Publicidade

Mancha escura no Rio São Francisco em Delmiro Gouveia são sedimentos orgânicos, diz a CASAL

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco divulgou nota sobre a mancha São Francisco (Foto: João Santos)

O gerente de Qualidade de Produto da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) confirmou, em entrevista ao AL TV 1ª Edição da sexta-feira (10), que a mancha encontrada no Rio São Francisco esta semana foi provocada pela abertura de duas comportas do reservatório da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), em Paulo Afonso, na Bahia, divisa com Alagoas (veja no vídeo acima).

"O que houve na região foi abertura das comportas de Paulo Afonso. Houve a chegada de matéria orgânica contida no lago [do reservatório] que desceu ao leito do rio e hoje, o rio se encontra em uma situação bastante degradada", esclarece Alfredo Brechó.

O problema é que a água que abastece as casas da região estava chegando escura às torneiras. Por isso, desde quarta (8), o abastecimento a sete municípios do Sertão foi suspenso. Delmiro Gouveia, Água Branca, Pariconha, Inhapi, Mata Grande, Canapi e Olho D’Água do Casado estão sendo abastecidas por meio de carros-pipa até que a situação seja normalizada.

Inicialmente, a Casal havia informado que era oito o número de municípios que tiveram o abastecimento suspenso, mas depois retificou a informação e esclareceu que Piranhas é abastecida por um sistema independente e não foi afetada.

A qualidade da água será medida em análise de amostras coletadas no Rio São Francisco. "Nós observamos uma alteração na qualidade físico-química dessa água. Então, de pronto, a Casal parou o bombeamento de forma preventiva para que essa água não chegasse à comunidade", justifica Brechó.

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) divulgou uma nota à imprensa em que pede empenho no diagnóstico do problema "com a brevidade e o rigor que o caso requer, identificando-se os responsáveis".

Confira na íntegra a nota da CBHSF abaixo:

A propósito de mancha que atingiu trecho do Rio São Francisco entre os municípios de Paulo Afonso (BA) e Delmiro Gouveia (AL), o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) externa, através de sua Diretoria Colegiada (Direc), sua grande preocupação, sobretudo tendo em vista que a redução atual da vazão do rio favorece ainda mais os eventuais efeitos de qualquer processo que impacte suas águas com substâncias poluentes.

Tendo em vista que as informações repassadas pelos órgãos ambientais competentes ainda estão em fase preliminar, o CBHSF aguarda a conclusão das investigações mas, diante da magnitude do evento, solicita que todo o potencial técnico à disposição dos referidos órgãos seja direcionado para diagnosticar o problema com a brevidade e o rigor que o caso requer, identificando-se os responsáveis para que arquem com a reparação dos danos ambientais e socioeconômicos causados.

Paralelamente a essas providências, o CBHSF conclama a união de esforços do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil para que as ações de limpeza e recuperação do corpo hídrico tenham início o mais breve possível.

Finalmente, como representação institucional de todos os usuários das águas sanfranciscanas, o CBHSF informa que acompanhará diariamente o desdobramento dessa lamentável situação.

A DIRETORIA COLEGIADA (DIREC) DO CBHSF

Anivaldo Miranda (Presidente)
Wagner Soares Costa (Vice-presidente)
José Maciel de Oliveira (Secretário)

G1 AL

Comentários

Publicidade