sexta-feira, 24 de maio de 2019

Laboratório de Economia Circular é lançado em Belém do São Francisco

Em parceria da CESVASF, Projeto Circularis e Instituto InterCidadania, o laboratório CircuLAB, vai reunir conhecimentos, inovações e vocações da região para desenvolver cadeias produtivas de reciclagem, incentivar indústrias verdes e fortalecer a BioEconomia da Caatinga

Nesta sexta-feira (24/5), no Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco – Cesvasf está sendo lançado um pioneiro laboratório de inovação para Economia Circular no sertão. O CircuLAB visa desenvolver soluções sustentáveis para os resíduos sólidos da região, unindo conhecimentos multidisciplinares, criatividade, novos modelos de negócios e a plataforma Circularis - Rede Digital para gestão de Resíduos Recicláveis.

O lançamento é feito durante o I simpósio de Meio Ambiente do CESVASF, que ocorre nesta sexta e sábado (24 e 25/5), em Belém do São Francisco, no sertão pernambucano. A programação contempla minicursos, palestras, exposição e trilha ecológica.

O CircuLAB CESVASF vai reunir estruturas que já existem, integrar parceiros diversos, mapear conhecimentos de ponta, incentivar a criatividade colaborativa e testar soluções práticas. “Lixo deve deixar de ser problema ambiental e virar solução socioeconômica, com destinação correta e estruturação de cadeias produtivas de reciclagem. Vamos focar em problemas imediatos e desenvolver protótipos inovadores para testar e replicar em larga escala”, destaca Sérgio Xavier, idealizador do projeto e ex-secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco.

O CircuLAB visa desenvolver localmente processos logísticos circulares, fomentar pequenas indústrias de beneficiamento, soluções de reuso e upcycling de material reciclável. “Reunindo representantes de órgãos públicos, academia, empresas, ongs e especialistas em diversas áreas fica fácil analisar desafios e apresentar soluções práticas para qualquer problema. Este é o espírito do CircuLAB, que já está em implantação em outras cidades”, ressalta Xavier.

Para Patrícia Xavier – Presidente do InterCidadania, que já fomenta em parceria iniciativas como o Polo de Formação de Economia Circular – CRC Recife, através da Fundação Banco do Brasil , “a iniciativa deste I Simpósio de Meio Ambiente que partiu de Ana Gleide Leal, presidente da Autarquia Belemita de Cultura, Desportos e Educação (ABCDE), motivou essa atividade tão necessária à região, no sentido de criar condição promissora à alunos que saem do ensino superior e enfrentam posteriormente o mercado de trabalho. A ideia é dar condições de estimular a criatividade e poder de gestão para gerar soluções para os novos desafios do desenvolvimento econômico sustentável”.

Entre os objetivos do CircuLAB, está também avaliar usos de energia renovável nos processos produtivos, como a microgeração solar, e desenvolver a BioEconomia, prospectando produtos da Caatinga preservada, que podem ser explorados economicamente, visando proteger e regenerar o bioma e, ao mesmo tempo, promover negócios, empregos e renda.

Desinformação é a maior dificuldade para Consumo Consciente e Reciclagem no Brasil

Dados do IBOPE (2018) mostram que, apesar de 94% das pessoas concordarem que a forma certa de descartar o lixo é separando materiais recicláveis e 98% reconhecerem que reciclar é importante para o futuro do planeta, 75% não separam os materiais em casa.

Para superar esse quadro é preciso popularizar informações sobre quais materiais podem ser reciclados e como podem ser separados e encaminhados para o destino certo. Apenas 4% das pessoas sabem, por exemplo, que embalagens longa vida (TetraPak), são recicláveis.

Faltam canais para orientar, simplificar e integrar a gestão de resíduos recicláveis

Segundo o IBOPE, 49% das pessoas concordam que não é fácil encontrar informações sobre coleta seletiva em suas respectivas cidades, enquanto 44% afirmam que o serviço não é disponibilizado ou não sabem se isso ocorre no município.

Solução com Economia Circular

Estes dados comprovam a urgência de implantar no Brasil serviços que não apenas orientem como separar lixo reciclável, mas, sobretudo, facilitem a coleta seletiva e integrem todos os elos da logística reversa e da reciclagem. É com esse objetivo que surge o Sistema Circularis e o Laboratório CircuLAB.

A inovadora Plataforma Circularis vai ensinar a separar lixo reciclável e facilitar a coleta seletiva de diversos tipos de materiais simultaneamente. Já começou a ser testado em Recife, Maceió e Macapá, na sua versão Beta. Com o CircuLAB – Cesvasf, começará a ser testado e adaptado para as demandas de cidades do interior, como Belém do São Francisco.

Na primeira fase, o App vai possibilitar a coleta seletiva de Recicláveis Misturados (embalagens), equipamentos Eletrônicos (computadores, telefones e acessórios de informática inutilizados), Isopor e Óleo de Cozinha. O sistema vai possibilitar a integração de cooperativas de catadores, empresas recicladoras e indústrias recebedoras de material, com empresas, escolas, órgãos públicos e condomínios ou residenciais que geram grandes volumes de lixo.

O Circularis vai orientar sobre a separação de material, estruturar o agendamento da coleta seletiva e gerar benefícios para todos os elos da cadeia produtiva da reciclagem. Os doadores de materiais separados ganharão descontos nas compras em rede de lojas parceiras do projeto. As prefeituras terão redução nos custos da coleta tradicional, com o aumento da escala dos resíduos encaminhados para reciclagem. E os resíduos separados vão gerar novos negócios e empregos locais.

Por Henrique Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário