terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Petrolândia: Prefeito Lourival Simões afirma que 'nossa administração não é apenas para hoje, mas pra daqui a 10,20,30,40 e 50 anos'

Prefeito de Petrolândia, Lourival Simões


Após a cerimônia de encerramento da  III Exposhow (Feira da Agricultura Familiar), realizada de 9 a 11 deste mês no Parque João Pernambuco, em Petrolândia, Assis Ramalho entrevistou o Prefeito de Petrolândia, Lourival Simões. O prefeito avaliou o evento e destacou outros assuntos do município. Acompanhe abaixo a entrevista.

Assis Ramalho-  Lourival, chegamos ao final do terceiro Exposhow aqui no Parque João Pernambuco, qual a avaliação que você faz do evento?

Lourival Simões- Hoje nós encerramos o evento da Exposhow. É um evento que vem cada vez mais crescendo e isso a olhos vistos. Não apenas na minha opinião, mas na de todos os criadores de Pernambuco. Este ano, ao contrário do ano passado, onde só tínhamos os expositores de Pernambuco, nós já conseguimos alcançar a Paraíba,  Sergipe e  Alagoas, que trouxeram os animais para expor aqui no município de Petrolândia, o que é importante. Ou seja, estamos deixando de ser apenas uma feira de caráter regional e estadual, passando para outros Estados. Alguns expositores de outros municípios já saíram pontuando, já ganhando posições e rankeando no Estado de Pernambuco. Você sabe que é a última feira de exposição do Estado de Pernambuco ficou para a etapa de Petrolândia, onde fizemos também a confraternização dos criadores do Estado. Tivemos aqui o rebanho da (Fazenda) Caroatá, que é uma das mais conceituadas e mais famosas, de Zé de Ju. Então são vários criadores que têm o compromisso de levar ao interior do Estado, fora do Estado de Pernambuco, carregar o nome de Pernambuco.  Então nós ficamos muitos felizes com a repercussão positiva, principalmente o reconhecimento por parte dos criadores do Estado de Pernambuco, como sendo uma das maiores feiras já montadas no interior do Estado de Pernambuco.

Assis Ramalho- O importante, Lourival, é que a cada ano o sucesso aumenta. Tanto é que agora chegamos a vender 6 tratores, me parece. Isso aí é um ponto de satisfação de vocês, organizadores?

Lourival Simões- Claro, Assis. Quando você convida os expositores, você sabe que eles só retornam se houver, digamos assim, um fluxo pra eles. Tivemos aqui a grata satisfação de vermos tratores da New Holland, da Valtra, da John Deere, de várias e várias marcas que estiveram aqui e foram vendidos. Então isso é muito importante pra gente porque demonstra, na verdade, que havia a necessidade desse espaço. Nós, que passamos tanto tempo sem haver nenhum tipo de espaço nesse sentido. E você colocar e disponibilizar. Assis, a gente sabe da dificuldade que o Brasil tem em relação à vendagem de equipamentos (agrícolas). Há dificuldade de se conseguir o crédito para isso, mas mesmo assim nós conseguimos colocar, convidando os expositores, e eles saíram satisfeitos com a movimentação. Muita gente pensa que exposição é festa. Não, exposição não é festa., exposição é negócio. Então a gente fica satisfeito quando vê se movimentar a economia, girando em torno do município de Petrolândia. Os agricultores e as pessoas de Petrolândia podendo ver novas tecnologias pra implantar no seu dia-a-dia, isso é o que fica de mais importante de resultado da III Exposição. 

Assis Ramalho- No próximo ano tem mais?

Abertura da III Exposhow (Foto: Otávio Rogério)
Lourival Simões- Se Deus quiser. E no ano que vem, muito provavelmente nós vamos fazer com um leilão, que será o primeiro grande leilão. E nós vamos começar a tratar isso já no início do ano, porque é um ano eleitoral, o que dificulta um pouco as organizações das coisas. Então vamos começar a tratar logo no inicio do ano, pra deixar tudo certinho, e vamos realizar o Primeiro Grande Leilão  da cidade de Petrolândia. Se Deus quiser, sendo transmitido pela TV, sendo mais uma matéria positiva para a nossa cidade.

Assis Ramalho-  Lourival, mudando um pouco do assunto, quais as novidades do nosso município? o final de ano chegando, faça um resumo do ano.

Lourival Simões-  Olha, Assis, nós estamos encerrando o ano de 2011 positivo, graças a Deus. Mais uma vez nossas administrações sendo reconhecidas com premiações importantíssimas. A última foi a divulgação do índice FIRJAN, onde repercutiu positivamente para Petrolândia. Com matérias, como a vinculada recentemente pela Rede Globo com relação ao turismo no nosso município. Então a gente está fazendo o que deve ser feito: vender e mostrar nossa imagem lá fora. Graças a Deus, por onde passamos se reconhece quando se fala em Petrolândia hoje, no Estado de Pernambuco ou fora. Passou já a ser uma cidade diferenciada, conhecida principalmente pela forma como as coisas são tocadas aqui, como você tem uma qualidade de educação, como você tem uma  qualidade de saúde, uma infra-estrutura invejável. Petrolândia tem tudo pra deslanchar, como vem crescendo e vem deslanchando. Daqui para o final do ano nós ainda, se Deus quiser, estaremos inaugurando e entregando a primeira planta industrial, que é da Paraipaba (agroindústria), depois de tanto e tanto tempo sem  nenhum orçamento de planta industrial, então nós ficamos felizes com isso. A Academia da Cidade, as obras já começaram. Nós tivemos problema com relação à realização da licitação, mas já foi corrigida. A empresa vencedora já está começando a obra. Estamos agora com duas creches para serem construídas e a licitação já está no ar. Dentro de alguns dias saberemos os vencedores. As coisas vão caminhando bem. O projeto da água do bairro Nova Esperança, estamos aguardando somente a liberação da C.P.R.H. e as coisas estão andando, conforme nós tínhamos planejado. As construções das casas populares já começaram. O que era um sonho antigo da população de Petrolândia, e muitos nem acreditavam já que estas casas vinham sendo prometidas desde o ano 2000, e por uma coisa ou outra, por atropelos da Caixa Econômica Federal, que atrapalhou muito a construção destas casas para o cidadão petrolandense. Mas em 2009 nós corremos contra o tempo e, graças a Deus, estão aí.

Assis Ramalho-  qual o prazo para a entrega das casas, Lourival?

Lourival Simões- O prazo para a execução destas casas é em torno de 100 dias, Assis. Foi o que o pessoal informou. Eles tem mais prazo para executar, mas eles querem executar com a maior brevidade possível. Justamente por conta do atraso, porque já era pra ser iniciado desde o início deste ano, mas infelizmente só pôde agora no final do ano. Mas o que importa é que daqui a alguns dias 60 famílias vão deixar de morar no aluguel, vão receber a chave de sua casa própria, e isso é muito importante para que a pessoa tenha dignidade. Porque os gestores têm que ter responsabilidade de formar e trasformar cada ser humano em cidadão. Petrolândia vem demonstrando ao longo dos últimos anos, de 1997 pra cá, que nós estamos no caminho certo. Temos trabalhado muito. Então a gente fica feliz com os resultados obtidos por Petrolândia, não só dentro do Estado de Pernambuco como fora, com o reconhecimento de boa parte  das pessoas que reconhecem que nós estamos fazendo um bom trabalho, e isso é importante pra gente, é o que deixa a gente feliz.

Assis Ramalho- Sobre o problema de água no Bairro Nova Esperança, Lourival,.o que é que você pode adiantar para aquela comunidade?

Lourival Simões- Bem, é um problema que não é de hoje, não é, Assis? você sabe que é um problema que há 10 anos nós temos esses problemas. Desde as primeiras pessoas que ocuparam o bairro Nova Esperança, que a gente sabe destas dificuldades de água. A maior dificuldade são as pessoas para fazer o projeto. Mas conseguimos encontrar e contratar as pessoas e realizar um projeto. Os recursos, a Câmara de Vereadores já  disponibilizou o recurso de uma extra-orçamentária de sete milhões e meio, mas infelizmente tiveram vereadores que não votaram a favor. Eu não consigo entender, porque é algo que pode beneficiar a população, como é que podem ser contra? mas a gente fica aqui feliz por nossa parte ter aprovado os projetos pra beneficiar e colocar água no Bairro Nova Esperança. E agora é aguardar a licença da C.P.R.H, porque todas as obras agora tem que ter a licença prévia  da C.P.R.H e a autorização da Compesa. Você já deve ter percebido que nós furamos metade do calçamento da cidade, aproximadamente, aproveitando pra corrigir aquela diferença que tinha no calçamento, colocando uma nova adutora, saindo do pé da Serrota com 250 milimetros, chegando aqui com 150. Prque é justamente a água que vai ser disponibilizada, não apenas para o reforço das quadras 09, 10 e 11, que é um problema crônico que nós temos, e que dentro de alguns dias estará solucionado. A gente só pede desculpa às pessoas, já que causam certos transtornos, as pessoas querem entrar nas suas casas e de repente ter interrompido o trecho. Mas entendam que é pra servir a população de Petrolândia e resolver de vez os problemas que a gente tem com relação à água das quadras 09, 10, 11 e 04. E ainda a água que vai ser utilizada para bombear até uma caixa d'água a ser construída pelo município, com recursos do município, para abastecer o bairro Nova Esperança. Este projeto, Assis, pra você ter uma ideia da envergadura e da dimensão dele, ele fechou em torno de dois milhões e meio de reais. Pra você ter uma ideia do tamanho da disponibilidade de água que vai ser colocada pra população de Petrolândia, vai ser colocada água para 26 mil habitantes. Ou seja, a gente vai dobrar a capacidade de distribuição de água pra população do município de Petrolândia. A gente vai preparar Petrolândia para que cresça duas vezes mais do que ela tem hoje no seu tamanho. São projetos como esse, demorados, difíceis de se fazer, que a gente tem que colocar como o norte da nossa admistração, que é preparar Petrolândia para o futuro. Não apenas pra hoje, mas pra daqui a 10, 20, 30, 40 e 50 anos.

Assis Ramalho- Lourival, fale como andam as obras do calçamento das Agrovilas e do Mercado Público.

Lourival Simões- O mercado está a todo vapor. A gente só está com problemas das entrega das bancas, que esse é o maior problema. Não é a construção física que me preocupa e sim a construção das barracas pra entregar aos feirantes, pra que eles possam vender dignamente seu material, trabalhar de uma maneira limpa, de uma maneira bem organizada, porque você colocar hoje as bancas de feira da forma com elas estão, dentro daquele mercado, é impossível. Não dá pra você cuidar da parte externa e esquecer da parte interna. A parte interna é mais trabalhosa do que a externa  porque você mexe com as pessoas. Tem gente que quer banca de 10, tem gente que quer com 20, com 30, 40, 50 metros, e você olha o espaço interno e você vê que não dá. Então nós estamos fazendo de uma maneira que ninguém saia prejudicado, pra que a gente possa atender a maioria dos feirantes do município de Petrolândia.

Assis Ramalho-  E as agrovilas?

Lourival Simões- As agrovilas, nós estamos entregando a Agrovila 2 do Projeto Barreiras (Agrovila 2 do Bloco 1) nós vamos entregar nos próximos dias e avançando aí à (Agrovila) 1 do Bloco 1, que era um sonho antigo que a população tinha em ter as agrovilas calçadas. Já fazemos isso nos Mandantes, no Limão, já calçamos quatro das agrovilas e agora mais essas duas. E se Deus quiser ainda no início do ano nós daremos as ordens de serviço de quatro ou cinco agrovilas pra que a gente possa, não chegar aos 100% no ano que vem, mas muito provavelmente a gente vai poder cumprir aquilo que a gente prometeu, que é tentar trabalhar por todas as localidades do município de Petrolândia, levando desenvolvimento e melhoria na qualidade de vida. Graças a Deus, isso nós estamos fazendo, Assis. Eu digo sempre às pessoas: na área de Saúde mesmo, tem algumas pessoas que ainda questionam. Mas boa parte dessas pessoas não são de Petrolândia. Não sabem como funciona a Saúde Pública. Pra se ter uma ideia, Assis, nós gastamos mais hoje em Saúde do que se fosse pra pagar um plano de saúde pra cada um individualmente, um plano coletivo de saúde. Aqui nós damos o remédio, fazemos os exames, cuidamos da saúde preventiva com os agentes comunitários de saúde dos Postos de Saúde. Dou a medicação, inclusive a que não é obrigação do município eu ainda dou. Quando não tem, mando pela (Auto Viação) Progresso, mando pela T.F.D. (Tratamento Fora do Domicílio). Tenho casa de saúde lá (em Recife), que leva de táxi e pega de táxi. Então, Assis, praticamente você faz tudo pela Saúde e ainda tem gente que infelizmente não reconhece isso. Algumas pessoas parece que não conseguem enxergar o que está diante dos olhos. É bom abrir os olhos, comparar com as outras cidades, ver o trabalho que está sendo realizado aqui antes de falar de Petrolândia. Pode falar de tudo, mas não fale de Petrolândia perto de mim porque senão dói nos nervos, feito a gente diz. E a gente vem trabalhando incansavelmente pra levar melhoria de vida à população. Tem gente, Assis, que pode falar e muito provavelmente as pessoas que falam são pessoas que me pediram algo que era impossível de se fazer, como algumas vezes, ou algumas vezes até algo que a gente deveria, teria que fazer alguma coisa errada pra se atender à demanda. Eu sempre digo às pessoas “cuidado! A gente tem que ter uma responsabilidade muito grande com as coisas públicas”. Eu tenho que tomar de conta, eu principalmente. Não apenas a minha pessoa, mas os secretários (assim) como todos os funcionários da Prefeitura Municipal de Petrolândia, mas também toda a população em geral. Tenho que tomar conta do bem público porque aquilo ali não é meu, não é seu.

Assis Ramalho- Os exemplos estão no Brasil. todo dia está acontecendo, prefeito sendo afastado.

Lourival Simões- Ministros de Estado. A gente vê esses exemplos dessas coisas ruins que acontecem, justamente porque se desviam daquilo que deveria ser feito, Assis. A gente fica triste quando vê isso na política, fica até meio que chateado por assim dizer. Tem pessoas que infelizmente pensam que todos os políticos calçam 44. Principalmente aqueles que querem ser políticos. O que eu acho mais interessante é isso: dizem que vão fazer diferente quando não tomam nem conta de casa mesmo. Então quer dizer, a gente fica triste quando a gente esse tipo de coisa. Mas às vezes a gente encontra pessoas sérias, que nos ajudam a trabalhar e reconhecem esse trabalho. Hoje mesmo eu passei a manhã todinha numa reunião com todos os assentamentos do MST, numa reunião boa, muito positiva.

Assis Ramalho- Hoje agora, domingo?

Lourival Simões- Hoje, domingo. Agora há pouco. Acordamos cedinho. Sete horas da manhã nos já estávamos no campo. Cheguei às onze horas. A reunião se estendeu um pouco mais do que era previsto, mas tratamos de vários e vários assuntos de interesse da comunidade. Onde a gente tem demonstrado justamente isso: nosso compromisso com todos. Feito eu tinha prometido lá, Assis, iluminação pública, já foi colocada em todos os assentamento do MST. Não tinham as bombas recentemente que foram queimadas. Eu troquei do meu bolso, não usei dinheiro de Prefeitura. Paguei do meu bolso por entender que as pessoas têm o direito à agua. Não dava (para pagar como despesa da Prefeitura) por lá ser o município de Tacaratu.  Paguei, não me arrependo. Faz falta no meu orçamento, Assis? Faz falta, mas é muito pior você ver o cidadão morrendo de sede. Então é esse tipo de sacrifício que eu tenho certeza que eu fiz, faço e farei ainda muito pela população de Petrolândia. Não sei se outros têm coragem de fazer isso não, mas a gente está aqui é pra trabalhar pelo povo e eu espero que o povo assim entenda.

Assis Ramalho- Ok, Lourival. Muito obrigado por mais uma vez você participar do Programa Acordando com as Notícias.

Lourival Simões- Eu que agradeço Assis. Mais uma vez agradecer o espaço que foi cedido, você que faz essa cobertura exemplar pelo município de Petrolândia.

Assis Ramalho- E agora tem o Blog de Assis Ramalho.

Lourival Simões- Eu tô sabendo, me disseram! Você nem pra me dizer, rapaz! eu descobri pela boca dos outros. Então, a gente fica feliz em ver seu programa, que é um dos programas mais bem conceituados do nosso município e da nossa região, fazendo esse trabalho sério de divulgar e, como a gente diz, “colocar os pingos nos is”. É importante essa sua transparência e principalmente a liberdade que você tem para tratar todos os assuntos, isso de uma maneira democrática. A gente tem sempre trabalhado e vai continuar trabalhando no intuito de levar da maneira correta as informações não apenas do nosso município, mas do Estado e do nosso País às pessoas que estão nos ouvindo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário