Publicidade

Alepe: Minuto de silêncio e várias reverências para lembrar o aniversário de morte de Eduardo Campos

Além de administrar o Estado de 2007 a 2014, Campos também foi deputado estadual entre 1991 e 1995, chegando a receber o Prêmio Leão do Norte por sua atuação (Foto: Rinaldo Marques/Alepe)

Na data em que se completa um ano da morte de Eduardo Campos, vários parlamentares ocuparam a tribuna na Reunião Plenária, desta quinta (13), para celebrar a memória do ex-governador de Pernambuco, morto em acidente de avião, em São Paulo, em plena campanha à Presidência da República. Além de administrar o Estado de 2007 a 2014, o político também foi deputado estadual entre 1991 e 1995, chegando a receber o Prêmio Leão do Norte por sua atuação. Campos também foi deputado federal, secretário da Fazenda de Pernambuco e ministro de Ciência e Tecnologia.

Logo no início da reunião, foi feito um minuto de silêncio, a pedido do primeiro vice-presidente da Casa, Augusto César (PTB). Já no Pequeno Expediente, Diogo Moraes (PSB), foi o primeiro a evocar a data: “Quis o destino que ele se fosse no mesmo dia que seu avô, melhor amigo e mentor político, Miguel Arraes. Definitivamente, 13 de agosto será um dia de luto para todos os pernambucanos”, pontuou. “Meu sentimento pelo ex-governador vai além da saudade. É um lamento profundo por saber que não houve tempo para que se realizasse tudo oque sonhamos junto com ele”, lembrou Rodrigo Novaes (PSD). “Líderes de todas as correntes políticas na Câmara e no Senado afirmaram a falta que ele faz para o Brasil. A única maneira de superar essa lacuna é seguir o seu exemplo: ‘pegar no serviço e fazer a máquina moer para o lado dos pobres’, como ele dizia”, apontou Aluísio Lessa (PSB).

No Grande Expediente, Lucas Ramos (PSB) destacou o legado da gestão de Eduardo Campos, especialmente para a educação. “Entre os méritos do nosso ex-governador, podemos destacar as escolas públicas com as melhores avaliações do País. Eduardo Campos conseguiu transformar sonhos em realidade”, ressaltou.

Em aparte, alguns deputados registraram as lembranças pessoais e os exemplos da vida pública do ex-governador. “Tive a satisfação de ser deputado junto com ele. Ainda jovem já era um estadista, que se comunicava com todos nós”, salientou Henrique Queiroz (PR). “Tinha poder de liderança para juntar pessoas de vários partidos”, frisou Botafogo (PDT). “ Tinha certeza de que ele seria presidente do Brasil, e o País estaria melhor com ele hoje”, observou Ângelo Ferreira (PSB).

“Eduardo representou para nossa geração um exemplo de perseverança, coragem e espírito público em sua vida”, reconheceu o líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PTB). “Ele fez Pernambuco voltar a se desenvolver, se tornar de novo o Leão do Norte” , argumentou Romário Dias (PTB).“ Pernambuco ganhou outra cara após o governo de Eduardo Campos”, considerou Bispo Ossésio Silva (PRB). “Miguel Arraes e Eduardo Campos viam a dificuldades das cidades pequenas e sentiam na pele o sofrimento dos mais necessitados”, destacou Dr. Valdi (PP). Por fim, citando Bertold Brecht, Eduíno Brito (PHS), afirmou: “temam menos a morte e mais uma vida insuficiente”, para simbolizar o que significou a vida de Eduardo Campos.

Alepe

Comentários

Publicidade