sexta-feira, 6 de julho de 2018

Médico esquartejado era querido por pacientes e colegas


O médico cardiologista e advogado Denirson Paes da Silva, 54 anos, encontrado esquartejado numa cacimba do condomínio onde residia com a família na Estrada de Aldeia, em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife. na última quarta-feira (4), é descrito por colegas de profissão como um profissional responsável e carinhoso com os pacientes.

Formado em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1989, Denirson trabalhava no ambulatório do Pronto-Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco (Procape), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, e na Unidade de Diagnóstico e Tratamento (UDT), em Camaragibe.

Por meio de nota, o gestor executivo do Procape, Ricardo Lima, lamentou a morte do colega, que estava de férias e deveria retornar às atividades nesta quinta-feira (05). "Dr. Denirson era profissional responsável, educado, carinhoso com os doentes e com os colegas. Homem simples e cumpridor dos seus deveres. Nunca presenciei alguma queixa relacionada a ele", disse.

A enfermeira-chefe do Procape, Almina Alencar, também lamentou o ocorrido. "Ele era um profissional da maior envergadura e estamos transtornados com a sua partida. Tinha um bom relacionamento com todos, era prestativo, disposto a atender a todos com a maior humildade. Vai fazer muita falta ao nosso serviço", desabafou.

Denirson também se formou em direito, pelo Centro Universitário Maurício de Nassau. Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil seccional Pernambuco (OAB-PE) lamentou o falecimento e ressaltou que "espera a apuração dos fatos e o cumprimento da lei com devida punição dos autores do crime."

Nascido em Campo Alegre de Lourdes, município do interior da Bahia, assim como a esposa e principal suspeita do crime, Jussara Rodrigues Silva Paes, o médico se mudou com ela para a Região Metropolitana do Recife ainda nos anos 80.

O casal teve dois filhos. Danilo Paes, de 23 anos, formado em engenharia pela UFPE e que também é suspeito de participação no crime, e Daniel Paes, de 20 anos, estudante de administração na UPE e que passou mal ao saber do esquartejamento.

Portal da Transparência

De acordo com o Portal da Transparência de Pernambuco, Denirson Paes recebia R$ 9.569,51 brutos como servidor da Secretaria de Saúde do Estado, além de R$ 13.019,75 brutos como servidor da Universidade de Pernambuco, a qual o Procape pertence.
Entenda o caso

O corpo do médico cardiologista e advogado Denirson Paes da Silva foi encontrado esquartejado na tarde de quarta-feira (4) numa cacimba dentro do condomínio Torquato Castro, na Estrada de Aldeia, em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife. O desaparecimento do médico vinha sendo investigado há quase um mês.

Os principais suspeitos do crime são a esposa e farmacêutica Jussara Rodrigues Silva Paes, de 54 anos, e o filho mais velho, Danilo Paes, de 23 anos. Em um Boletim de Ocorrência registrado no último dia 20 de junho sobre o desaparecimento do marido, Jussara Paes alegava que a vítima teria viajado para fora do País e que não teria retornado. A delegada Carmem Lúcia desconfiou do envolvimento dos familiares e solicitou um mandado de busca e apreensão no condomínio em que eles moravam.

Por Folha de PE


0 comentários:

Postar um comentário