segunda-feira, 20 de agosto de 2018

ABCON participa de debate sobre impacto da MP do saneamento em Brasília

Encontro acontece nessa terça-feira (21.08), no hotel Royal Tulip Brasília Alvorada

O diretor de relações institucionais da ABCON – Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto, Percy Baptista Soares Neto, participa nesta terça-feira (21.08), às 9h10, em Brasília (DF), do debate sobre a MP 844, que moderniza o marco regulatório do saneamento.

O encontro acontece no hotel Royal Tulip Brasília Alvorado é promovido pela Aesbe (Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento), e contará também com a participação de autoridades ligadas ao setor e outras entidades.

A avaliação da ABCON sobre a MP do Saneamento é que a medida é essencial para que o Brasil consiga ampliar sua atual cobertura dos serviços de água e esgoto.

Para a entidade, que congrega empresas que hoje possuem R$ 37,6 bilhões de investimentos comprometidos em saneamento, a MP 844 é fruto de um longo diálogo entre governo e sociedade e cria meios para a resolução de impasses que impedem milhões de brasileiros de ter acesso ao saneamento. Da mesma maneira, leva em conta as raízes do problema com o propósito de superar anos de políticas públicas que resultaram nos índices atuais.

"A MP 844 é muito bem-vinda por estabelecer normas claras destinadas a estimular o ambiente de negócios", esclarece Percy Soares Neto. Ele lembra que situações semelhantes ocorreram em setores como telefonia e energia elétrica, que iniciaram esse processo há duas décadas e hoje têm seus serviços universalizados.

"O estímulo à concorrência promove eficiência e qualidade na prestação dos serviços. O modelo vigente não está funcionando. Os números do saneamento mostram isso", acrescenta Percy.

"O desafio é imenso e há espaço para empresas públicas e privadas. É indispensável unir forças. A MP 844, que pode ser chamada de MP da Saúde, disponibiliza instrumentos para que essa cooperação se dê com isonomia e eficiência, de modo a permitir a redução das desigualdades sociais e a contribuir para a geração de empregos localmente", conclui o diretor de relações institucionais da ABCON.

Assessoria de Imprensa


0 comentários:

Postar um comentário