Publicidade

Compesa capacita leituristas para atuar no combate ao mosquito Aedes aegypti


A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) encerrou, nessa segunda-feira (18), o ciclo de capacitação dos 610 leituristas, realizada por técnicos da Secretaria de Saúde de Pernambuco, para atuação desses profissionais como agentes multiplicadores das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. O grupo reuniu 160 colaboradores Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata, em duas turmas, que começaram as atividades de campo hoje (21), prosseguindo até o dia 02 de fevereiro. Além do treinamento de hoje, foram capacitados 450 leituristas em Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Petrolina, que já cumpriram o ciclo de visita do mês de leitura dos hidrômetros e emissão da conta de água em todo interior do Estado.

Segundo o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos, a companhia atendeu ao apelo feito pelo governador Paulo Câmara, contribuindo na articulação e mobilização junto com todas as secretarias e órgãos vinculados no combate ao mosquito da dengue, cujas doenças estão registrando dados alarmantes. Além da estrutura dos leituristas, que entregam a conta de água em 1, 7 mil residências de todos Estado, a Compesa também disponibilizou toda a sua estrutura de lojas para a distribuição de material educativo, cedido pela Secretaria Estadual de Saúde. O Call Center da Compesa também está ajudando na divulgação da prevenção das doenças, com uma mensagem aos seus clientes.

Na avaliação do diretor da Compesa, a receptividade dos leituristas para esta missão foi extraordinária. Consciente do alcance da sua atividade, eles vestiram a camisa da sua sensibilidade e se envolveram além do trabalho profissional, dando um exemplo de cidadãos comprometidos com o seu dever e do sentimento de ajudar o próximo. “Esses profissionais não se intimidaram com algumas negativas encontradas em alguns imóveis, cujos moradores resistiam ao pedido de vistoria das condições dos imóveis e com uma boa conversa, conseguiram sensibilizar essa minoria, resultando em um trabalho muito positivo”, afirmou Aldo Santos. O diretor adianta ainda, que em todos os grupos, o sentimento de colaboração foi muito forte e muitos deles afirmaram que replicaram os ensinamentos em suas casas, com parentes e vizinhos, por que entendiam que o combate ao mosquito dependia das atitudes de todos.

Leiturista há 10 anos, Maurilio Ferreira do Nascimento, 35 anos, está otimista e orgulhoso da sua missão. “Acredito que iremos contribuir para reduzir os casos da doença, ajudando à população com as informações e orientações que aprendemos no treinamento”, afirmou. Rafael Manoel dos Santos, 27 anos, é outro leiturista empolgado com a possibilidade de ajudar as pessoas durante as suas atividades profissionais. “Sei da gravidade da situação da dengue e vou fazer de tudo para ajudar as pessoas, repassando todo o conhecimento que aprendi sobre o mosquito e como se prevenir dele”, disse. Ambos disseram que estão preparados para convencer eventuais clientes resistentes às orientações. “ Vamos começar a atuar imediatamente, nas nossas casas e na casa dos nossos vizinhos. Não temos tempo a perder para destruir o mosquito”, disseram Maurílio e Rafael.

Comitê interno - A Compesa criou o comitê interno de combate à dengue constituído por representantes de quatro diretorias: a Regional do Interior, Regional Metropolitana, Mercado e Atendimento e Articulação e Meio Ambiente e por dois técnicos especializados em monitoramento das Secretarias de Saúde e de Planejamento e Gestão.

Compesa
Fotos: Reprodução Facebook Aldo Santos

Comentários

  1. Bem que o prefeito poderia chamar os outros 5 ACE aprovados no concurso púbiblico pra reforçar o time, mas.... Pelo que parece vai esticar mais um "pouquinho" infelizmente.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Publicidade