Publicidade

PM localiza dois suspeitos de divulgar áudios de WhatsApp com ameaças de morte em escolas de Paulo Afonso

O estudante de 15 anos teria enviado áudios nas redes sociais informando sobre um possível ataque. Até o momento, seis pessoas foram conduzidas na Bahia pela prática criminosa. Foto: Divulgação SSP

Equipes do 20º Batalhão da Polícia Militar (BPM/Paulo Afonso) localizaram, na manhã desta quinta-feira (4), os suspeitos de divulgar áudios ameaçando alunos de duas escolas públicas do município de Paulo Afonso (BA), uma no centro – Colégio Estadual Carlina Barbosa de Deus, e a outra na área rural da cidade – Escola Municipal Jovino de Carvalho, povoado Riacho.

Caso do Colégio Carlina – Centro de Paulo Afonso

Por por volta das 6:30, após um trabalho de inteligência, os policiais localizaram e conduziram o adolescente 15 anos (estudante do Carlina) com o seu responsável, o avô de 77 anos até a delegacia para averiguação, depois que o áudio, provavelmente de autoria do menor, ameaçando matar alunos na escola Carlina circulou nas redes sociais, gerando pânico na população pauloafonsina. Após condução para 1ª Delegacia Territorial, os policiais civis começaram a apuração, ouvindo outros estudantes e funcionários da instituição de ensino. “Continuamos realizando diligências e vamos comparar os áudios divulgados, com a voz do suspeito”, informou o delegado João Henrique Nunes dos Santos.

Caso da Escola Jovino de Carvalho – Povoado Riacho

Também na manhã de hoje, por volta das 09h, policiais do módulo do Riacho tomaram conhecimento de um outro áudio com ameaças, difundido nas redes sociais, indicando um atentado ao Colégio Jovino de Carvalho, no Povoado Riacho, zona rural de Paulo Afonso.

Os policiais militares passaram a analisar os áudios e estiveram na referida escola onde asseguraram a paz e ordem pública, tranquilizando os professores, familiares e alunos, após identificarem o suposto autor, Emerson Martins de Sá que está morando em São Paulo e a sua cunhada moradora do Riacho, que seria a responsável pela difusão do áudio na região, disse a polícia.

Ainda de acordo com a polícia, a cunhada do indivíduo que produziu o áudio, disse que o difundiu por receio de que fosse ocorrer algo ruim na escola, e que no momento ainda não tinha conhecimento que o áudio era do seu cunhado.

Diante dos fatos, a cunhada do autor do áudio foi levada para a delegacia de Paulo Afonso para adoção das medidas próprias. Na delegacia, a mulher apresentou o áudio, nome completo, como também endereço e número do telefone do autor em São Paulo. A diretora do Colégio também compareceu à delegacia e apresentou sua preocupação, contudo não foi formalizado o registro da ocorrência e a Polícia Civil ficou de investigar o ocorrido.

Nos últimos oito dias, seis pessoas foram conduzidas, na Bahia, pela prática criminosa

Nas cidades de Ilhéus, Santa Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas e Salvador foram conduzidos mais cinco suspeitos. Em Ilhéus, um estudante confessou o crime, mas justificou que a ideia era fazer uma brincadeira

Grupo de Trabalho

Por determinação do secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, foi criado um grupo de trabalho composto por integrantes da Superintendência de Inteligência da SSP, da Polícia Civil (Departamento de Inteligência Policial – DIP – e Departamento de Crimes Contra o Patrimônio – DCCP) e da PM para dar suporte às investigações e operações, na Bahia.

Em Salvador, equipes do DIP e da Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI) chegaram até a casa de um adolescente, suspeito de divulgar áudios ameaçando atacar uma escola particular. Lá foram apreendidos aparelhos eletrônicos, entre eles computador e smartphone.

“Quem divulga esses tipos de mensagens será autuado no artigo 265 do Código Penal, que corresponde a atentar contra a segurança ou o funcionamento de serviços de utilidade pública, com pena prevista de 1 a 5 anos e multa”, explicou o delegado Delmar Bittencourt, integrante do Grupo de Trabalho. O policial civil acrescentou ainda que os gastos ocasionados pelo acionamento das forças de segurança, em casos de falsa chamada, serão cobrados dos autores.


Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM 20° BPM

Comentários

Publicidade