segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Morador de Petrolândia, Uziel Rodrigues - estátua viva do Cowboy Prateado - deseja contar sua história para Geraldo Luís, do Domingo Show (vídeos)


Sonho de Uziel "Prateado" é tornar-se um cantor famoso (Reprodução Assis Ramalho)

Uziel fez sucesso na festa de carnaval para as crianças, no Clube Velho Chico, em Petrolândia (Foto: Assis Ramalho)


Casal prateado: Uziel e sua esposa (Foto: Arquivo pessoal)

Ele chamou a atenção de quem esteve no domingo de carnaval na festa das crianças, promovida pelo empresário Armando Rodrigues (Grupo Sanfrancisco) na Casa de Show Velho Chico, em Petrolândia. Impossível não perceber o rapaz literalmente brilhante, com pele, cabelos e roupa cor de prata. O nome dele é Uziel Rodrigues e tem um sonho: contar a história de sua vida ao jornalista Geraldo José, apresentador do Domingo Show (TV Record). O repórter já visitou Petrolândia, na produção de matéria sobre Joãozinho, o vaqueirinho, e também conheceu as histórias de outros petrolandenses. 

Morador de Petrolândia, em casa de aluguel situada na Quadra 17, Uziel "Prateado" vai completar 27 anos no dia 27 deste mês. Casado, ele é pai de cinco filhos e paga a pensão de um deles, de outro relacionamento. A vida é difícil para Uziel e sua família, apesar disso, ele não desiste de seu grande sonho que é ser um cantor famoso. 

A história de Uziel "Prateado" contada por ele mesmo

Com meus 15 anos de idade, comecei a trabalhar pra ajudar meus pais, pois meu pai sofre de três hérnias de disco, minha mãe não podia trabalhar, aliás, até hoje ela não pode trabalhar. Enfim, comecei a cuidar de carros num supermercado. Saía de casa 7 da manhã, só voltava às 22 ou até à 0 hora. Sofri muito trabalhando na minha infância, mas me orgulho, sabe? Então, comecei a ir para o centro da cidade. Foi quando eu vi uma estátua viva, todo prateado. Me interessei muito sobre aquela arte, passei a ir todos os dias. Foi quando o ator que fazia aquela arte de rua me chamou e disse: "rapaz, há dias que você vem aqui me ver e passa horas e horas me olhando". Respondi que amei o trabalho e perguntei se era difícil fazer aquela arte. Ele me respondeu: "magina, magina... é fácil, fácil! Você quer aprender, eu te ensino. É uma renda bem bacana que você tira pra ajudar seus pais". Nossa! Pra mim aquilo foi uma alegria tão grande, sabe? Pois um trabalho bonito, que sempre admirei, eu já ia começar a fazer.

Cheguei em casa, contei aos meus pais sobre o trabalho, eles me apoiaram, claro, e me deram a maior força com as tintas. Pra poder pintar a roupa meu pai comprou as latas de tinta, minha mãe me deu uma panela dela, né? rsrsrs Pois eu ia fazer o personagem do Menino Maluquinho. Daí em diante começou uma nova história na minha vida. Meus pais desempregados, só eu trabalhava pra sustentar a família. Então, todos os dias eu pegava meu figurino, as tintas do corpo e ia pras praças fazer estátua viva e levar a alegria, a arte para o povo. No final do dia, eu contava as moedinhas. Dava um dinheiro bacana pra comprar o leite, as fraldas, e o dinheiro do pão era garantido pro dia seguinte. Fazia a feira de casa, chegava em casa com o dinheiro em torno de 60 a 100 reais. Era uma alegria pra minha família, isso há 16 anos atrás.

Foi aí que comecei a crescer, o figurino do Menino Maluquinho não dava mais em mim, pois a idade começou a chegar. Daí eu mudei para o Cowboy Prateado, onde estou até hoje com esse figurino. Os anos se passaram e não desisti de levar a arte e a alegria para o Brasil e às crianças. Às vezes, eu levo nome de "vagabundo sem futuro", as pessoas dizem "vai caçar o que fazer", e as lágrimas descem, sabe? Começo a chorar e olhar para o céu e peço ajuda dEle.

Meu maior sonho é contar a minha história no palco do Domingo Show, com o Geraldo Luís. Gosto muito desse programa, sou muito fã mesmo. Acompanho sempre as histórias que ele conta, as pessoas que ele lança para o Brasil, como a história do vaqueiro Joãozinho. Conheço ele, moro perto da casa dele. Quero chegar no Domingo Show e contar essa minha história pro Geraldo, e pedir pra ele me ajudar, pois meu maior sonho é ser um cantor conhecido.

Fui muito humilhado. Já cantei em barzinho por 40 reais, já cantei por uma pizza e um refrigerante, já cantei das 23 até às 05h30 da manhã por 60 reais, já me disseram pra eu largar os palcos e deixar só para os famosos, porque eu não ia chegar lá. Sofri muito na vida, muito preconceito, mas sou guerreiro e não vou desistir. Vou mostrar para o Brasil e esse povo vai ver que eu vou vencer essa batalha, com a ajuda do Geraldo Luís do Domingo Show. Quero mostrar para o Brasil que sei cantar, que tenho talento como cantor. Também que meu maior sonho é estar no palco do Domingo Show e cantar para o Brasil e meu sonho é conhecer, nada mais e nada menos, que meu ídolo Eduardo Costa. Sei que, com ajuda de Deus e do Domingo Show, vou chegar lá.

Dentro de casa a gente só tem um fogão, um botijão de gás e mais nada. Durmo no chão com minha esposa e meus filhos. A água pra beber, pego com os vizinhos, pois não tenho uma geladeira, não tenho uma televisão pros meus filhos assistirem. Não tenho guarda-roupas, nao tenho armário. Como eu disse, só um fogão e um botijão. A única coisa que sei fazer é cantar e fazer estátua viva. É assim que pago meu aluguel, minha pensão, e coloco comida em casa para eu, minha esposa e meus filhos.

Geraldo Luís, conta minha história e realiza meu sonho de estar no palco do Domingo Show. Me lança para todo o Brasil, por favor! Obrigado...




Redação do Blog de Assis Ramalho
Com informações de Uziel Rodrigues


0 comentários:

Postar um comentário