Publicidade

Governo de Pernambuco confirma concursos este ano, mas nomeações só em 2016

Governador garantiu que concursos para Polícia Militar e Polícia Civil saem este ano. Nomeações ficam para 2016 - Wagner Ramos/SEI

Concursos nas áreas de Educação e Segurança Pública estão mantidos pelo governo estadual este ano. Isso é o que garante o governador Paulo Câmara (PSB) e o secretário de Administração, Milton Coelho. As provas serão realizadas em 2015, no entanto, as nomeações não ocorrerão agora o que, na prática, deixa os serviços oferecidos pelo Estado nas mesmas condições de hoje.

"Os concursos estão em andamento, as as nomeações ficam suspensas por conta do limite prudencial. Caso a a caso vai ser analisado. A área de segurança é uma em que os concursos estão mantidos, mas as nomeações ficam para depois. Não é cadastro reserva. É concurso mesmo, com validade por dois anos e renováveis por mais dois. Ao longo dos quatro anos, a gente espera nomear, inclusive e 2016 se tiver condições para isso", destacou o governador após um evento de formação de novos sargentos da Polícia Militar.



Mais cedo, em entrevista à Rádio Jornal, o secretário de Administração também garantiu que o Estado realizará concurso para delegado, agenda, escrivão de polícia, soldados e professores. "Todos já estão autorizados pela Câmara de Política Pessoal do Governo do Estado e as contratações estão previstas para o ano que vem, se houver espaço fiscal. Vamos ter concurso para 100 delegados de polícia, para três mil professores", disse Milton Coelho.


O concurso para as Polícias Civil e Militar, por exemplo, foi anunciado em maio passado pelo governador. Na ocasião, Paulo Câmara destacou estavam previstas 1.500 vagas para a Polícia Militar, 500 vagas para agentes, 50 para escrivães da Polícia Civil e 316 para a Polícia Científica.

Paulo Câmara também falou da convocação dos aprovados no concurso da Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe). Na semana passada, o novo presidente da instituição, Ettore Labanca, havia dito que tinha combinado com o governador de chamar os aprovados a partir de setembro. "Se a Arpe tiver condições jurídicas de nomear, vamos verificar até porque ela tem recursos próprios. Ela tem dinheiro em caixa que só pode ser usado em prol da regulação", declarou o governador.

PROTESTO - Insatisfeitos com a política de segurança pública em Pernambuco, os integrantes do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) programaram uma série de protestos em todo o Estado. A categoria quer cobrar o governo para que não fique apenas na promessa e de fato realize o concurso para a categoria este ano.

Por sua vez, na cerimônia de formação dos novos sargentos, o governador defendeu as ações estaduais na área de segurança pública e reconheceu que é possível fazer mais. "Temos que estar sempre renovando o efetivo, aprimorando as instituições porque é um trabalho de muita complexidade, que exige muita dedicação. O combate à criminalidade no País não é fácil, tanto é que os números mostram isso. Mas temos uma política que está se consolidando, está em plena execução. Estamos cientes das dificuldades de 2015, um ano mais difícil por conta da crise econômica, mas estamos determinados", concluiu.

Jornal do Commercio

Comentários

Publicidade