domingo, 1 de julho de 2018

Petrolândia, Um Amor de História - João Bosco de Melo (Poesia)

Poeta João Bosco de Melo presta homenagem à sua amada Petrolândia (Foto: Assis Ramalho)

Petrolândia, Um Amor de História

Olá! Você está preparado pra recordar?
Mais um lindo filme para mentalizar.
Bate saudade falar da Velha Cidade
Lembranças das escolas, das amizades
De uma infância cheia de esperança
Do largo e bonito Rio São Francisco
Da beleza... da riqueza... da Natureza

Do Alto da Raposa... da Escola Pituchinha
E do popular romeiro Seu Joel do Pandeiro
Da bem caprichada Igreja Matriz
Do Padroeiro São Francisco de Assis
Das festas e das Missas dos Vaqueiros
Do Piçarrinha... do parque infantil
Da Rua da Linha... do Abrigo do Osmil
Da casa de Ninha e do Banco do Brasil

Êta! Petrolândia tão querida
Era uma cidade bastante visitada
Do Cruzeiro... do Shell... da cachoeira
Do cais do porto... do trem da estação
Do melhor carnaval do folião Pantaleão
Da Turma do Tacho e Caravana da Alegria
Da praça principal e da casa de Ana Maria...

Petrolândia do Cine São Francisco
Conhecido por cinema de Valmir
Lembrando Circo Arte Palácio
E do show do mês com Maurício Reis
De Verônica e Mercedão Vermelho


Petrolândia em ti eu me espelho
Terra boa da Pop Discos de Mauro...
Do Ponto Ideal, do Sheik Hotel e Bar O Redondo
Da Prefeitura, do coreto e dos Correios
Dos desfiles nas manhãs de setembro,
Das balizas bonitas "Zefinha e Valdice"
Da Banda Adolfo Alexandre de Melo
Não posso esquecer de relembrar
Do grande artista que foi o Ruy Sá

Que saudade da Velha Cidade
Saudade também da Velha Barreiras
Da minha amiga Evanice Fonseca
Do bate-bola no povoado Altinho
Recordo-me da padaria de Seu Nonato
E da loja do senhor Afonsinho

Petrolândia, cidade futebolística,
Do Independente Futebol Clube de Tuí...
Do Pelotas de Seu João do Alambique
Do Botafogo do nosso amigo Eraldo...
Do Cantagalo de Labir (o Galinho)
Do Flamengo lá do Alto da Raposa.

Referente o São João e o São Pedro,
Lá era um maravilhoso festejo
Ia até amanhecer o dia
Tinha o famoso casamento matuto
Na tradição o noivo só casa a pulso
Tocava o Gonzagão... Trio Nordestino,
O Jorge de Altinho e o grande Assisão

Petrolândia, um amor de história
Gravado no coração e na memória
Recordo-me que no dia 23 de maio de 1982
Em Itaparica fomos para uma festa de primeira
Foi um presente de Alonso da Pesqueira
Com o fenomenal cantor Sidney Magal
Da música Sandra Rosa Madalena

"Quero vê-la sorrir, quero vê-la cantar".
"Temos às margens de um rio Petrolândia"...
Lembrando do Parque Arapiraca
No estúdio do mesmo sempre tocava
Uma linda música de Gilberto Lemos
Int: Na rua em que você morava
Recordo-me da casa de Albany Nadja...

Resumindo com juda do Deus Divino
Até para o ano que vem
Parabéns, Petrolândia,
Pelos seus 109 anos
Um amor de história
Gravado na memória
Graça Paz e Bem


Autor: João Bosco de Melo - 1º de julho de 2018
Rua Antônio Pires Sntos, 78 - Quadra 03 - Petrolândia (PE)


0 comentários:

Postar um comentário