quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Infância saudável: psicólogo explica importância da família no desenvolvimento da criança

Diálogo, disciplina e exemplo estão entre as principais dicas elencadas pelo coordenador da UNINASSAU

Na próxima sexta-feira (12), é vivenciado em todo o país o Dia das Crianças. Além de celebrar o momento com festas, brincadeiras e centenas de atividades em todas as regiões do Brasil, a data também leva a reflexões, sobretudo, quanto aos desafios e perspectivas da criação dos filhos que estão nessa faixa etária. Quais as principais sugestões e dicas para uma criação saudável das crianças?

O coordenador do curso de Psicologia da Faculdade UNINASSAU Caruaru, o psicólogo Carlos Mendonça, ressalta a importância da família para o crescimento da criança. ‘’A família é o primeiro espaço social de convivência do ser humano e se constitui como referência fundamental para toda a vida do indivíduo. Independentemente de sua configuração, a família introjeta na criança os valores éticos, morais, usos e costumes e conceitos de vida, por meio de experiências afetivas vivenciadas no seio familiar. Dessa maneira, as crianças formam juízos, crenças, modos de pensar e agir e expectativas, para toda a sua vida’’, explica.

O psicólogo ainda aborda que a família é indispensável, não somente para a garantia da sobrevivência físico-biológica, mas, prioritariamente, da saúde psíquico-afetiva, concedendo aos filhos aportes psicológicos saudáveis através de componentes educação formal e informal e valores éticos e humanitários. ‘’Nesse sentido, sabe-se que as crianças adquirem muitos dos padrões de comportamento de seus pais, tais como atitudes, valores, crenças, conceitos, entre outros, através dos processos naturais de imitação e identificação. Esse processo ocorre sem que os pais ensinem, ou tentem influenciar a criança, mas, naturalmente e pelo exemplo e convivência diária’’, destaca Carlos Mendonça.

O psicólogo elenca algumas dicas para a saudável criação dos filhos:

Diálogo – Converse com seu/a filho/a, por menores que sejam. Eles podem não ter entendimento cognitivo das palavras, mas têm o entendimento afetivo.

Disciplina – Os pais hoje têm grande dificuldade em disciplinar os filhos. Pais que não impõem regras e limites, simplesmente estão marginalizando seus filhos. Quem não reconhece e respeita leis é um marginal. A criança precisa ter incorporada à sua mente que alguém manda e ela precisa obedecer.

Tempo – Mesma diante da correria dos tempos modernos, é preciso dedicação à criança. Aqui o que conta não é a quantidade do tempo, mas sim, a qualidade.

Exemplo – Criança entende tudo, sem palavras. Ela absorve o modo de ser e pensar dos adultos com quem convive, tornando-se simplesmente reflexo do meio em que vive.

''Nesse Dia das Crianças, o maior presente, acredito, é os pais buscarem ajuda profissional, para resolverem seus próprios conflitos pessoais e de relacionamentos e, assim, poderem ajudar melhor seus filhos na sua formação como pessoas'', conclui.

UNINASSAU


0 comentários:

Postar um comentário