sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Petrolândia: Grama e árvores morrem de sede na Praça dos Três Poderes, após corte de água pela Prefeitura

Um dos pontos de água cortados na Praça dos Três Poderes (Fotos: Lúcia Xavier)


O clima invernoso que atingiu Petrolândia durante cerca de dois meses, com razoáveis chuvas, adiou a agonia das plantas e da grama na Praça dos Três Poderes, nos arredores do antigo escritório da Celpe, após o corte da água para rega. A medida foi determinada pelo ex-prefeito Ricardo Rodolfo, para contenção de gastos, e os poucos dias de sol inclemente já deixaram suas marcas no gramado e nas plantas de raízes menos profundas. O antigo gramado verde foi substituído por um tapete seco, marrom, e as mangueiras, jambeiros e outras espécies definham de sede.

A arborização da Praça dos Três Poderes, após décadas de tratos culturais e milhões de litros cúbicos de água investidos, vira pó e garrancho, da noite para o dia, porque é mais fácil deixar morrerem as plantas do que dar o exemplo e instalar um sistema de irrigação adequado e econômico.

Observar a vegetação arrasada por falta de água é triste, mas a dor cresce quando sabemos que isso acontece em frente à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, atualmente pareada com a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, e em redor do escritório do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA). Esses órgãos que podem não ter nada a ver com o decreto de morte ao verde na Praça dos Três Poderes, mas poderiam ter-se unido ou unir-se agora, para buscar soluções tecnológicas para impedir o descarte dos recursos públicos investidos para criar e manter a arborização. Isto é, se houver interesse do Executivo em reverter a situação.

No início da tarde desta sexta (11), ao passar pelo local, nossa reportagem encontrou um servidor da Prefeitura, ocupado com a varrição de folhas. Com o cessar das chuvas, em redor do tronco das árvores, não havia um pingo d'água. "Essa grama era tão bonita...", lamentou o funcionário da limpeza.

As folhas vão continuar a cair, como lágrimas, e serão varridas, até restarem troncos e garranchos, que serão removidos. Então, a área vai ficar limpa do "capim" que poderia constranger a construção do estacionamento solicitado pelo Legislativo, no início do ano. Enquanto isso, uma palmeira imperial lentamente morre de desgosto em frente ao Judiciário, transformada em suporte para refletor de iluminação.

Ver mais fotos>Corte de água mata árvores na Praça dos Três Poderes (11/08/2017)

Redação do Blog de Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário