Publicidade

Revivendo o Centenário de Petrolândia: "Recordações" de João Bosco de Melo



Para encerrar com chave de ouro a publicação de mensagens recebidas pelo programa Acordando com as Notícias, apresentado por Assis Ramalho na saudosa 102 FM, no quadro "Declare seu amor a Petrolândia", durante as comemorações do Centenário da cidade, em 2009, publicamos a mensagem original, intitulada "Recordações", do poeta João Bosco de Melo, inspirada na música de mesmo título, composição de Ruy Sá, porque não há como falar de Petrolândia e de amor a Petrolândia sem falar da música "Recordações".

O programa Acordando com as Notícias continua no ar, transmitido pela Web Rádio Petrolândia, de segunda a sexta, das 5h30 às 8h30, e aos sábados, das 5h30 às 9h00.


RECORDAÇÕES

Nasceste de um bebedouro... Chamava-se Jatobá.
Foi município de Tacaratu-PE
E depois com méritos passou a ser cidade
denominada de Petrolândia-PE.

Lembro-me do meu avô, Zé de Melo, e de Paizinho,
saudosos pescadores e rezadores.
Não esquecendo do Velho Beatino,
que viveu mais de um centenário (115 anos).
Recordo-me dos padres Cristiano e Bicodemos.
Não esquecendo do padre Zé Maria,
que foi o meu professor de Biologia.

Lembro-me do Flamengo, do Alto da Raposa,
da Cerâmica de Zé de Caboclo, da escolinha da Pituchinha, da croa,
da turma de escoteiros e da roça do mais eufórico romeiro,
seu Joel do Pandeiro.



Lembrando da sede do grupo musical Happy Men,
do nosso amigo Josemir.
Não esquecendo da rua do Funil,
de Marizete e do pastoril.

Recordo-me da Pop Discos de Mauro, do bar "O Redondo",
da escola de datilografia de Lelê, do cinema de Valmir,
do clube "O Piçarrinha",
do parque infantil,
do abrigo de Osmil
e da mercearia de Pedrinho de Vicente,
o pai da nossa amiga, a poetisa Ana Maria.
Não esquecendo do trem e da rua da Linha.

Lembro-me da praça ornamentada Antônio Correa
e do ciclista Jota Silva, e da rua Gonçalves Dias, aonde eu morei
na casa de nº 72 e eu jamais esquecerei.

Recordo-me da rua da Frente, da pracinha,
do Clube Grêmio Lítero, do grupo musical
Novo Eskema de dona Marieta,
das Ave-Maria do Salão do Coral
e da padaria do saudoso seu Zé Totôr.
Não esquecendo de seu Luís Jonas
e da rua Jardim do Amor.

Lembro-me do Shell e do Bloco Avenida,
do tradicional carnaval do folião Panta Leão.
E o Bloco Leão Folia
vai continuar com positiva energia
e o pessoal fica mais esperto
quando Ururay diz: "gira o boneco!"

Não esquecendo da foliona Tia Nicó,
que era devota de Senhora do Ó.
E mando um fraternal abraço
Para a Turma do Tacho.
E por falar em euforia,
recordo-me da Caravana da Alegria.

Lembro-me do Cruzeiro, da cachoeira, do estádio "O Hiltão",
hoje denominado de "O Galegão"
Manoel Anízio da Mota.
Não esquecendo do campo de aviação
e da casa do senhor Armandão.

Recordo-me do Independente Futebol Clube de Tuí
do Botafogo de Eraldo, do Pelotas
de seu João do Alambique,
e do Cantagalo, o galinho de Labir.
Recordo-me do campo "O Poeirão",
do Letreiro e do areião.

Lembro-me dos vigilantes
Antonio Albuquerque e Jiquiri,
pai de dona Bezinha.
Recordo-me da sirene da Usina
e do pontão do cais do porto,
da estação ferroviária,
do Estádio da Gameleira,
do bonito rio São Francisco Francisco
e da pedra de Nair,
e da história verídica do Palhaço Biriba.

Recordo-me da Casa dos Garotos, do Mercado Público,
do Barracão, da Prefeitura, do coreto e dos Correios.

Lembro-me da rua Santa Inês
E do Grupo Velho
E da professora dona Nana
e não esquecendo da mercearia de seu Desidério.

Recordo-me da Escola Maria Cavalcanti Nunes,
conhecida por Aliança.
Lembro-me de Vevéi dos quartinhos
de São Vicente de Paula,
não esquecendo do saudoso Pedro Doido,
que tinha uma linda caligrafia
e na mente do mesmo uma inteligência existia.
Lembrando de homenagear
o grande artista, o saudoso artesão Luís Guará.

Recordo-me da casa de seu Coringa,
aonde acontecia os festejos juninos,
as quadrilhas e o casamento matuto
que seguindo a tradição
o noivo sempre casava a pulso, na marra.

Lembro-me do Colégio Normal Municipal de Petrolândia-PE
Hoje denominado de Escola de Jatobá.
Recordo-me da monumental Igreja Matriz
e das missas, das novenas, das procissões,
e das festas do nosso santo padroeiro
São Francisco de Assis.

Lembrando da presença bequista e divina
do proprietário Gilberto do parque de diversões Lima.
Lembrando também do grande torcedor
que gostava de vibrar pelo seu time favorito exaltar
Olha! eu estou fando do ourives seu Valdemar.
Não esquecendo de citar o sorridente desportista
o positivista Tio Biar.
Lembrando de outro grande artista
o seu João Retratista.

Recordo-me de seu Emiliano,
que andava rodeado de carneiros
e ele contava histórias e fazia versos hilários
com rimas o tempo inteiro.
Não esquecendo também do compositor Nestor
e do extraordinário zagueiro, compositor e locutor
Assis Ramalho.

Lembrando de parabenizar
o grande cantor e compositor
o nosso amigo vivaz
Jadilson Ferraz
e a nova música ficou linda demais,
Saudades de Petrolândia.
Não esquecendo de dizer que a última pessoa a sair de lá
foi a brilhante, foi a carismática Neguinha do Restaurante,
no dia 21 de abril de 1988.

Lembro-me da Banda Municipal Adolfo Alexandre de Melo
e das alvoradas, dos desfiles,
das balizas Valdice e Zefinha, e dos trajes
e das manhãs de setembro.

E para finalizar
eu não poderia esqueceer
do nosso irmãozinho
do nosso amiguinho
Ruy Sá, que com tantas emoções
e idealizações,
destacou-se com uma linda música
por ele criada, interpretada e intitulada
Recordações.

Parabéns, Petrolândia!

Autor: João Bosco de Melo

Deus é muito importante
Ele abençoa suas ideias brilhantes
E tenha ao certo de que você
É abençoado por Jesus Cristo
O homem mais sábio do Universo.

Notícia relacionada
>Morre em SP o cantor e compositor Rui Sá

Redação do Blog de Assis Ramalho

Comentários

Publicidade