Publicidade

Petrolândia: Sepultamento sob protocolo de Covid-19 revolta família impedida de realizar velório do sr. Nilo Abel Feitosa


No início da noite desta sexta-feira (20/11), por volta das 18h30, a reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia foi contatada pela família do sr. Nilo Abel Feitosa, cujo sepultamento seria realizado no Cemitério São Francisco, em Petrolândia, sob o protocolo sanitário de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Nossa reportagem dirigiu-se ao cemitério, onde encontrou os familiares do sr. Nilo revoltados com o sepultamento imediato do corpo, sem o ritual tradicional do velório na residência do falecido, na  Agrovila 08 da Reta, entre os município de Petrolândia e Tacaratu. 


O sr. Nilo faleceu na madrugada de quinta-feira (19/11), aos 77 anos, depois de dar entrada no Hospital Municipal Dr. Francisco Simões de Lima, em Petrolândia. Com sério problema de saúde foi encaminhado para tratamento no Recife, vindo a falecer no Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), onde estava internado. No dia 07/11, já no Recife, foi colhido material para exame de Covid-19, cujo resultado - negativo - saiu no dia 09. Apesar disso, houve determinação médica para sepultamento do corpo do sr. Nilo sob o protocolo sanitário para vítimas de Covid-19.

A família questionou a determinação e de posse do exame com resultado negativo, obtido com intervenção do vereador eleito Said Sousa (Podemos), os familiares desejavam impedir o sepultamento imediato e transportar o corpo para o ritual tradicional de despedida, com o velório na casa da família, na Agrovila 08 da Reta. 

Presente ao sepultamento, de acordo com o protocolo sanitário, a Vigilância Sanitária Municipal conversou com os familiares para convence-los a atender às recomendações do hospital. Diante do impasse, foi acionada a Polícia Militar e o Promotor de Justiça Felipe Coutinho, que compareceram também ao local. 

Após nova negociação para convencimento, na qual o Promotor de Justiça comprometeu-se a receber a família, na segunda-feira (23/11), para analisar o caso, os familiares cederam e, por volta das 19h00, o carro funerário entrou no cemitério, sob aplausos dos familiares que, entre lágrimas de tristeza e de revolta, rezaram o Pai-Nosso em frente ao portão do campo santo. 

Nossos pêsames à família, parentes e amigos do sr. Nilo.


Redação do Blog de Assis Ramalho


Comentários

Publicidade