinculados à Faculdade de Desenvolvimento e Integração Regional (Fadire) também estariam na mesma situação.

“Tivemos cidadãos que foram enganados, ao receberem certificados de cursos que não são reconhecidos por conselhos profissionais”, salientou o deputado. “Vamos continuar cobrando ao MEC e ao Ministério Público Federal que consigam extirpar esse mal. Também sugerimos a criação de uma CPI no Congresso Nacional sobre o assunto”, reforçou.

Rodrigo Novaes informou que, no próximo dia 6, haverá apresentação do relatório do Ministério da Educação na Alepe em audiência pública da Comissão de Educação. “Vamos mostrar para a sociedade as instituições que estão lesando os estudantes pernambucanos”, anunciou.

CPI – Encerrada em maio de 2016, a CPI das Faculdades Irregulares recomendou o indiciamento de 14 instituições de ensino e 19 pessoas, pelo oferecimento de cursos de extensão sob forma aparente de graduação e pelo comércio de diplomas, entre outras irregularidades. Segundo o relatório do colegiado, os envolvidos teriam cometido crimes de propaganda enganosa, sonegação fiscal, falsidade ideológica, estelionato e associação criminosa.

Alepe

Comentários

Publicidade