Publicidade

Morre o cantor Reginaldo Rossi aos 69 anos

Atualizado as 10:40

De acordo com divulgação da Rádio Jornal, Reginaldo Rossi, de 69 anos, faleceu. O cantor estava internado há alguns dias para tratar um câncer de pulmão.

Reginaldo Rossi era conhecido como o "Rei do Brega" e autor do sucesso “Garçom”, ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Memorial São José, na área central do Recife, desde 27 de novembro. Na quinta-feira (19), sofreu uma piora no quadro clínico.

Durante o tempo em que ficou internado, Reginaldo Rossi foi submetido a uma cirurgia para retirada de um nódulo na axila direita. A biópsia confirmou o diagnóstico de câncer. Ele também passou por um procedimento chamado de toracocentese, para drenar líquido acumulado entre a pleura e o pulmão.

Reginaldo Rossi nasceu em Recife em 14 de fevereiro de 1944 e ingressou na faculdade de engenharia, mas não chegou a se formar e trabalhou como professor de matemática.

Sua carreira artística teve início em 1964, imitando Roberto Carlos em bares e clubes da capital pernambucana. Na época, era acompanhado pelo conjunto The Silver Jets.

Em 1966, lançou seu primeiro LP, "O Pão", seguido por "Festa dos Pâes", no ano seguinte. Em 1970, se afastou do rock com "À Procura de Você", que o introduziu no gênero brega-romântico, do qual se tornaria um dos maiores expoentes;

Em meados dos anos 1980, com 18 discos gravados, Rossi já era um sucesso de vendas no norte e nordeste, mas permanecia desconhecido no eixo Rio-São Paulo. Em 1987 lançou um de seus maiores sucessos, "Garçom", que o tornaria conhecido no sul e sudeste no fim dos anos 1990.

Ao longo de sua carreira, o cantor gravou com artistas como Wanderléa, Roberta Miranda e Planet Hemp, e aceitou de bom grado o título de "rei do brega".

Com cerca de 50 álbuns lançados, recebeu 14 discos de ouro, dois de platina, um de platina duplo e um de diamante.

Em 2011, Rossi venceu o Prêmio da Música Brasileira na categoria de melhor cantor popular, pelo álbum ao vivo "Cabaret do Rossi", que também rendeu um DVD, em que fazia releituras de sucessos como "Taras & Manias", "Dama de Vermelho", "Boate Azul", "Amor I Love You", "Só Você" e "I Will Survive".

O garçom já não escuta mais lamentações na mesa de bar. A raposa não está mais com as uvas. Itamaracá já não tem tanto encanto assim. O brega ficou doidão.

Redação do Blog de Assis Ramalho
Com informações da Rádio Jornal, UOL, Diario de Pernambuco, JC On-Line

Comentários

Publicidade