Publicidade

Outubro foi encerrado com 168 usinas eólicas em operação comercial no Brasil

A geração total no ano de 2014 é até o momento 77,8% superior à observada entre janeiro e outubro de 2013.

A geração total das usinas eólicas em operação no País ao longo do mês de outubro, de 2.062 MW médios, correspondeu a um fator de capacidade médio de 49%.

O número é próximo do recorde registrado desde o início do acompanhamento pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), de 50% em agosto, e um ponto percentual acima do índice de setembro.

O desempenho das usinas nesse trimestre adquire relevância sobretudo quando comparado com a produtividade média verificada em 2013 nos países com maior capacidade eólica instalada, como China (23,7%), Estados Unidos (32,1%), Alemanha (18,5%) e Espanha (26,9%).

Os dados constam do Boletim das Usinas Eólicas, divulgado mensalmente pela CCEE.

A geração em outubro deste ano foi ainda a maior registrada no período de análise, sendo 108,5% superior aos valores verificados em outubro de 2013.

De acordo com o boletim, a geração total no ano de 2014 é até o momento 77,8% superior à observada entre janeiro e outubro de 2013.

O informativo aponta ainda que outubro foi encerrado com 168 usinas eólicas em operação comercial no Brasil, o que representa uma capacidade instalada total de 4.205 MW.

A maior parte desses parques, ou 2.466 MW em potência, foi viabilizada em leilões para o mercado regulado, enquanto 775 MW em projetos comercializam a produção no mercado livre de energia elétrica e outros 965 MW foram contratados no âmbito do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), iniciativa do governo federal lançada em 2002.

A CCEE registrou em outubro a entrada em operação comercial de 12 usinas eólicas, ou 335 MW em potência; no acumulado do ano foram 2.024 MW, o que representa avanço de 92,8% nesses dez meses.

Esse crescimento foi motivado, sobretudo, pela entrada de usinas do 2° Leilão de Energia de Reserva e de usinas com entrega no mercado livre de energia, além do aumento de capacidade em operação comercial de usinas existentes e de novas usinas do 2°Leilão de Fontes Alternativas e do 12° Leilão de Energia Nova.

A CCEE destaca ainda que o aumento da capacidade no período foi concentrado principalmente no submercado Nordeste, que apresentou um crescimento de 129%, tendo partido de 1.451 MW em dezembro de 2013 para 3.322 MW em outubro de 2014, com 132 usinas em funcionamento.

O montante representa 79% da capacidade total de usinas eólicas do País.

No submercado Sul foi registrada uma capacidade de 856 MW, equivalente a 20,3% do total, em um universo de 35 usinas. Esse número representa crescimento de 21,8% em relação a dezembro de 2013.

Já o submercado Sudeste apresentou uma única usina, com capacidade de 28 MW.

Fonte: Portal Brasil em Portal EcoDebate

Comentários

Publicidade