Publicidade

Paulo Câmara comemora o início das atividades da Fiat em PE; Fábrica em Goiana é marco para economia local e revolução para o setor automotivo

Paulo Câmara em entrevista a Assis Ramalho

O governador Paulo Câmara comemora o início das atividades da Fiat no Estado. “Vamos inaugurar a fábrica tão sonhada por todos os pernambucanos. Uma fábrica moderna, que vai produzir 250 mil veículos por ano e também trazer com ela um centro de excelência, um centro de formação, contratando mais de mil engenheiros”, observa.

A terça-feira, 28 de abril, será um dia histórico para o desenvolvimento econômico de Pernambuco. Amanhã, será o dia em que um veículo 4x4 se transformará num símbolo da mudança da economia da Região Nordeste, em especial, o estado pernambucano. Muito além de uma nova indústria, a segunda fábrica do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) no Brasil é a aposta de guinada no mercado automotivo. Nesta segunda-feira (27), o polo automotivo será apresentado com exclusividade para os profissionais da imprensa.

Para muitos, é o sopro de esperança de dias melhores para a crise econômica, com capacidade de produção de 250 mil veículos por ano. OVrum/Diario de Pernambuco foi o primeiro veículo de comunicação a divulgar a vinda da nova fábrica para o estado, em julho de 2011, quando antecipamos o anúncio do então governador de Pernambuco, Eduardo Campos.


A estreia na produção é justamente no segmento mais aquecido: os de SUVs. Os primeiros Jeep Renegades já estão partindo da planta para abastecer as revendas de todo o país, com preços a partir de R$ 69.900 (a versão de entrada de R$ 66.900 só sairá em três meses). O segundo modelo made in Pernambuco será uma picape média da Fiat, que já está em fase de testes e foi flagrada pelo Vrum, com previsão de lançamento no segundo semestre. O terceiro carro será novamente um Jeep, provável substituto do Compass, posicionado abaixo do Cherokee.

A fábrica mudou o mapa do litoral Norte do estado. A população da região está sentindo o impacto também com a chegada das sistemistas que integram o parque dos fornecedores não só em Goiana, mas também nas cidades vizinhas, como Igarassu, e na Paraíba. O cenário industrial é visto com bons olhos pelos moradores, muitos empregados na construção e na produção da fábrica. Empresários do setor imobiliário, hotelaria e alimentação foram os primeiros beneficiados. Agora, será a vez do consumidor conhecer os novos produtos automotivos pernambucanos e acelerar em busca de novas aventuras.

Diário de Pernambuco

Comentários

Publicidade