Publicidade

Município de Inajá-PE passa por drama com a rede municipal de ensino; ano letivo de 2020 ainda não começou


A população de Inajá, a 387 quilômetros do Recife, no Sertão do Moxotó, vem passando um drama com a rede municipal de ensino. O ano letivo de 2020, programado para iniciar no último dia 4, ainda não começou. Professores ainda apontam que a gestão segue sem pagar os merendeiros e auxiliares há mais de três meses, o que poderia ser o empecilho para o atraso no início das aulas, porém a administração municipal ainda não se pronunciou sobre o assunto.

O assunto tem levado a população a questionar o prefeito Adilson Timóteo, que é professor de formação e integra o quadro de docentes do município. A gestão também é acusada de não pagar o percentual de 12,84% do piso do magistério, como outros municípios vizinhos tem feito.

As queixas na área de educação se estendem também à carga horária dos professores do Ensino Fundamental 1. Embora tendo contrato para prestar 150 horas de serviço, os docentes têm cumprido uma carga de 187 horas. A direção sindical já firmou acordo com a administração pública, na presença do Judiciário, mas o compromisso não estaria sendo respeitado.

Adilson Timóteo, que é irmão do ex-prefeito Airon Timóteo, se filiou recentemente ao Avante, por intermédio do deputado federal Sebastião Oliveira, presidente estadual da sigla, que na ocasião garantiu apoio à sua pré-candidatura à reeleição.

As informações são do Blog do Magno 

Comentários

Publicidade