Publicidade

Do sertão ao mar pelas águas do Rio São Francisco


Imagine uma cidadezinha do século XVIII que mais parece um presépio iluminado, com capelas no alto dos morros, estação de trem, casas coloridas e um centro histórico com ruas de pedra onde, ao cair da noite, o povo se junta para dançar xaxado, à beira do Velho Chico. O cenário, que mais parece saído de um livro de Ariano Suassuna, pertence à singela cidade de Piranhas, em Alagoas, onde tem início a rota batizada de “Caminhos de São Francisco”, jornada de quatro a cinco dias embalada por histórias de vaqueiros, cangaceiros e rendeiras, com paradas em Sergipe, na outra margem do rio.

O percurso de 230km é só uma amostra dos cenários que envolvem o rio mais emblemático do país. Depois que nasce nas entranhas da Serra da Canastra, em Minas Gerais, o Velho Chico arrebata afluentes por quase três mil quilômetros até desaguar no Atlântico. E é em pleno semiárido que ele revela seus mais sedutores encantos, atraindo os viajantes para terras afastadas do exuberante litoral nordestino.



Pelo caminho, suas águas irrigam plantações, garantem o abastecimento de cidades inteiras e seguem instigando o imaginário popular. Depois de inspirar a música, grandes obras da literatura e do cinema brasileiro, no último mês de março o rio ganhou o horário nobre da TV Globo, com a novela “Velho Chico”.

PAREDÕES ARENÍTICOS E ILHAS FLUVIAIS

Com paisagens inexplicáveis, o São Francisco se estende do sul para o norte devido a uma falha geológica. Ao percorrer suas margens, mistérios se revelam pelo percurso. Por isso, de Piranhas, a ideia é seguir pelo interior do estado acompanhando as curvas do rio, que, ora se esgueira entre os gigantes paredões areníticos do Cânion do Xingó, ora cruza vilas de artesãos como Entremontes, ilhas fluviais, como a Ilha do Ferro, além de sítios arqueológicos com pinturas rupestres como se vê em Olho d’Água do Casado. É só depois de banhar todas esses lugares e essas atrações que, finalmente, o São Francisco alcança o mar de Piaçabuçu.

O roteiro pode ser feito através de agência especializada (destinoalagoas.com) ou de forma independente, em carro alugado, para quem quer ter autonomia para decidir a próxima parada para um banho de rio.

O Globo

Comentários

Publicidade