Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Petrolândia: Banda Adolfo Alexandre de Melo comemora aniversário de 80 anos; conheça sua história


Fotos: Assis Ramalho/BlogAR)



No dia 26 de maio de 2018, a Banda Adolfo Alexandre de Melo, de Petrolândia, comemorou 80 anos de existência em clima de muita nostalgia, harmonia e homenagens. Para comemorar, o grupo, com o apoio da prefeitura, por meio da Biblioteca Municipal Barão de Mauá, realizou apresentação para o público que compareceu ao pátio do Centro Cultural Hildebrando Menezes.

Com a presença da prefeita Janielma Souza - e de várias personalidades municipais, o evento foi marcado por homenagens aos ex-músicos Adolfo Alexandre de Melo, Izaldo Tomé de Souza ( In memoriam), que foram representados por familiares.

Em um dos momentos marcantes da noite, a escritora Paula Francinete Menezes Rubens (autora do livro O Jatobá que virou mar) leu a biografia (escrito por ela) de José Costa da Silva, mais conhecido como seu Dedinha. Aos 82 anos, seu Dedinha é o músico mais antigo da banda. Apesar de não mais executar a profissão de músico, deixou como herdeiro na histórica banda musical, seu filho Cicéro.

Parabenizamos a equipe de coordenação da Biblioteca Municipal Barão de Mauá pela organização da belíssima homenagem.

Ver fotos das comemorações dos 80 anos da >Banda Alexandre Adolfo de Melo

Conheça a história dos 80 da Banda Musical Adolfo Alexandre de Melo

A história da banda musical vem de longos anos, nos relatos de um dos músicos mais antigo José Costa da Silva, popularmente conhecido como o senhor “Dedinho da Banda”, iniciou no ano de 1938, quando chegou na cidade de Petrolândia um circo que tinha o nome Circo Chumbrega, nele acompanhava um trombonista e maestro por nome Edson Silva Porto, este se interessou pela cidade e criou uma associação musical, que era formada por comerciantes e moradores locais, criou-se uma banda composta por 32 músicos, que durou pouco tempo, deixando a sua semente plantada nesta cidade. Logo após foi criada a segunda banda musical pela SUVALE através do primeiro administrador Dr. Djalma Wanderley, que passando pouco tempo o mesmo foi embora, e a banda ficou na lembrança do povo e dos músicos Petrolandeses.

A partir do momento que a mesma foi extinta por autoridades, essa semente plantada permaneceu viva, pois o senhor José Costa da Silva (Seu Dedinho da banda) juntamente com outros companheiros por amor a banda de música criou a banda de Petrolândia, dando assim continuidade as programações festivas do município, e por onde a banda passava, a todos encantava.

Na gestão do prefeito José Araújo da Silva, gostando da banda e dos esforços dos componentes, ampliou a mesma comprando novos instrumentos, e aproveitando alguns instrumentos já existentes que foram doados pela SUVALE, e assim fazendo a alegria do povo Petrolandenses, tocavam nas festas escolares, festas de padroeiro, biblioteca municipal, e outros eventos.

No ano de 1985, gestão do Prefeito Francisco Simões de Lima, quando a banda de música tocava nos jogos escolares, assistindo a sua passagem em frente a Prefeitura, se encantou, e convocando os músicos para uma reunião resolveu ajudar a mesma, com a compra de instrumentos novos, gratificando os músicos, incentivando a todos componentes da banda.

No dia 25 de Agosto de1986, por meio do Projeto de Lei no 491/86 Art. 10 – a banda Municipal foi denominada “Banda Municipal Adolfo Alexandre de Melo”; em homenagem ao notável músico falecido.

No decorrer da história da banda, podemos citar nomes de grandes músicos que em diferentes época, fazem parte da história desse Patrimônio artístico da nossa cidade.

Os músicos e seus instrumentos:

Tuba: João Crispim da Silva (João de Boa), Vicente José de Menezes e Antônio Ferreira Nunes.
Clarineta- José de Carvalho Alcântara (Zé Marcelino), Adolfo Alexandre de Melo, João de Oliveira Cruz, Zeca de Cícero (Dé) Francisco Delgado (Chiquinho), José Marques da Silva (Zezinho de Chica, que também foi regente da banda), Francisco Pereira, Izaldo Tomé de Souza. E Djalma Gomes de Menezes tocava Requinta.
Trombone: José Costa da Silva (seu Dedinho da banda), José Delgado (Zequinha), Francisco Alexandre Melo, Abel Soares, e Trombone de vara - Cláudio José de Oliveira.
Saxorne: Valdemar Pereira Lima (Casinho).
Piston - Milton de Pachola, Miguel Pereira de Lima, Jardiel Sandro Cordeiro, José Humberto Cordeiro.
Sax tenor - Divaci Pereira.
Sax alto - José Leite Filho.
Percussão- Cícero Costa, José Pedro de Melo (Dudé), Pedro José dos Santos, Edson Campos dos Santos, Denival Batista;

Os Regentes da Banda no decorrer da história foram: 1° Edson Silva Porto, 2° José Tibúrcio (1940-1944), 3° José Lulu (1944-19450, 4° Cicero Barros (1945), 5° José Marques da Silva (Zezinho de Chica- 1945-1955).

Também foi regente da banda José Clementino de Oliveira, depois a regência da banda foi exercida por José Tibúrcio, onde o mesmo ao ir embora passou a responsabilidade de administrar a banda para José Costa da Silva ( seu Dedinho da banda) que reorganizou os músicos da banda e seus instrumentos. A banda ficou sem regente até 1962 quando passa a ser regente o senhor Josemir Ramalho, e depois de um tempo José Tibúrcio novamente volta a ser o regente.

No ano de 2003 Dr. Antônio Marcos de Souza assume a gestão do município, procurando investir na banda municipal Adolfo Alexandre de Melo, e por pertencer a Secretaria de Educação do Município, a Secretária de Educação Maria do Carmo Lima Pereira através da Prefeitura Municipal renovou a estrutura da banda, com novos instrumentos e fardamentos. E também foi contratado um professor de violão o jovem Manoel Joaquim para ser o maestro da banda, no entanto a sua permanência na mesma foi curta. Em sequência Deison foi nomeado maestro da banda. E sempre presente em todas as programações festivas do município, alegrava os Petrolandenses.

Na história da banda tivemos várias mulheres que contribuíram com esse patrimônio histórico cultural, como Jailma Barbosa, Silvana, Selene , Lucinha Santos, Elisania, Tatiane, Núbia, Jussara.

O ano de 2013 a banda foi desativada, deixando dos músicos a população triste, onde nos eventos festivos era constantemente cobrada a sua presença. Mas os músicos resistentes, mesmo sem apresentações, sempre manteve acesa a esperança de voltar a abrilhantar as festividades com a nossa eterna banda Adolfo Alexandre de Melo.

Blog de Assis Ramalho
Informação; Direção da Biblioteca Municipal Barão de Mauá
Fotos: Assis Ramalho

Comentários

Publicidade