Publicidade

Petrolândia no 'Espaço Pernambuco': Criação de tilápia e artesanato da Associação Café com Arte são destaques em programa de TV

Jornalista Márcio Bonfim esteve em Petrolândia no início de abril para registrar o processo produtivo da tilapicultura no município, dos tanques no Lago de Itaparica ao ateliê de artesanato (Reprodução TV Globo)
Fotos: Associação Café com Arte

Sábado passado (16) foi exibida, pela TV Globo Nordeste, a edição do Espaço Pernambuco gravado em Petrolândia no início de abril passado. O jornalista Márcio Bonfim esteve no município no dia 9 do mês passado e registrou as etapas da criação de tilápia, no processo produtivo adotado pela Associação Café com Arte, que trabalha desde os tanques redes, a comercialização dos filés e a fabricação de peças de artesanato com a pele do peixe. De acordo com a reportagem, produzida antes dos impactos esperados pela redução da vazão do rio São Francisco no Lago de Itaparica, cerca de 150 toneladas de peixe saem da região anualmente. Confira:

Os peixes se multiplicam nos cinquenta tanques, no meio do Lago de Itaparica, que esconde as ruínas da antiga cidade de Petrolândia. Aos 23 anos, Romário José da Cruz aprendeu com o pai a vocação para buscar na água a fonte de renda da família. “As famílias tinham uma renda precária, que vinha da agricultura. Como era a agricultura que dependia da chuva. Essa é uma área muito seca. E também os filhos iam crescendo, não tinham oportunidade de emprego aqui na região. Só comércio e agricultura. Um comércio muito pequeno, aqui, nas cidades”, explica a assistente social da Secretaria de Aquicultura e Pesca de Petrolândia, Jarcilene Barbosa.

Todo mês, os pescadores gastam mais de R$ 50 mil reais, apenas com a associação. Romário participa da associação dos criadores de peixes da Serra, que reúne outras doze famílias da vizinhança, desde 2006.” O lago de Itaparica tem uma qualidade água muito boa, que propicia a produção de peixes. E o espelho de água é bastante extenso podendo ainda ser bastante aproveitado”, aponta o engenheiro de pesca do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Ivo Thadeu Mendonça.



No 2º bloco, o Espaço Pernambuco mostra a parceria dos comerciantes do Mercado Público de Petrolândia e as artesãs. Enquanto o filé vai para os clientes, a pele vai para o artesanato. “Ele vem do mercado até chegar na associação onde começamos todos os procedimentos para o curtume, o pequeno curtume da pele da tilápia, onde transformamos em couro”, explica Fátima Belém, presidente da Associação Café com Arte, que reúne artesãos de Petrolândia.

O catálogo de produtos é bem diversificado, com chaveiros, brincos, bolsas, sandálias, braceletes, carteiras que custam a partir de R$ 7. São artigos que conquistam as mulheres em feiras nas cidades pernambucanas e também outros estados como São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Minas Gerais. “Aqui, na associação, a gente pretende exportar. A gente até já teve convite para a Suíça, para exposição. Como eu gosto de desenhar e fazer bolsa, a gente pretende que estas bolsas sejam usadas fora do país. E aqui também, né? Mas a gente sabe que quando parte pro estrangeiro é bem mais valorizado o artesanato”, aponta a artesã Paula Rejane.

Para as artesãs e pessoas que sobrevivem a partir da tilápia, o peixe se tornou o outro deles, indo da alimentação cotidiana ao sustento com a manufatura de produtos.'

Os vídeos com os dois blocos do programa estão disponíveis na página http://redeglobo.globo.com/globonordeste/noticia/2015/05/espaco-pernambuco-mostra-forca-da-criacao-de-tilapia-no-sertao.html

Notícia relacionada (clique para ler):
>Beneficiamento da pele de tilápia pela Associação Café com Arte é tema de reportagem da Globo Nordeste

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fonte: Globo Nordeste e Associação Café com Arte

Comentários

Publicidade