Publicidade

Poligen Embriões In Vitro quer mudar cara do Agreste pernambucano

Fertilização in Vitro pode recuperar genética do rebanho em até três anos

Após um severo período de estiagem, o Agreste pernambucano testemunha um novo modelo de negócios que promete alavancar a indústria de gado leiteiro e de corte no estado. O modelo, implementado pela Poligen Embriões In Vitro aposta na melhoria genética do gado através de fertilização In Vitro. Trata-se do primeiro laboratório privado de Fertilização In Vitro (FIV) para gado em terras pernambucanas.

Sediada em Canhotinho, bacia leiteira pernambucana, a Poligen teve um aporte de investimento de R$ 300 mil. Situado dentro das terras da Fazenda Murici, o laboratório foi inaugurado em julho de 2014 e os primeiros 12 filhotes nasceram em maio enquanto outros 150 estão sendo gestado em vacas receptoras. “Como principal vantagem, podemos promover uma melhoria genética do gado em apenas três anos”, revela Camila Ramalho, médica veterinária à frente do trabalho do laboratório ao lado do marido, o também veterinário Thiago Ramalho.

Ramalho também frisa a necessidade e importância de um laboratório desse porte para Pernambuco. Seja no Agreste - que é extremamente dependente da bacia leiteira e precisa de rebanhos de alta produção e rusticidade - como na Zona da Mata, onde está havendo uma mudança no cenário da agricultura da cana-de-açúcar para a pecuária de corte. “Isso gera uma necessidade de reposição rápida de reprodutores (tourinhos) como boas matrizes para esse novo mercado que está surgindo”, conclui.

Para se ter uma ideia do ganho de tempo, estudos apontam que bons reprodutores levam até 10 gerações (30 anos) para chegar a um rebanho de alta produção. A técnica da FIV otimiza genética e produção. Para tanto, há diversos modelos de negócio, que variam desde o tratamento das vacas no campo do proprietário ou nas dependências da Fazenda Murici. O investimento por embrião implantado é de R$ 700,00, mas não há custos caso a receptora não fique prenha. “Para fazer o procedimento com laboratórios de São Paulo ou Minas gerais esse custo por chegar a R$ 3 mil”, pontua Camila. Hoje o gado utilizado é de raças de corte e leiteira como Gir, Guzerá e Holandesa e o sêmen varia de espécies como Girolando e Guzolando.

Atualmente o laboratório está apto a atender clientes não só de Pernambuco, mas de estados vizinhos. Além do laboratório, a Poligen disponibiliza toda estrutura de central de receptoras e doadoras das raças Gir, Girolando e Guzerá leiteiras adquiridas nos melhores criatórios do Brasil, bem como possui parcerias com os pecuaristas da região que disponibilizam sua genética.

TÉCNICAS E HISTÓRICO

A montagem do laboratório, que funciona na fazenda Murici, começou em 2013, no auge da seca. No total, foram investidos R$ 300 mil com a estrutura. A capacitação aconteceu em 2014 e o laboratório foi inaugurado em 30/07/2014. Já há 11 filhotes fêmeas e um macho nascidos através do procedimento. O primeiro deles nasceu no dia 4 de maio.

Poligen Embriões In Vitro
PE 177, km 17 – Fazenda Murici
Informações – (81) 99916.1454

Ascom Poligen/SL. Comunicação

Comentários

Publicidade