terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Aves, guaiamuns e caranguejos apreendidos pela Cipoma recebem cuidados no Cetas


No último domingo, 187 guaiamuns (sendo 84 fêmeas) e 112 caranguejos, que estavam sendo comercializados durante o período de defeso, foram apreendidos em Camaragibe. O guaiamum corre risco de extinção e terá a captura proibida a partir de 30 de abril deste ano, de acordo com portaria do Ministério do Meio Ambiente (Foto: Divulgação/CPRH) 

Na primeira ação de soltura do ano, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) devolveu à natureza, na manhã desta segunda-feira (22), em área de mata do Araripe, 243 aves comumente encontradas no Sertão, que passaram por tratamento e/ou reabilitação no Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara). Ao mesmo tempo, recebeu outras 298 aves, 187 guaiamuns e 112 caranguejos, apreendidos no fim de semana no Cabo de Santo Agostinho e em Aldeia, Camaragibe.

As aves soltas no Araripe, em área do município de Exu, foram apreendidas em ações da 1ª Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma) em 2017. Passaram um período no Cetas Tangara, unidade da CPRH no Bairro da Guabiraba, no Recife, antes do retorno ao habitat natural. O grupo reuniu, entre outros, 54 canários-da-terra, 44 galos de campina, 44 papa-capins e 28 ticos-ticos, agora livres em área de soltura monitorada pelo órgão ambiental.

Também foram em ações da Cipoma contra o tráfico e outros crimes ambientais, realizadas no fim de semana, que novos animais silvestres foram apreendidos e encaminhados para avaliação e tratamento no Cetas. No sábado (20), na Operação Feira Limpa, junto com agentes municipais, os policiais militares apreenderam 298 pássaros na feira livre do Cabo de Santo Agostinho, de espécies diversas: canários, patativas, galos de campina, caboclinhos, curiós, sanhaçus etc. Quatros pessoas foram conduzidas à delegacia local, onde foi registrada a ocorrência.

Já no domingo (21), os 187 guaiamuns (sendo 84 fêmeas) e os 112 caranguejos foram apreendidos no km 7 da Estrada de Aldeia, próximo à entrada da Escola Internacional de Aldeia, em Camaragibe. Os crustáceos estavam sendo comercializados durante o período de defeso, o que configura crime ambiental, sem contar que havia muitas fêmeas e filhotes (carapaça inferior a 6 cm) no grupo.

O guaiamum corre risco de extinção e terá a captura proibida a partir de 30 de abril deste ano, de acordo com portaria do Ministério do Meio Ambiente. Conforme a Cipoma, o homem que tentava comercializar os crustáceos fugiu pela mata, não sendo encontrado. Os guaiamuns e caranguejos foram soltos em área de mangue nesta terça (23).

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário