Publicidade

Paulo Afonso (BA): Tumulto e troca de farpas entre vereadores marcam reunião na Câmara na manhã deste segunda (10)

O líder do governo Petrônio Nogueira (PDT) tentou amenizar a situação, pedindo paciência. Houve muito tumulto e troca de farpas entre os vereadores. A sessão foi interrompida

O secretário foi convocado na sessão de hoje, para esclarecer dúvidas, quanto ao contrato estabelecido, entre a prefeitura e a empresa que administra os radares instalados na Avenida Apolônio Sales, que já produziram mais de cinco mil multas.

Desde o mês passado a câmara aprovou a convocação do secretário, e somente alguns minutos antes da sessão de hoje, ele enviou um ofício justificando a ausência.

A atitude de Paulo Mergulhão revoltou os vereadores, inclusive os da própria bancada do prefeito Anilton Bastos (PDT).

Luiz Aureliano (PT) que foi o autor do requerimento da convocação se revoltou e pediu a demissão do secretário: "Eu sou da bancada do governo e estou me sentindo ofendido, até porque esse secretário é um despreparado, esse secretário tem que ser demitido, eu estou pedindo aqui a demissão desse incompetente!”.

Aureliano chegou a exigir ao presidente para trancar a pauta, ou seja, nada do interesse do prefeito deve ser votado até o secretário comparecer à câmara.

Já o vereador Antônio Alexandre (PR) argumentou que o secretário está desrespeitando a Lei Orgânica do Município e o Regimento Interno da Câmara: “A gente está cansado de ser desmoralizado aqui, eu cansei disso aqui, cansei de ter cara de pastel, espero que seja cumprido o que está no Regimento da Câmara”.

O vereador de oposição Edson Oliveira (PP), parabenizou a coragem dos colegas, enalteceu as palavras dos seus pares e reforçou: “A câmara vai sair de cócoras, vai sair desmoralizada”.

O líder do governo Petrônio Nogueira (PDT) tentou amenizar a situação, pedindo paciência aos vereadores que aguardassem uma decisão do secretário e que fosse marcado outro dia para seu comparecimento. As palavras de Petrônio não tiveram apoio de nenhum dos colegas.

Houve muito tumulto, troca de farpas entre os vereadores e todos se revoltaram. O povo que lotou as galerias da câmara ficou atônito com o que viu. A sessão foi interrompida e encerrada sem nada ser decidido, apreciado ou votado.

Fonte: Blog de Ozildo Alves

Comentários

Publicidade