terça-feira, 14 de setembro de 2021

Trator aquático e equipamentos para retirada das baronesas em Petrolândia



De acordo com o prefeito Fabiano Marques, várias ações estão sendo realizadas para conter o avanço das baronesas no nosso rio. "Estamos trabalhando com equipamentos, máquinas e colaboradores, unidos para retirar as baronesas do nosso rio São Francisco, um trabalho que precisa ser feito periodicamente, evitando uma ploriferação acelerada".

Com a obra de readequação do saneamento básico que vem sendo executada no município, resultará também na diminuição da proliferação das baronesas no nosso rio.

Uma nova história, aqui tem trabalho de verdade.

Divulgação: Ass/Prefeitura de Petrolândia


NOTÍCIA RELACIONADA
Prefeitura de Petrolândia aluga novos equipamentos para retirada de baronesas na orla Fluvial da cidade
Fotos: Assis Ramalho/BlogAR


Há anos que existe em Petrolândia um problema ambiental recorrente, que é a proliferação da planta aquática conhecida popularmente como baronesa. A planta pode trazer ao rio e a população algumas consequências, como a queda na qualidade do ambiente e mau cheiro. Um outro problema é que quando essas plantas morrem, toda a poluição absorvida por elas é devolvida ao rio. Para que se faça o controle desta situação, o poder público precisa investir periodicamente na remoção do material, que após certo tempo multiplica-se novamente voltando a tomar as margens do Velho Chico.

Em busca de combater a terrível proliferação, a prefeitura de Petrolândia alugou novos equipamentos e deu sequência aos serviços de retirada da planta da Orla fluvial da cidade.

Os novos maquinários contratados é da empresa Ambiental Pires LTDA, especializada em retirada de baronesas de lagos, entre outros serviçoes prestados a quem procure os seus trabalhos. O contato é (75) 9.8830-3235


Os serviços foram acompanhado de perto - na manhã desta sexta-feira (10/09/2021) - pelo prefeito Fabiano Marques e o vice Rgério Novaes.

''Alugamos equipamentos para ver se desta vêz a gente possa acabar, ou pelo menos diminuir com essas baronesas que invadiram o nosso rio São Francisco'' disse o prefeito Fabiano Marques.

Na quinta-feira (09) a nossa reportagem fez registros dos trabalhos. VEJA ABAIXO


A ORIGEM DAS BARONESAS

A baronesa é uma planta originária da América do Sul, com ampla distribuição nos rios da bacia amazônica, é considerada como uma das 100 plantas de maior potencial invasor e se desenvolve em ambientes poluídos, podendo ser um indicador do alto nível de poluição das margens do Rio São Francisco.

A Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) é responsável pelo controle tanto da proliferação de baronesas quanto do lançamento de efluentes não tratados no leito do rio. A retirada é realizada através da remoção manual ou remoção física, o que não é eficiente, devido ao fato das baronesas se reproduzirem por brotamento, retomando o crescimento caso seja retirada por eventos naturais ou artificiais. Desta forma, apenas a retirada manual das baronesas não tem um custo/benefício econômico e ambiental viável, pois não é uma estratégia sustentável em longo prazo.

A respeito das plantas no rio, existem três tipos de controle: o químico, que não é recomendável; o físico, utilizado atualmente, mas não muito efetivo e o controle biológico, mais recomendado, mas que necessita de estudos a médio e longo prazo para uma solução concreta e definitiva.

O ideal é que os métodos para remoção sejam utilizados sozinhos ou combinados para um melhor resultado, e o mais importante, devem ser atrelados ao processo de revitalização do Rio São Francisco, cobrado pela sociedade desde a década de 1990, mas que não avançou, além do tratamento de esgoto, removendo o máximo de sujidades possível do esgoto da cidade a fim de devolver uma água mais limpa para o Rio São Francisco.

Fotos: Assis Ramalho/BlogAR

Nenhum comentário:

Postar um comentário