quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Paróquia de Tacaratu realiza casamento de jovem casal cigano no Santuário de Nossa Senhora da Saúde




Padre Domingos, pároco de Tacaratu, realizou na Igreja de Nossa Senhora da Saúde, naquela cidade, o casamento de um jovem casal de ciganos. Na cerimônia, realizada durante a dia, as vestes das ciganas, de cores muito vivas e brilhos, iluminaram ainda mais a igreja, sem flores em sua decoração. A noiva usou o tradicional vestido de noiva de cor branca.

Segundo estimativas incluídas em relatório da ONU, apresentado em 2015, em Brasilía-DF, a comunidade cigana soma cerca de 500 mil pessoas, em 337 municípios de 21 Estados. Apesar de numerosa, essa comunidade é “invisível” para as autoridades brasileiras, e sofre com o baixo acesso a educação, saúde e participação política, além de ser alvo frequente criminalização, devido à propagação de estereótipos e preconceitos, inclusive por parte da mídia.

“Esses estereótipos são frequentemente perpetuados pela mídia, por meio da reprodução de imagens e representações de ciganos ‘sujos, trapaceiros e imorais’”, diz o relatório. “Esses estereótipos também contribuem para a criminalização das comunidades ciganas, incluindo discriminação para acesso a espaços públicos.”

A conclusão da ONU é que, no Brasil, as famílias de ciganos estão frequentemente em situação de extrema pobreza, sem acesso a eletricidade, água potável e saneamento básico adequado, além de sofrerem preconceito, discriminação e exclusão das políticas públicas.

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Paróquia e Santuário de Nossa Senhora da Saúde
Fonte: ONU Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário