Publicidade

Rei do Baião é o rei do Rio.Nosso Rei Luiz Gonzaga é campeão do desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro

Unidos da Tijuca ganha título do carnaval do Rio.
Escola levou para o sambódromo a história do Rei do baião Luiz Gonzaga, no ano de seu centenário de nascimento


A escola de samba Unidos da Tijuca levou o título de campeã do Carnaval carioca deste ano. Homenageando o Rei do Baião Luiz Gonzaga, a escola entrou na Sapucaí na segunda noite de desfiles do Carnaval do Rio de Janeiro. O samba-enredo O Dia em Que Toda a Realeza Desembarcou na Avenida para Coroar o Rei Luiz do Sertão falou sobre a paisagem, solo e vegetação do Sertão. A agremiação somou 299,9 pontos. Este é o terceiro título da escola, campeã em 1936 e 2010.



Dois carros se destacaram pela beleza plástica: o de Mestre Vitalino, totalmente em cor de barro, que reproduzia uma casa de pau a pique, e o da asa branca, do qual "voavam" pássaros humanos de movimentos perfeitos. A família Gonzaga estava representada por Rosinha, única filha de Gonzagão, e por Daniel Gonzaga, filho de Gonzaguinha.


BONECOS DE BARRO | Carro alegórico trouxe figuras do Sertão

ASA BRANCA | Carro trouxe referência à música mais famosa do rei

MAIS BARRO | Mais um destaque para as figuras de barro na avenida

SANFONA | Material metálico representava a sanfona, instrumento ícone
O presidente da Tijuca, Fernando Horta, só comemorou quando a vitória da escola já era irreversível. Em vários momentos, a Tijuca teve o Salgueiro e a Vila Isabel bem próximas da pontuação máxima. “A emoção é muito grande. É inexplicável. O Carnaval foi muito duro. Todas as nossas coirmãs estão de parabéns. Este foi o desfile mais perfeito que a Tijuca fez nos últimos anos”, desabafou Horta, em meio ao tumulto de repórteres querendo entrevistá-lo e de componentes da escola, que queriam abraçá-lo.
A criatividade, marca registrada do carnavalesco Paulo Barros, foi decisiva para a liderança da escola. Outro integrante da Unidos da Tijuca que teve participação decisiva na vitória foi o mestre de bateria Luiz Calixto Monteiro, o Mestre Casagrande. “Quero dedicar este título aos meus 272 ritmistas, que entenderam a nossa proposta de trabalho, que é meio rígida. O título é para eles e para toda a comunidade do Morro do Boréu”, disse.
Além da história do Rei do Baião, a Tijuca levou para a avenida outros artistas considerados reis na sua especialidade: Elvis Presley, rei do rock, Michael Jackson, rei do pop e as rainhas do rádio. Dom Pedro I, imperador do Brasil e o leão, considerado o rei da floresta, também foram personagens da história contada pela Tijuca.


Comentários

Publicidade