domingo, 22 de julho de 2018

Chuva no primeiro semestre não foi suficiente e agricultores amargam perdas de 90% em AL

Mesmo assim, muitos agricultores mantêm a fé e preparam o solo na esperança de que chuva caia a qualquer momento.

Em Alagoas, a chuva no primeiro semestre desse ano não foi suficiente para a plantação. As perdas em alguns municípios chegam a 100%, um prejuízo que pode passar dos R$ 4 milhões. Mesmo assim, muitos agricultores mantém a fé e preparam o solo na esperança de que chuva caia a qualquer momento.

A plantação de milho, em Major Isidoro, foi plantada em maio, mas faltou chuva no período de desenvolvimento da lavoura.

“A gente plantou, perdeu. Plantou de novo e tá vendo só isso aqui, falta chuva”, diz a agricultura Ana Lúcia Bernardes.

“Vem uma nuvem, dá um sereninho de chuva, vai e passa. E pronto! Não dá pra criar nada. Ano passado pelo menos teve muita chuva, nós perdeu com chuva. É mais bom perder com chuva do que com sol”, afirma.

O agricultor Antônio Fernando de Oliveira esperava plantar milho, mas a chuva não aconteceu. “Esperava plantar tudinho esse ano. Esperava plantar, mas não deu chuva. Aí agora o povo diz que pode até chover, mas tá tarde. Mês de agosto é mês de verão”, lamenta.

Os municípios passam por uma seca em plano período chuvoso. A previsão para o Sertão nesse primeiro semestre era de quase 500 milímetros, mas choveu menos da metade. “Provavelmente as perdas no município podem passar de R$ 4 milhões só em virtude dessas estiagens”, afirma.

No município de Maravilha também faltou chuva, mesmo assim teve agricultor que arou terra. A expectativa é que comece a chover a qualquer momento para que o plantio comece.

G1 AL


0 comentários:

Postar um comentário