domingo, 19 de março de 2017

Petrolândia: Banda de Música de Petrolândia em 1965, recordações da Velha Cidade

 Fig. 01. Banda de Música de Petrolândia, em 1965, defronte ao Colégio Municipal. 

Por Luciano Menezes*

Em aproximadamente 1945, nascia na “Velha” Petrolândia a Banda de Música, fundada por Edson Porto. Posteriormente, seria nomeada: “Banda Adolfo Alexandre de Melo”.

A restrição da memória coletiva não conseguiu suprimir algumas lembranças. Então, a partir dessas reminiscências podemos entrelaçar dados relevantes desse período. Os ensaios eram realizados na Rua Ana Campos de Menezes.

Ao longo do tempo, integraram à Banda, os músicos: João Costa - Dedinho, no Trombone; José Marcos - Zezinho de Chica, no Clarinete; Cláudio de Izinha, no Trombone; Miguel de Toinha, no Trompete; Vicente, na Tuba; Zé Leite, no Sax, Adolfo Alexandre de Melo (posteriormente seria o patrono da Banda), no Clarinete; Dudé e José Pedro, na Percussão; Josemir Ramalho, no Trompete; Divacy Nascimento, no Saxofone; João Crispim (João de Boa), na Tuba; Izaldo Tomé, no Clarinete; Cícero Costa e Marcos Pereira, nos Saxofones; Hugo Filho e Elizânia, nos clarinetes; Tatiane e Núbia, nos Pratos.

No passado, na essência da Banda estava o poder de comunicação através de uma pluralidade musical esboçada. Hoje, frequentemente, fugindo de um empobrecimento cognitivo, procuramos prestar mais atenção à Música. Constamos que esse envolvimento do intelectual com o emotivo não nos permite “cochilar”.

Aquarela do Brasil, Tico-Tico no Fubá, Carinhoso e uma série de dobrados eram ingredientes imprescindíveis no repertório da Banda. Sua estrutura funcional estava ligada às tradições, em seus expressivos significados e significantes culturais.

Evocar esse passado significa sair de uma amnésia estrutural – esquecimento profundo, para adentrar na restauração dessas lembranças. Não deixa de ser, também, uma preocupação com as novas concepções culturais. Assim, avivar essa memória da Banda, instiga a uma continuidade sociocultural da Música, uma vez que ela, e as suas reproduções, reivindicam mais atenções.


Fig. 02. “Banda Adolfo Alexandre de Melo”, na Festa do Padroeiro, em 1974.

* Historiador e Ecólogo Humano, Luciano Silva de Menezes tem Licenciatura em História pela UPE - Petrolina. O autor é Especialista em História Geral: Patrimônio e Cultura, Especialista em História do Brasil - Cultura e Poder, membro da Comissão Executiva do Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação e Pedagogia da Pesquisa - GEPHEPP da UNEB. Mestrando em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário