Publicidade

IPA estuda parcerias em agroecologia e convivência com o semiárido


O presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Gabriel Maciel, recebeu o coordenador-geral do Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá, Alexandre Pires, na manhã desta segunda-feira, 11/01. Na pauta, firmar parceria em ações de agroecologia, de convivência com o semiárido, além de criar uma Rede de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) em Pernambuco e o Plano Estadual de Agroecologia.

Atualmente, o IPA possui o Grupo de Estudos, Sistematização e Metodologia em Agroecologia (Gema). Dentre as ações que o Instituto desenvolve podemos citar unidades demonstrativas de fruticultura, de hortaliças, fortalecimento de feiras agroecológicas, por exemplo. “Nossos técnicos participam da Rede de Núcleos de Agroecologia do Nordeste e dos núcleos de estudos em agroecologia de diversas instituições”, pontuou Gabriel Maciel.

Os diretores de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) e de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), Albérico Rocha e Antonio Raimundo, respectivamente, também participaram da reunião. Eles destacaram o Banco de Sementes Crioulas do Agreste e a Criação de Abelhas Nativas como ações de preservação de recursos genéticos, vegetais e animais, dentro da agroecologia. Os diretores frisaram, ainda, que essas ações fortalecem as práticas integradas de extensão e pesquisa.

Durante a reunião, Alexandre Pires informou que o Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá atende três mil famílias de agricultores familiares no Estado. A ong possui escritórios em Rio Formoso, Caruaru e Triunfo. “As ações do Sabiá são complementares as ações do IPA. Juntos podemos intensificar os projetos. Na área de sementes crioulas, nós vamos testar cerca de 200 variedades de milho para saber quais não são transgênicas”, declarou, citando ainda futuras parcerias nas unidades produtivas.

Fonte: Núcleo de Comunicação do IPA

Comentários

Publicidade