domingo, 26 de abril de 2015

Dia Nacional de Combate e Prevenção à Hipertensão Arterial: Saiba mais sobre essa doença em entrevista do Dr. Romero Barbosa à 'Star Bem'


Neste domingo (26) é comemorado o Dia Nacional de Combate e Prevenção à Hipertensão Arterial. Por oportuno, reproduzimos entrevista de Dr. Romero Barbosa à revistar Star Bem, publicação da cidade de Paulo Afonso (BA). 

Conheça mais sobre a Hipertensão Arterial Sistêmica 

Esse assunto vai ser explicado pelo pernambucano, de Recife, Romero Henrique de Almeida Barbosa, graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco – UPE, e tem especialização em Clínica Médica, com Residência no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC/UPE), em Cardiologia com Residência no FUNCORDIS de Recife-PE. Especialista em Cardiologia pela SBC e especialista em Hipertensão Arterial pela SBH, Dr. Romero já atuou como Cardiologista e Ergometrista no Hospital do Coração/UNICORDIS, na capital pernambucana, foi médico intensivista do Exército Brasileiro, no HGE, na mesma capital, médico conselheiro do CREMEPE, cardiologista estagiário no serviço de Ecocardiografia do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC/UPE) e também em Paulo Afonso (BA), onde atuou como Cardiologista e Chefe da Enfermaria de Clínica Médica do Hospital Nair Alves de Souza. Atualmente, o Dr. Romero é cardiologista do Hospital Municipal de Petrolândia e, também, da Clínica Neurocordis, na mesma cidade do Interior de Pernambuco. No Instituto Médico São Francisco, em Paulo Afonso, desde 2006, além de cardiologista, Dr. Romero é sócio fundador, o que lhe traz muito orgulho, pois o IMSF é referência na região, o que permite, na prática, a realização de todo um ideal de medicina ao qual ele sempre imaginou, além de trabalhar com colegas e amigos, tentando melhorar a qualidade de vida das pessoas, sendo sempre ético e verdadeiro com os seus pacientes. Confira essa entrevista sobre a Hipertensão Arterial, um dos males que atinge boa parte da população mundial.

Star Bem – O que é Hipertensão Arterial Sistêmica?

Romero Barbosa – Hipertensão arterial sistêmica é uma doença que se caracteriza por níveis elevados de pressão arterial de forma sustentada. Vale lembrar que quando medimos a pressão, nós temos dois componentes importantes, o máximo e o mínimo (sistólico e diastólico). Por exemplo, quando a pressão é medida normalmente é dito 12x8 (doze por oito), sendo que o 12 é o componente máximo e o 8 é o componente mínimo, mas a forma correta mensuração da pressão arterial é 120x80 mmHg (mililitros de mercúrio). Corta-se o zero para melhor compreensão do paciente.

SB – Qualquer um desses componentes elevados, podemos diagnosticar como HAS?

RB - Com certeza é importante lembrar disso, sendo, hoje, considerado pela última Diretriz de Hipertensão Arterial, que hipertensão é quando temos uma medida no consultório médico acima de 140x90 mmHg, independentemente do componente.

SB – Então, uma avaliação periódica é muito importante?

RB – Vale lembrar que a hipertensão é uma doença muito comum e assintomática na maioria dos casos, e só é diagnosticada se for medida, daí a necessidade de realizar pelo menos uma avaliação médica anual para aqueles pacientes sem diagnóstico. Seja com clínico (geral), seja com ginecologista, seja com o cardiologista, deverá ser solicitado que seu médico realize a medida da pressão arterial, pois muitos fatores de risco cardiovascular não doem, como níveis de colesterol ou triglicerídio ou glicose elevados no sangue só podem ser diagnosticados se forem realizados exames laboratoriais.

SB – Quais são os fatores de risco para desenvolver hipertensão arterial?

RB – Os fatores mais relacionados à hipertensão são idade, sobrepeso, sedentarismo, estresse, alimentação rica em sal, que encontramos nos produtos enlatados e industrializados, apneia do sono, além do fator genético.

SB – Quais são as principais consequências para os pacientes com a pressão arterial elevada?

RB – A hipertensão sem controle adequado pode trazer muitos danos à saúde e trazer diversas limitações, pois os órgãos que mais sofrem com a hipertensão sem controle são coração, rins, cérebro e retina, os quais denominados de órgãos-alvo. Podendo levar desta forma à dilatação cardíaca, infarto agudo do miocárdio, insuficiência renal crônica, acidente vascular cerebral (AVC), demência e cegueira. E pelo fato da hipertensão não “avisar”, o dano vai acontecendo de forma silenciosa e, às vezes, quando vamos observar já temos algum grau de dano. Vale lembrar que as doenças cardiovasculares são as que mais levam à morte no Brasil e no mundo, sendo necessária a atenção especial e constante. Mas temos como nos proteger e evitar os danos acima citados. Em primeiro lugar, após realizado o diagnóstico correto, procurar a orientação do seu médico clínico ou cardiologista. Desta forma teremos as recomendações necessárias para evitar problemas futuros.

SB – Que orientações o senhor daria para as pessoas?

RB – Em primeiro lugar, modificar estilo de vida, abandonar tabagismo, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, excesso de alimentos gordurosos e ricos em sal. Perder peso de forma saudável através de uma orientação nutricional, realizar atividade física regular após liberação do cardiologista. Equilibrar o tempo para dedicar-se mais à família e a ter uma boa noite de sono, diminuindo assim o estresse do dia a dia. E, se necessário, fazer uso de medicações anti-hipertensivas, orientado pelo seu médico de confiança.

Postagem enviada pela Secretaria de Saúde de Petrolândia
Fonte: Seção Viver Bem da Revista Star Bem, edição FEV/MAR 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário