segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Petrolândia/Teresina: Tadeu Flamengo, o 'professor' da minha geração

 
Tadeu Flamengo (Fotos: Lúcia Xavier)
 
França, Tadeu Flamengo, Assis Ramalho e Potó, Vicente e Edson Bezerra (Madeira): reencontro após décadas 

Catita, Assis Ramalho, Edson Madeira e Tadeu Flamengo 

Assis Ramalho e Tadeu Flamengo 

Como já foi postado neste blog, na ultima sexta-feira (23), aconteceu uma festa memorável na Casa de Shows Velho Chico, em Petrolândia, onde se reuniram moradores da velha Petrolândia, hoje residentes em outras cidades, bem com aqueles que ainda residem aqui. Foi um encontro em que todos puderam relembrar, com saudades, histórias da inesquecível velha Petrolândia, além de permitir reencontros de amigos que há mais de vinte anos não se viam. Assim sendo, foi com muita satisfação que reencontrei um dos meus grandes amigos daqueles velhos e bons tempos, Tadeu Flamengo. Com esse nome, nem é preciso dizer que ele torce pelo time carioca. 

Todas as comunidades precisavam ter um Tadeu Flamengo para ensinar o que é certo e o que é errado, encaminhando e incentivando a juventude para o mundo do esporte. Foi justamente isso que ele fez por mim e por toda a minha geração em Petrolândia. Rigoroso, disciplinador, amigo, companheiro e carismático. Ele realmente foi e sempre será nosso ídolo. Já há muitos anos ele reside em Teresina, no Piauí, onde é funcionário da CHESF.

Voltando à festa de confraternização, em que aproveitamos para matar a saudade, aproveitei para entrevistá-lo para o meu programa de rádio, "Acordando com as Notícias", e para este blog. Acompanhe abaixo a entrevista

Assis Ramalho- Meu velho amigo Tadeu, qual a sensação de estar aqui, vivendo e revivendo tudo isso neste encontro?

Tadeu Flamengo- Rapaz, é o seguinte: Assis, a sensação é inexplicável. Quando eu recebi o convite, comecei a relembrar a velha Petrolândia e a emoção foi grande, porque aqui novamente eu reencontrei muitos amigos, e eu tive que chorar. Você chora porque ninguém é de ferro, nós somos seres humanos. A emoção bate, a gente relembra muitas coisas, dos grandes amigos, e também você recebe muito calor humano. E, na verdade, a recepção dos companheiros aqui faz com que todas as vezes que eu venha aqui a emoção dobre, porque a recepção é demais, e valeu a pena eu ter vindo.
Assis Ramalho- Tadeu, aproveite e responda 'na bucha': neste exato momento, o que você mais recorda da velha Cidade?
Tadeu Flamengo- Eu recordo do cais. O cais tem muitas lembranças. O cais, o rio São Francisco, ali onde a gente tomava muitos banhos. A gente comprava pão e cajuína na padaria de João Rodrigues, e ia para o cais tomar banho, e era uma folia grande. Nós que vivemos em Petrolândia, nós tivemos infância. Éramos livres, leves, soltos, e foi uma infância que a gente viveu, que infelizmente crianças de hoje não tem a infância que nós tivemos.

Assis Ramalho- O mundo hoje precisa de outros Tadeu Flamengo. Eu convivi, junto com minha geração, com você. E você, apesar de não ter sido um professor profissional, resgatou uma geração de adolescentes, e ensinou o caminho do bem através do esporte, sempre acompanhando a vida da gente, chamando atenção para o que era certo e o que era errado. Então hoje eu estou lhe entrevistando, e ao mesmo tempo lhe fazendo uma homenagem por tudo que você representou para a nossa geração. Obrigado, Tadeu, por tudo!
Tadeu Flamengo- Eu é que agradeço. Eu agradeço esse reconhecimento porque já naquela época eu exigia disciplina nas coisas que vocês faziam. Exigia que vocês estudassem, e isso era a coisa que eu mais fazia, e o problema, hoje, é que está havendo uma inversão de valores. Hoje as pessoas estão tentando embutir na cabeça de outras que o bem é o ruim e o ruim é bom, e a gente tem que ter muito cuidado. É por isso que eu aplaudo muitos companheiros aí, que vivem no esporte, que vivem levando essa meninada para o esporte, e lá eles vivem um pouco de tudo isso. Então eu acho que é um trabalho salutar, é um trabalho bom para todos. Eu só tenho a agradecer a você, à toda a turma que sempre quando eu chego aqui me recebe muito bem. É como se tivesse em uma família, como eu considero uma família mesmo, e eu é que agradeço, muito obrigado a todos vocês.

Assis Ramalho- Tadeu, você daqui a pouco vai voltar para o Piauí, mas já está convidado desde já para a próxima festa, no ano que vem.
Tadeu Flamengo- E estarei de volta. Estarei de volta sem medo de errar e quero vir com mais tempo, para conhecer melhor a nova Petrolândia.

Assis Ramalho- A velha (Petrolândia) ainda hoje você tem na mente?

Tadeu Flamengo- A Petrolândia velha eu tenho detalhada toda na minha cabeça, não sai nunca da minha mente.

Assis Ramalho- Valeu, Tadeu! Muito obrigado por tudo!

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Lúcia Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário