Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Vereadora de João Pessoa se envolve em briga em condomínio de luxo (vídeo)

Vereadora Raíssa Lacerda se envolveu em confusão em condomínio de luxo de João Pessoa (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Uma empresária prestou queixa na 10ª Delegacia Distrital (DD) em Tambaú, denunciando ter sido agredida fisicamente e verbalmente pela vereadora Raíssa Lacerda (PSD), em João Pessoa. Betânia Navarro contou que a vereadora adentrou o salão do prédio onde os pais da parlamentar moram e a atacou fisicamente, proferindo ameaças e palavras de baixo calão.


De acordo com a empresária, a vereadora foi tomar satisfações após uma funcionária do prédio prestar queixa contra o irmão de Raíssa Lacerda por assédio e atos libidinosos. “Estava atendendo um casal de clientes quando a vereadora entrou no salão e me agrediu, fez ameaças, inclusive de morte. Vou entrar com o processo porque preciso de uma providência”, relatou.

Em nota, Raíssa Lacerda deu uma versão diferente para o caso. A vereadora explicou que se defendeu das agressões da corretora após um desentendimento entre um funcionário da família Lacerda e funcionários do prédio. No caso, o motorista do ex-governador José Lacerda teria sido alvo de injúria racial da esposa do proprietário do prédio por não usar o elevador de serviço.

“Quando fui mostrar para a agressora a minha Lei que prevê que funcionários de condomínios devem escolher livremente o elevador que querem usar, sem sofrer qualquer constrangimento ou preconceito, ela disse que essa Lei não valia para aquele condomínio de alto padrão e partiu para cima de mim. O que fiz foi me defender”, explicou.

Na sua versão, a empresária explicou que no último dia 8 de março, o irmão da vereadora estava praticando atos libidinosos na piscina e chegou a assediar sexualmente uma funcionária do condomínio. O fato resultou em um registro na Polícia Civil por parte da funcionária, o que teria causado revolta por parte da família da vereadora.

“Eles [a família da vereadora] não respeitam as regras. Fumam nos corredores, andam molhados nos elevadores, usam palavras de baixo calão. Normalmente tem ‘quebra-quebra’ dentro do apartamento deles. Eu só quero uma providência porque o tempo do poder e do dinheiro sobre a lei já passou”, reclamou Betânia Navarro.

A advogada da empresária, Jackeline Cartaxo, explicou que foram feitos exames de corpo de delito e que a vereadora vai ser processada na esfera cível por lesão corporal, ameaças, calúnia e difamação. Raíssa Lacerda, por sua vez, informou que o funcionário da família vítima de injúria racial prestou queixa também da 10ª DD.

Por G1 PB

Comentários

Publicidade