Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Incra entrega 79 títulos de domínio e 103 títulos provisórios em Lagoa Grande-PE


De trabalhadora rural empregada da antiga fazenda, há 20 anos, ao título definitivo do lote de cinco hectares. Essa é a trajetória da agricultora Francisca Monteiro, de 56 anos, que vive no assentamento Ouro Verde, situado no município de Lagoa Grande (PE). A história de Francisca se assemelha a dos outros 78 assentados, beneficiados com esses documentos, na sexta-feira (16). A ação fez parte do Dia Nacional de Titulação que, no Médio São Francisco, aconteceu no Distrito de Vermelhos, no município de Lagoa Grande, na quadra da Escola Eduardo Campos, e reuniu 520 participantes.

No evento, famílias de cinco áreas de reforma agrária da região receberam 103 Contratos de Concessão e Uso da Terra (CCUs) e também foram assinados 259 contratos do Crédito Instalação nas modalidades Fomento Mulher e Semiárido que beneficiam 11 assentamentos com recursos da ordem de R$ 1,2 milhão.

Luta e produção

Junto com Francisca somam-se outras narrativas de dificuldades, luta para adaptar-se ao semiárido, e superação produtiva que foi coroada pela entrega desses documentos. O assentamento Ouro Verde é modelo de produtividade de uva, em áreas irrigadas, mas também produz acerola, goiaba e manga. A renda das famílias varia, em média, entre R$ 10 mil e R$ 70 mil anuais.

O superintendente regional do Incra no Médio São Francisco, Bruno Medrado, assegurou que as ações para a titulação das famílias vão continuar. “Realizamos o sonho de 79 famílias do assentamento Ouro Verde. Queremos estender a titulação para outras áreas de reforma agrária, como os assentamentos Safra e Senador Mansueto de Lavor que já estamos fazendo o georreferenciamento e encaminhando a documentação”, acrescenta.

Medrado ressalta a importância da titulação para ampliar a produção nessas áreas. “Com o documento, as famílias poderão aumentar sua produção, ao acessar as políticas públicas da agricultura familiar”, frisa.

A ideia do superintendente se assemelha com a do assentado de Francisco José Santos, 41, também ex-empregado da fazenda, que foi assentado e que agora pretende dobrar a produção de uva com o título. “Com o título da posse do lote, teremos mais liberdade para explorar toda a área”, conta Santos que é detendor de 0,95 hectares de área irrigada.

Políticas

Para o assessor da presidência do Incra, Cláudio Siqueira, a entrega dos títulos é o ápice do trabalho da autarquia, desde a obtenção de terras, dos investimentos em infraestrutura e em créditos. “Além de tudo, o título dá segurança jurídica ao assentado”, enfatiza.

Siqueira aproveitou para ressaltar as ações da autarquia em créditos e infraestrutura. “Ampliamos o investimento no Crédito Instalação. Em 2017, foram aplicados mais recursos que nos últimos três anos”, frisa. O assessor também destaca os investimentos em infraestrutura por meio das emendas parlamentas e com as parcerias firmadas com as prefeituras.

O prefeito de Lagoa Grande, Vilmar Capellaro, ressaltou a importância das ações do Incra nos assentamentos para o crescimento do município: “Os créditos trazem inclusão social e econômica para o agricultor assentado e faz o dinheiro circular gerando emprego e renda em nosso munícipio”, comemorou.

Assessoria de Comunicação Social do Incra/Médio São Francisco

Comentários

Publicidade