terça-feira, 20 de março de 2012

Superintendente do Ministério da Pesca e Aquicultura em Pernambuco, José Telino, visita Petrolândia


Nesta terça-feira (20), o Superintendente Federal do Ministério da Pesca e Aquicultura em Pernambuco, José Telino, esteve em Petrolândia, onde se reuniu com o Secretários Municipais de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rogério Viana, e de Aquicultura e Pesca, Gusmão.

Na oportunidade foram debatidos assuntos de interesse para o desenvolvimento e crescimento da pesca, aquicultura e turismo na região.

José Telino não poupou elogios à estrutura que o município de Petrolândia oferece aos criadores de peixe da região, e àquelas que estão por vir. Telino também destacou o lago de Itaparica como uma das soluções para produzir alimento em grande quantidade no futuro. "Petrolândia pode jogar um slogan mundial, dizendo que vai ajudar a população do mundo a se alimentar", disse.

O Superintendente do Ministério da Pesca também lembrou que o Brasil é, hoje, reconhecido mundialmente como a grande potência da pesca e aquicultura, e Petrolândia tem os melhores espaços para produção de peixe no país.

O Município de Petrolândia tem programa de doação de pescado às comunidades carentes, que beneficia 1.551 famílias, totalizando a distribuição de 21 toneladas de peixe.

O projeto foi elaborado pela Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca do Município em parceria com o IPA, sendo executado pela colônia de pescadores local. Os pescadores capturam os peixes e vendem para CONAB que doa simultaneamente para as entidades receptoras que distribuem o pescado na comunidade. As comunidades cadastradas foram: JUP (Jovens Unidos de Petrolândia) que recebe 3 toneladas, sendo distribuído em parceria com a Igreja Católica para 200 famílias, a Missão Assistencial Peinel de Apoio ao Dependente Químico que recebe 3 toneladas, beneficia 200 famílias.  A Associação Indígena entre Serras, Pankararu – AIPES que recebe 14,8 toneladas e beneficia 1.151 famílias. O projeto além de melhorar o preço de comercialização do pescado, beneficia o município garantindo assim proteína animal de qualidade aos munícipes garantindo assim a segurança alimentar. 

Assis Ramalho entrevistou o Superintendente Federal do Ministério da Pesca e Aquicultura, José Telino, para o Programa de rádio "Acordando com as Notícias" e para este Blog. Acompanhe abaixo a entrevista.

Assis Ramalho:  José Telino, qual o objetivo de sua visita ao município de Petrolândia?

José Telino: Bom dia, Assis! Quero dizer que a vinda do Ministério da Pesca a Petrolândia é mais um retorno da minha presença aqui, no sentido de construir junto com os parceiros locais, o Governo do Estado e a Prefeitura, a melhor política para o desenvolvimento da pesca e aquicultura aqui na região. Especificamente no lago de Itaparica, no velho Chico. Nós temos hoje, nesta região, um potencial de crescimento enorme. Nós estimamos um aumento de produção de pescado que, daqui ao ano de 2015, poderemos atingir até cem mil toneladas de peixe ao ano, apenas no lago de Itaparica. Isso significa que os poderes públicos precisam entender essa demanda, esse crescimento, para que juntos trilhem o caminho para que este crescimento seja ambientalmente, socialmente e economicamente sustentável. Uma das questões mais estratégicas é a definição de quais ações imediatas nós precisamos tomar e realizar no município, juntamente com a Prefeitura, para que toda esta produção tenha um direcionamento certo. Principalmente que esta riqueza fique para a população de Petrolândia e para aqueles que tenham a coragem de ousar e utilizar as águas do lago de Itaparica para a produção de alimentos e para gerar emprego para todos da região.

Assis Ramalho:  Com certeza o Superintendente José Telino já observou o quanto essa região, com toda esta riqueza do Rio são Francisco, pode ser explorada, certo?

José Telino: É verdade. Eu brincava aqui, há pouco neste gabinete, com os Secretários (Rogério Viana,  Secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, e o engenheiro Gusmão, Secretário de Aquicultura e Pesca) dizendo que Petrolândia pode jogar um slogan na mídia mundial dizendo que vai ajudar a população do mundo a se alimentar. Por quê? Porque a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) orienta que, para o ano de 2030, nós vamos ter um consumo de 22,5 kg por habitante/ano, no mundo todo, de pescado. Isso significa que o Brasil tem 190 milhões de habitantes, e hoje o nosso consumo per capita no país é de 9 kg por habitante/ano. E, se a gente consegue otimizar toda essa produção do lago de Itaparica e Moxotó, a gente vai contribuir sobremaneira para que esta quantidade de pescado, que está sendo ofertada para os brasileiros, possa ser também aquele estímulo para que se diminua a produção de importação de outros países. E, evidentemente, o mundo vai ter mais peixe para o consumo. Lembrando que peixe é um alimento recomendado pelos médicos porque é um alimento saudável.

Assis Ramalho: Você com certeza conhece muitas áreas, muitos municípios que produzem peixe. A região de Petrolândia é diferenciada?

José Telino:  Sem dúvida, sem dúvida. Vocês têm hoje os melhores espaços de produção de peixes do Brasil. O Brasil é reconhecido mundialmente como a grande potência da aquicultura mundial. Os dados dizem que nós estamos chegando perto da China e temos capacidade de ultrapassá-la. É óbvio que a China é um país também continental, com uma tradição de criação de peixes muito ativa, mas a nossa tecnologia, os nossos profissionais, fazem com que a capacidade de produção dos lagos sejam utilizados ao seu máximo, e com isso aumenta a produção com o mesmo custo.

Assis Ramalho:  Então, pra finalizar a entrevista, resuma o que vai ser debatido hoje (terça-feira) com o Secretáro de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rogério Viana, e com o Secretário de Aquicultura e Pesca, engenheiro Gusmão.

José Telino: Olha, nós estamos definindo quais estruturas iniciais nós precisamos instalar. Fábricas de gelo, unidades de capacitação, entre outras coisas. Não esquecendo também os pescadores do lago, porque eles são partes importantes no contexto de produção de peixes, porque eles têm a tradição da pesca, que jamais vai ser esquecida, e também é um estímulo ao turismo. E nós temos a certeza que com essas ações nossas, de definição de melhorias da nossa infraestrutura, a gente também vai fazer com que as pessoas de outras localidades venham a Petrolândia, andem de barco, conheçam a pesca tradicional, conheçam o cultivo de peixes e saiam daqui reconhecendo Petrolândia como uma potencialidade em turismo e gastronomia no Estado.

Assis Ramalho:  Deixe aqui o seu recado para  todos os criadores de peixes da nossa região e o seu incentivo para aqueles que ainda não estão no ramo, mas podem entrar.

José Telino: Olha, Assis, hoje o Governo Federal tem uma linha de crédito, tem uma linha de assistência técnica. Para que você tenha uma ideia, eu participei recentemente do debate da Conferência de Assistência Técnica do município de Petrolina, e no final do mês teremos a Conferência de Assistência Técnica Estadual e Nacional. E nestes pontos já está incluso a pesca e a aquicultura. Então eu solicito a quem tem interesse, quem tem vocação, que criar peixe é uma atividade muito lucrativa. É uma atividade que é prazerosa, é uma atividade que se identifica com o campo, com a água, e consequentemente terá no seu futuro e de sua família, uma disponibilidade de recursos que em outros tempos não teríamos. Hoje o lago consegue fazer com que as pessoas tenham a oportunidade de produzir peixe se mantendo na região, sem sair daqui, e podendo crescer junto com o município.


Da Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Otávio Rogério

Nenhum comentário:

Postar um comentário