terça-feira, 23 de junho de 2015

Desvalorização: Mais de 10 milhões de lucro em 3 meses de 2015 e a CPFL Santa Cruz não quer pagar PLR aos trabalhadores


Eletricitários da CPFL Santa Cruz protestaram na manhã de hoje (22/06) em frente a sede da empresa em Piraju, pela falta de acordo em acertar os valores das metas da PLR - Participação nos Lucros e Resultados 2015, que deverão serem cumpridas pelos trabalhadores.

Segundo André Paladino, presidente do sindicato dos eletricitários de Ipaussu, Ourinhos e Região, a manifestação é devido a intransigência da empresa, em relação aos valores das metas da PLR de 2015. Paladino afirma que já foram duas rodadas de negociação, e a CPFL Santa Cruz quer impor indicadores inatingíveis em 2015, isso comprovado pela performance dos mesmos nos primeiros cinco meses do ano, onde ao menos quatro deles não estão sendo atingidos e os outros três estão muito próximos do não atingimento.

O sindicato dos eletricitários afirma que os trabalhadores da CPFL Santa Cruz se empenharam durante todo o ano, aumentaram a produtividade da empresa e levaram-na a se tornar a melhor distribuidora de grande porte do Brasil no ano de 2014, fato este confirmado pelo regulador do sistema elétrico brasileiro.

Os trabalhadores eletricitários foram responsáveis também por fazer a CPFL Santa Cruz diminuir em 10,1% a duração das interrupções de energia no primeiro trimestre de 2015, ante igual intervalo de 2014, para 6,62 horas (acumulado dos últimos 12 meses), ainda fizeram a empresa reduzir em 15,7% a frequência das interrupções no mesmo período de comparação, para 5,80 vezes.

Paladino ressalta que os trabalhadores não podem ser prejudicados por causa da política das metas inatingíveis criadas por um grupo de pessoas, para ele a CPFL está querendo usar o não atingimento das metas para aumentar ainda mais os dividendos aos acionistas.

Ainda assim, de forma democrática foi colocada em votação a proposta da CPFL Santa Cruz, que foi recusada por unanimidadde pelos trabalhadores.

Os eletricitários aguardam agora a retomada das negociações e esperam que a CPFL Santa Cruz volte para mesa e de fato negocie com o Sindicato metas que possam ser atingidas pelos trabalhadores, aliás, trabalhadores estes que fizeram de tudo para que empresa obtivesse um lucro líquido de R$ 10,35 milhões no primeiro trimestre de 2015 com crescimento de 71% em relação ao mesmo período de 2014.

André Paladino afirma que é inadmissível o não pagamento integral da PLR de 2015, principalmente pelo fato de que o próprio presidente da CPFL Santa Cruz, Sr. Marco Antonio Villela de Abreu afirma que "Apesar do cenário desafiador do setor elétrico neste momento, a CPFL Santa Cruz foi capaz de manter os seus investimentos para melhorar a qualidade do serviço prestado aos seus consumidores e acompanhar a expansão do consumo em sua área de concessão, o que tem sido reconhecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)".Saiba mais em www.eletricitariosdeipaussu.org.br

Assessoria de Imprensa Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Energia Hidroelétrica/Ipaussu

Nenhum comentário:

Postar um comentário